Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Nobel da literatura? Era mas é uma reguada naquela peida e uma vintena de chapadas!

Mesmo estando morto, a minha opinião mantém-se: não gosto de Saramago!

Texto tão brilhante que teve de ser removido para um local mais seguro, mais precisamente o livro Agarrem-me ou dou cabo desses palhacitos!

104 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

Ora bolas, então para ser bom escritor é só preciso ter isso? e eu que julgava que era preciso sacar gajas boas - tágides, musas, suecas, fontes de inspiração, enfim - por isso é que sou mau escritor.

Tulipa Negra disse...

Erros? O que é isso? Já olhaste para o acordo ortográfico? Os erros deixaram de existir, aparentemente tudo é permitido, é à vontade do freguês: se trocas o b pelo v, até podes escrever "baca" e "voi" sem problema nenhum! O importante é que a escrita corresponda à oralidade. Ora se o homem falava sem pontuação, a que propósito havia de a escrever?
E vou-me calar porque estou de férias e não me posso enervar. :)
Beijinhos

Maninha disse...

Ler não é propriamente a melhor actividade para se perder a respiração :))

the big fox disse...

ora nem mais tou contigo e digo NÃO GOSTO DO SARAMAGO, NÃO GOSTO, NÃO GOSTO E NÃO GOSTO
mas amiguito é o que nos espera uma vez que, ao que parece, não vai haver chumbos até ao final dos cursos... de todos.....
abraço e boa semana

biodivers©idade disse...

Não gosto dele e não é por ter morrido que o vou enaltecê-lo.

esquilinho disse...

Tens todo o direito de não gostar, mas primeiro, lê! É que a tua versão do post em Saramaguês só revela que não o leste!
É verdade que ele faz um uso da pontuação no mínimo peculiar (e já estou a ser simpática ;)), mas se tivesses lido o que quer que fosse do Saramago saberias que ele separa as frase com vírgulas :P

Rafeiro Perfumado disse...

Esquilinho, e antes de dizeres que eu não li, lê tu o meu texto, especialmente a frase "É que houve um dia em que estava a ler O Evangelho segundo Jesus Cristo". E se isso te fizer feliz, posso bem colocar uma vintena de vírgulas no texto à Saramago. ;)

Anónimo disse...

Tomarias tu chegar aos calcanhares do José Saramago!

Rafeiro Perfumado disse...

Ó anónimo, considerando que o jove está reduzido a cinzas, isso não será muito difícil...

Kássia Kiss disse...

Ó Rafeiro, a segunda versão do texto está uma maravilha, devias escrever sempre assim... ;)
Bem, se conseguir cativar o leitor deve ser uma das características do bom escritor, que dizer do Lobo Antunes?
Além disso, esqueces-te que o Nobel foi atribuído por um júri sueco, que não sabe português e teve que se contentar com a tradução. Quem te garante que leram mesmo Saramago? Ou que na Suécia não se usa pontuação?

BS of Life disse...

Detesto o Saramago! Primeiro não escreve bem, segundo era anti-Portugal, quem renega a sua origem não é boa gente!

Dragão Azul disse...

Há uns tempos a traz pensei eu... depois do desacordo ortográfico agora querem que nenhum aluno chumbe na escola... ora se um aluno chumbar a português passa na mesma isto sera para dizer que o Saramago é que tem razão e o resto do pessoal é que escreve mal?

Só falta entregar o resto do país a Espanha.

TM disse...

E por sorte ainda foste a tempo do jantar.... Devia ser um livrito mais piqueno...

Padre confessor disse...

Pois eu não sei se gosto de Saramago ou não...

Há 4 livros que adoro e aí leio um grande escritor e depois há uns que só dão mesmo para fazer chegar o sono mais depressa.

Fa menor disse...

:)
Na segunda versão também te esqueceste das maiúsculas no início de cada frase

Tulipa disse...

Eu gosto de saramago, não particularmente da falta de pontuação, mas de tudo o resto...e isso importa, sim? Mas não é fácil de ler.

CF disse...

Pois que eu adoro todos os livros que já li do dito Senhor... Mesmo :)

maria teresa disse...

Eu gostei de alguns livros de Saramago pelo conteúdo poucos é certo posso citá-los mas não o vou fazer ele disse já não diz que escrevia como o povo que ele tanto amava e defendia por terras de Lanzarote falava por isso decidiu não pôr vírgulas nem pontos e muito menos travessões o pior é que esse povo amado não compreende nada do que ele diz os livros escritos por ele alguns não conheço e recuso-me a conhecer estupidez minha talvez quem sabe mas por vezes sou ressabiada e não vou dar mais um tostão a ganhar à conta dele posso ler por curiosidade mas à borla alguém que mos empreste como ia dizendo ele escrevia para ser compreendido por um meio mais ou menos intelectualizado no coração do qual existem algumas pessoas bem intencionadas com é o meu caso e com este meu texto vou candidatar-me à comentadora com mais estilo na blogosfera embora os meus intestinos se revoltem e vá ter que ler o texto todo para verificar se inadvertidamente deixei ficar um ponto uma vírgula ou afins além disso a minha filha deve pensar que adormeci pois vou aparecer na praia à hora de me vir embora com esta termino e ponto final sem parágrafo

Vício disse...

eu nunca vi um rafeiro herbívoro mas se não gostas de saramagos comes outra coisa qualquer...

em relação aquele comentário de "chegar aos calcanhares do saramago"... concordo com o comentário!
atendendo que ele foi cremado não vai ser fácil descobrir onde é que ele tem os calcanhares, não achas?

Rafeiro Perfumado disse...

Maria, Teresa, parece que, ele, afinal, colocava vírgulas a separar, as frases o que, sinceramente, não, considero ser, grande coisa, mas, uma coisa é, certa, o tipo vende e agora, até, tem uma fundação, para defender, a cultura, portuguesa e tudo, claro, que a fundação é gerida, por uma, espanhola, mas, o que é que, isso importa? Beijocas, para ti, e uma boa estadia na praia, sacana.

Kapikua disse...

eu continuo a chamar-lhe estilo literário.
Tal como chamo ao Valter Hugo Mãe que não usa maiúsculas (nos seus livros).
A diferença é essa, Saramago usa a pontuação de forma peculiar nos seus livros.
É a mesma coisa que dizeres que um pintor, pelo facto de distorcer a cara de um retratado, não sabe pintar.
As considerações à pessoa não comento embora discorde, mas em tom provocatório assumido, pergunto-te se bom Português foi o Salazar, que nem de cá saía e foi sempre muito respeitador das nossas tradições seculares!

Grande abraço

AEnima disse...

Para mim Saramago e' um gosto adquirido. Tentei inumeras vezes ler o Memorial desde a adolescencia... desistia sempre la para a pagina 15. Depois fui pegando noutros e largando igualmente, perdendo o interesse rapidamente. Cheguei a dizer que nao gostava, nao atinava com o estilo dele.. por muito bom que fosse, nao era para mim! Ate que o ano passado me ofereceram o Caim e num fim de semana bristoliano de chuva peguei nele e nao o pousei ate ter "terminado a frase". Tivesse sido a saudade de lingua, de ler em portugues, fosse o que fosse. Gostei. E percebi. Tornei-me fa.

Revi-me nas ameijoas. Nunca gostei de marisco toda a minha vida ate um dia... ha meia duzia de anos atras, ter apreciado o meu primeiro arroz de marisco... ao ponto ate de ameijoa 'a bulhao pato ter passado a ser o meu prato favorito, conseguindo come-las de manha, almoco, jantar e ceia.

Quanto ao Saramago, fiquei triste com a sua morte pq la se foi mais um icone portugues. Mas ja se sabia que nao era eterno, e nao tenho pena pelo homem em si. Felizmente deixou a obra para eu continuar a descobri-lo.

Beijinhos

Rafeiro Perfumado disse...

Kapikua, o Oliveira Salazar foi considerado o maior português de todos os tempos (por um célebre concurso televisivo), facto sobre o qual falei há uns tempos. A minha opinião? Uma grandessíssima besta, pois quem manda prender, torturar e matar não merece mais do que ver as suas partes íntimas serem espezinhadas por uma manada de búfalos que corre a caminho da Clínica de emagrecimento. Abraço, um bocadinho maior que o teu!

AEnima disse...

Ah... e quanto 'a historia de ele renegar as origens, nao e' bem assim. O que ele dizia e' que Portugal nunca fez nada por ele (e ainda lhe censurava as obras!). E nisso ele tem razao. Alias, Portugal tb nunca fez nada por mim, nunca me ajudou qdo lhe pedi financiamentos/bolsas/empregos etc... tudo por causa de "tecnicalidades" que desqualificar pessoas capazes mas que simplesmente nao conhecem as pessoas "certas", ou pertencem 'as familias "certas" ou ate com as cores "certas".

Aos incomodos, como ele, como eu, como tantos outros portugueses, fica o apoio no estrangeiro, que nos acolhe, respeita e valoriza e claro, um certo ressabiamento pelas instituicoes da patria. O que esta longe de significar uma renegacao das origens!

maria teresa disse...

rafeiro me explica em português de portugal que tem salazar a ver com saramago, para além de usarem calcinhas? será que usavam meu?

nota: ler com sotaque brasileiro.
a praia matinal se foi!maldita internet...

Kapikua disse...

hehehehe!

é tb por isso que eu gosto de ti Rauf, por teres um piadão! E gosto de não concordar sempre contigo, faz parte!

Abraço regular!

art.soul disse...

estás no teu direito, carago!
não gostas, não lês.
eu amo, e leio todos.
não gosto de fígado mas adoro tripas.
não gosto de U2 e eles ganham prémios e eu sou feliz.

acho que o "meu" Saramago sabe tanto escrever como o Picasso desenhar(e para bom entendedor...).
Sabes, não temos todos de gostar de "pintar dentro das linhas" e representar o céu na cor azul mas são para mim essas as pessoas que mais interesse dão a este nosso cantinho no universo.
e atenção que falo em pessoas que dedicam a vida a um conceito, e o estudam e praticam, não meros casos isolados de devaneios momentâneos.
o problema está que normalmente, quem vê um quadro, ou lê um livro, ou ouve um cd sem conhecer o conceito, não o entende, e isso é legítimo, tal como é legítimo não o querer compreender.

acho que o Saramago, como outros artistas, é o chamado "think outside the box", e eu ADORO isso;)

beijocas

Otário disse...

o saramago 'enche chouriços', metade de uma obra dele são pormenores que pouco importam. o último que eu li, as intermitências da morte, colocou-me uma certa raiva em certas partes. Ele utiliza bastante a lógica dos contrários; a morte entrou em casa e deparou-se com uma porta fechada, que não estando aberta, não servia para entrar (mais elaboradamente...). Mas... confesso, porém, que o Saramago nunca se me cativou muito, e não é um dos escritores que tenho em conta. Prefiro ler Gabriel Garcia Marquez, ou mesmo até o Haruki Murakami. Por outro lado, tenho respeito pelo senhor, pelo que fez, e leio-o de bom grado...

aka pink disse...

Que rafeirice, claro que Saramago conseguia ser secante, mas pronto é Saramago, tens de dizer que gostas, se não não és intelectual :p

cassamia zaratustra das metamorfoses disse...

eu adoro o saramago e considero a sua escrita brilhante,mas acima de tudo respeito a liberdade de opinião de cada um,bem como o seu gosto pessoal, pelo que acho que deves continuar a ladrar sobre tudo o que bem te apetecer ;)

Rita, a dogmática disse...

Ora eu lá ando em volta do Memorial do Convento, e só posso dizer que não consigo passar das vinte páginas por motivos sérios de incompreensão de, entre outros, quando são as personagens ou o senhor a falar.
Por enquanto, lá fica ele na prateleira, e deve ficar mais uns tempos, até criarem uma versão perceptivel ao comum português.

Manuela disse...

Pois eu não gosto,de toda a escrita do Saramago. Já li alguns dos livros, mas cansam-me, não é uma leitura que me dê prazer, que flua.
Admiro(va), o homem, principalmente a sua frontalidade, as suas opções de vida.

Carlos II disse...

Mai nada, Eu também não gosto do homem, principalmente pelas suas posições políticas, Depois aquela mania de querer que o mundo seja como ele o deseja é algo insuportável, Já não concordo que ele não tivesse imaginação.
Rafeiro, lê o "Ano da Morte de Ricardo Reis"

Um abraço

Janita disse...

Estou de acordo contigo a 100%, Rafeiro e nunca escondi isso de ninguém.
Excepto nos pontapés e nas reguadas...
O meu genro, que é um admirador incondicional desse senhor e tem todos os seus livros, emprestou-me aqui há uns anos atrás, um dos primeiros livros que ele escreveu "Levantado do Chão". Eu que, por norma, não deixo um livro a meio nem no princípio, chegou uma determinada altura que já sentia náuseas e o recambiei ao dono. Provavelmente os seguintes serão melhores, mas eu fiquei com uma espécie de urticária crónica...vamos lá saber porquê?
Contudo, vamos lá ser mais benevolentes e caritativos Rafeiro, pois se o dito já cá nem está para se defender. A não ser que venha por aí a Pilar...
Há muito tempo que não tinha uma leitura "blogosférica" tão divertida.
Tchau rafeirote cheiroso.

MZ disse...

Saramago sempre foi incompreendido por muita gente.
Ele próprio, pareceu-me um ser revoltado com a sociedade, (é o meu ponto de vista).
Quanto à forma de escrever, tbm concordo contigo. As frases alongam-se e perdemos-nos no contexto.
Todos os livros dele que comprei ficaram a meio. No entanto o 'Ensaio sobre a Cegueira' tem uma mensagem fantástica.
Vê o filme 'Blindness'...


A pontuação...
Sabes que já me deparei com blogues de jovens licenciados em jornalismo e Comunicação Social em que depois de um parágrafo escrevem com letra minúscula?
Isto sim é de bradar aos céus!

bjs

Marta disse...

Eu também não aprecio, não tenho nada contra mas não sou fã.
Por isso, conta comigo num eventual clube de não-fãs!

Bjs

esquilinho disse...

Rafeiro: Não ponhas as vírgulas, não! Assim é mais giro, cada um dá o sentido que quer. É a chamada Obra Aberta :D

Daniel Silva (Lobinho) disse...

loool... EU nao quero ser ainda mais papista, mas saramago nunca me cativou como escritor ou como pessoa. Alem do saneamento feito a varios jornalistas no Diario Noticias APENAS porque nao concordava com eles, e para além de um arrogante e altivo de primeira categoria reconhecendo-se a ele mesmo um merito que so ele vê, do alto da sua superior inteligencia e mundovisao (tanta que foi para Lanzarote e escamoteou que nunca deixou de gostar de Portugal, claro que nao, pois entao...) e tanmto mais que havia a dizer... como escritor nunca me foi apelativo nao apenas pela pontuaçao que tao bem caricaturaste.

As historias dele são-me 90% dos casos quase ininteligiveis e desprovidas de apelo para uma leitura imparável, e embora lhe reconheça mérito como escritor ja que nao é apenas por nao gostar do estilo nem do conteúdo que lhe retiro o mérito, mas não à escala com que o pintou, com que se fez pintar e com que o endeusam.

Como dizes, se formos pelo estilo, qualquer aluno se torna um escritor estiloso ;) Isto faz-me lembrar um pouco o Manoel de Oliveira: ok, ele é um guru do cinema, mas eu so consigo bocejar ;)

Muito bem trazido, rafeitro, e se volta e meia recolocares posts, so fazes bem :) Ha demasiada informaçao para conseguirmos tudo... mesmo o que ja tenhamos comentado noutras alturas ;)

É sempre um prazer ler-te logo a começar com "PEIDA"... loool... pareço ouvir e ver as varinas "#olhe lá ó freguês, va mas é levar na peida que a chaputa é melhor que o caviar"...

abraços

Rakiel D´O disse...

É pá e lido isto apraz-me apenas dizer que fico feliz de não ser a única a achar que o sr Saramago podia ter tido mais sorte na vida se lhe tivessem dado umas berlaitadas à maneira quando escreveu o primeiro livro. Para partilhar o teu génio oh rafeiro! e não o do tal Saramago dei férias à sinalética da frase e deixo um grande bem haja à farmaceutica que comercialza o Ventilan onde eu darei uma bombada depois de reler tudo o que escrevi.

Templedread disse...

Adoro os teus textos, Rafeiro e admiro-te como escritor. Compreendo que não gostes de Saramago, mas daí até dizer que ele não sabia fazer pontuação vai um longo caminho. Para afirmares isso é porque nunca leste uma das crónicas dele, em que a pontuação está muito bem colocada. Acontece que quando se trata de texto literário deve de haver liberdade para infringir regras e criar o nosso próprio estilo.
Só faltava também escreveres que não gostas de Kandinsky, afirmando que ele só sabia fazer rabiscos, quando na verdade sabia pintar com realismo, apenas achava que não era esse o caminho da arte no seu tempo.

Cumprimentos,

André Gonçalves

P.S.: Que fique claro que só estou a dar a minha opinião, continuo a adorar o retrato que fazes da sociedade!

Patrícia disse...

Ó Rafeiro, tu estás a pedi-las....
Ok, concordo contigo em relação à escrita. Também me parece um esticar de corda dizer que ele é fantástico na gramática. E percebo perfeitamente que não o consigas ler precisamente por causa disso (a mim acontece-me mais ou menos o mesmo).
Mas uma coisa também tem que ser dita: imaginação não lhe falta. E ele consegue cativar (alguns) leitores. Portanto 2 em 3 não é assim tão mau...
:)

Felina disse...

E o Picasso que achas dele? ele pinta os olhos no lugar da boca, coloca os braços na barriga, pões escadas a sair conta a parede, cá para mim ele não sabe pintar mas porque será tão famoso?

Rafeiro Perfumado disse...

Templedread, que nem por sombras fique a impressão que eu me considero escritor e que possa ter termo de comparação com o Saramago, sei muito bem o meu lugar e garantidamente não é no meio literário. Calhou hoje falar dele, como amanhã poderei falar do Cristiano Ronaldo (apesar de eu ter sido um ponta-de-lança bastante jeitoso no Galitos FC)! Abraço!

Teté disse...

Eheheh, concordo contigo! Mas apenas parcialmente, porque, ao contrário de ti, nunca consegui ler nenhum livro dele até ao fim... a história da falta de pontuação (ou estilo de pontuação, se assim preferirem) dispersa-me da leitura propriamente dita!

Aliás, ainda quando da morte dele, quando uns se desfaziam em louvores ao escritor e outros o criticavam, houve alguém que escreveu que um puto que fosse fazer um exame de português ao "estilo Saramago" seria certamente reprovado, pelo que não se entende a dualidade de critérios - se é Saramgago é estilo, se é um aluno é burrice???

Outra coisa que não gosto é aquela velha mania dos portugueses elevarem todos os mortos a santo: o homem estava longe de ser pêra doce, mas assim que morre só lhe faltava a auréola! Neste caso nem foi mais, dada a sua incompatibilidade com os membros da Igreja! Que por acaso era das características dele que mais gostava - não teve medo de dizer o que pensava sobre o Antigo Testamento e a Igreja! Sem papas na língua e até bastante racionalmente... :)
Mas pronto, lá porque morreu (num dos elogios até li alguém dizer "ainda tão novo"?!?), não se vai passar a gostar dos livros dele! Pelo menos, sei que eu não vou!

Beijocas

Malena disse...

Eu gosto imenso de Saramago! Diverti-me muito com O Evangelho Segundo Jesus Cristo e com Caim e chorei com o Ensaio Sobre a Cegueira.
E sim, li os livros do senhor antes de ele ter morrido! :))
Isto dos gostos literários é mesmo assim! Cada qual com os seus! Senão quem leria as MRPs deste mundo? ;)

HM disse...

NÃO SEI QUEM É ESTE - ANTÓNIO DE OLIVEIRA MARTINS, o que sei é que me revejo em boa parte (registe-se "PARTE" do que escreveu
Culturalmente incorrecta, lá terei que rezar uma novena inteirinha, carago!


José Saramago: Na morte de um homem mau

Morreu um homem amargo e mau, incapaz de sorrir, que se esforçava por tornar a sua Pátria amarga, como ele.
José Saramago, era de facto um homem mau. Provava-o a sua cara vincada incapaz de exprimir um sorriso, prova-o a sua escrita prenhe de ódio e crítica aos valores mais normais e caros à civilização que o viu nascer, valores esses que ele, com as suas ideias, suas declarações e sua obra, renegou em Lanzarote. Será que no fundo, Saramago, para além do seu marcado azedume e soberba, tinha valores? Nunca o saberemos.
Repito, José Saramago era um homem mau. Que o digam os seus colegas, que em pleno período revolucionário foram vítimas de saneamentos selvagens. O homem, nessa época, tinha o “estribo nos dentes”, e era imparável algoz como sub-director do Diário de Notícias. Tinha por desporto arruinar a vida de quem não era comunista como ele.
Foram 87 anos de infecundidade, travestida de um aparente sucesso, revelado pelos livros que vendeu, e pela matreira estratégia de marketing que o conduziu ao Prémio Nobel, em detrimento de outros escritores Lusos, genuinamente com mais categoria e menos maldade crónica do que ele. Penso, por exemplo, no insuspeito Torga.
Tentei ler dois livros dessa personagem, para com honestidade poder dizer que, para além de não gostar dele como pessoa, o não considerava como um bom escritor, e que ofendia na sua essência a cultura Cristã da nossa Grei. Consegui apenas ler um, e o início de outro. A sua escrita, para além de ser incorrecta, era amarga como as cascas dos limões mais amargos. A sua originalidade era, afinal, o sinistro das suas ideias; o que, convenhamos, é pouco original. É mais fácil ser sinistro, provocador e mau, do que ter categoria, e valor. Saramago optou pelo mau caminho, como sempre, o mais fácil. E teve aparentemente sorte, na Terra, que a eternidade pouco lhe reservará.

(continua já a seguir....)

António de Oliveira Martins - Lisboa

HM disse...

"Fiquei contente quando ameaçou (apenas ameaçou, porque na realidade a sua vaidade não lho permitia praticar), nunca mais pisar solo Pátrio. Uma figura como ele, é melhor estar longe da Pátria que em má hora o viu nascer. Afinal de que serve a este Portugal destroçado, um Iberista convicto, ainda para mais, estalinista? Teria ficado bem por essas ilhas perdidas de Espanha, não fosse uma série de lacaios da cultura dominante “chorarem” por ele, por aqui por terras lusas, alimentando-lhe a sua profunda soberba.
Para além da sua obra escrita, de qualidade duvidosa e brilhantemente catapultada por apuradas técnicas comerciais que lhe conseguiram um Prémio Nobel da Literatura, (prémio com cada vez menos prestígio devido à carga política que contém), nada deixou em herança, para além de certamente muito dinheiro, o que é um contrasenso para um qualquer estalinista como ele. Mas a sua existência foi um perfeito logro. Foi uma existência desnecessária.
Saramago afastou-se da Pátria, e estou certo de que a Pátria, no seu todo mais puro, que não no folclore da "inteligentzia", não teve saudades dele. Foi uma bandeira da esquerda ortodoxa, e também da esquerda ambígua, essa do Primeiro-Ministro que nos desgoverna. Dessa mesma esquerda que decidiu usar o nosso dinheiro, para trazer em avião da Força Aérea Portuguesa, os seus restos inanimados para Portugal, a expensas de todos nós, e infamemente coberto com a Bandeira Nacional. Um Iberista, coberto com a Bandeira Nacional, que Saramago ofendeu vezes incontáveis, na essência da sua obra, e no veneno das suas declarações públicas. Era um relapso. Um indesejável.
Um homem que voluntariamente se afastou da sua Pátria, comentando-a de uma forma negativa no Estrangeiro, não é digno de nela entrar cadáver, coberto com a sua Bandeira. A bandeira de Saramago, era a do ódio, da arrogância, e da maldade praticada.
Mas os símbolos Nacionais estão hoje nas mãos de quem estão, e a representação das “vontades” Nacionais, está subordinada a quem está: à esquerda, tão sinistra como foi Saramago. Assim sendo, as homenagens que lhe fazem, incluindo os exagerados e ilegítimos dois dias de Luto Nacional, valem o que valem, e são apenas um acto de pura “camaradagem”, na verdadeira acepção da palavra. Quem nos desgoverna, pode cometer as maiores atrocidades, que ao povo profundo só resta pagar, e calar. Até ver."

(e ainda não acabou, eheheh)

HM disse...

"Fiquei contente quando ameaçou (apenas ameaçou, porque na realidade a sua vaidade não lho permitia praticar), nunca mais pisar solo Pátrio. Uma figura como ele, é melhor estar longe da Pátria que em má hora o viu nascer. Afinal de que serve a este Portugal destroçado, um Iberista convicto, ainda para mais, estalinista? Teria ficado bem por essas ilhas perdidas de Espanha, não fosse uma série de lacaios da cultura dominante “chorarem” por ele, por aqui por terras lusas, alimentando-lhe a sua profunda soberba.
Para além da sua obra escrita, de qualidade duvidosa e brilhantemente catapultada por apuradas técnicas comerciais que lhe conseguiram um Prémio Nobel da Literatura, (prémio com cada vez menos prestígio devido à carga política que contém), nada deixou em herança, para além de certamente muito dinheiro, o que é um contrasenso para um qualquer estalinista como ele. Mas a sua existência foi um perfeito logro. Foi uma existência desnecessária.
Saramago afastou-se da Pátria, e estou certo de que a Pátria, no seu todo mais puro, que não no folclore da "inteligentzia", não teve saudades dele. Foi uma bandeira da esquerda ortodoxa, e também da esquerda ambígua, essa do Primeiro-Ministro que nos desgoverna. Dessa mesma esquerda que decidiu usar o nosso dinheiro, para trazer em avião da Força Aérea Portuguesa, os seus restos inanimados para Portugal, a expensas de todos nós, e infamemente coberto com a Bandeira Nacional. Um Iberista, coberto com a Bandeira Nacional, que Saramago ofendeu vezes incontáveis, na essência da sua obra, e no veneno das suas declarações públicas. Era um relapso. Um indesejável.
Um homem que voluntariamente se afastou da sua Pátria, comentando-a de uma forma negativa no Estrangeiro, não é digno de nela entrar cadáver, coberto com a sua Bandeira. A bandeira de Saramago, era a do ódio, da arrogância, e da maldade praticada.
Mas os símbolos Nacionais estão hoje nas mãos de quem estão, e a representação das “vontades” Nacionais, está subordinada a quem está: à esquerda, tão sinistra como foi Saramago. Assim sendo, as homenagens que lhe fazem, incluindo os exagerados e ilegítimos dois dias de Luto Nacional, valem o que valem, e são apenas um acto de pura “camaradagem”, na verdadeira acepção da palavra. Quem nos desgoverna, pode cometer as maiores atrocidades, que ao povo profundo só resta pagar, e calar. Até ver."

(e ainda não acabou, eheheh)

HM disse...

Ai o catano, até me repeti :(((

"Amanhã, Saramago mergulhará pela terceira vez nas chamas. A primeira, terá sido quando nasceu, e ao longo de toda a sua vida, retrato que foi de ódio e maldade pela sua imagem espelhados e espalhados; a segunda, terá sido quando o seu corpo ficou irremediavelmente inanimado, e estou certo de que entrou no Inferno, a confraternizar com o seu amigo Satanás; a terceira, amanhã, será quando o seu corpo inerte e sem alma, entrar para ser definitivamente destruído, no Crematório do Alto de S. João.
Será um maravilhoso e completo Auto de Fé. O Homem e a sua obra venenosa, serão queimados definitivamente nas chamas da terra, que nas da eternidade já o foram no dia em que morreu.
De Saramago recordaremos um homem que não sabia rir, que gostava certamente muito de dinheiro, e que o terá ganho, que era mau e vaidoso, e que o provou ao longo da sua vida, que quis viver longe da sua Pátria por a ela não saber ter amor, e que foi homenageado por meia dúzia de palhaços esquerdistas, “compagnons de route” coniventes com um dos últimos fósseis estalinistas, que ilustrava uma forma de estar na vida e na política sem alma, amoral, e que globalmente contribuiu para a destruição de toda uma Pátria, e suas tradições.
Ocorreu ontem, quando soube que este cavalheiro de triste figura tinha morrido, que estaria por certo no inferno, sentado com Rosa Coutinho, também lá entrado há poucos dias, à espera de Mário Soares e Almeida Santos, para os quatro juntos jogarem uma animada e bem “quente” partida de sueca...
O País está mais limpo. Um dos maiores expoentes do ódio e da maldade, desapareceu da superfície da Terra. Espero que a Casa dos Bicos, um dia possa ter melhor função, do que albergar a memória de tão pérfida personagem. As suas letras, estou certo de que cairão no esquecimento, ao contrário das de Camões, Torga ou Pessoa, entre muitos outros.
Apesar de tudo, e porque sou Católico (e porque a raiva não é pecado), que Deus tenha compaixão de tão grande pobreza, mas que se lembre fundamentalmente de nós, de todos os Portugueses íntegros que tentamos sobreviver com dificuldade, neste Portugal governado pelos amigalhaços do extinto, que apesar do luto em que fingem estar, mas que na verdade não sabem viver, continuam a todo o custo a viver o enorme bacanal que arruína Portugal...
No fundo, no fundo, e porque as palavras as leva o vento, que Deus tenha piedade de tão grande pobreza! Cabe-nos perdoar. Mas não temos que esquecer!"

António de Oliveira Martins - Lisboa

HM disse...

Amanhã, haverá mais!!!
(hummm, será que aquela virgulina tá no lugar certo???)

Beijos rafeirosos

Sónia Caires disse...

Olá!
Respeito a tua opinião em relação ao não gostares de Saramago...eu Adoro Saramago, adorei ler o livro um Ensaio sobre a Cegueira...e acho que ele tinha muita razão quando dizia a nossa sociedade vive numa Cegueira.Tinha uma Visão muito a frente...
Já tenho o livro CAIM...
Beijos... e não resmungues tanto.

.I. disse...

Tu és do caralho, pá (que é o mesmo que dizer que vieste do mesmo sítio que toda a gente... excepto o Durão Barroso, que é o cruzamento entre um boneco qualquer dos Marretas e um peixe-palhaço... pronto, é só palhaço... ou será cherne?... que chatice!).

ematejoca disse...

Eu cá estou como a tola no meio da ponte, não sei, se gosto ou não de Saramago.
Primeiro, recusei uma rua chamada Saramago na minha cidade invicta.
Do que li dele, gostei.
Como eu própria, não sei fazer a pontuação correcta, nem reparo na pontuação errada dos outros.
De qualquer modo, diverti-me imenso ao ler o teu texto, meu cachorro provocador!!!

Caia disse...

Como não gosto de Saramago, fiquei na primeira parte do texto.
Estou perdoada? :P

Rafeiro Perfumado disse...

HM, consegui ler tudo, mesmo o comentário repetido! Eu não gosto de Saramago, mas esse António deve ter sido sodomizado por ele! Beijocas!

mjf disse...

Olá!
Eu, pessoalmente tenho livros que acho " intragáveis " :=((
Mas ele é muito conceituado e admirado fora do nosso País, essencialmente na Suécia onde dava palestras quase anuais, e adoram-no...
Talvez isso fizesse com que tivessemos o nosso Prémio Nobel !!!

Beijocas

turbolenta disse...

Já dei a minha opinião no outro dia. Não consigo ler nenhum livro dele.Não gosto do seu estilo.Não aprecio a sua escrita.Não admiro a pessoa que foi. Considero-o um revoltado, uma pessoa azeda, de mal com a vida.
Não esperava que a "história ou estória" se prolongasse na pessoa da Pilar. Afinal: tinha ou não razão quando dizia que ela era, tal como ele, uma grande oportunista?
Só não esperava mesmo que a dita senhora agora também quisesse ser portuguesa.
Fogo! é o cúmulo. Pessoas que agem apenas conforme os interesses de momento.
Nem me alongo mais. Voltei de uns dias de férias e venho mais cansado do que fui.
beijos

Louise disse...

Afinal, depois de ler o teu post e vários comentários, chego à conclusão que não estou sozinha no mundo.

Também eu não gosto, nem nunca gostei, de Saramago.
E o problema é que até parece que é crime - ou estupidez e falta de cultura - não gostar do senhor.
Não gosto como escritor e muito menos como personalidade.

Infelizmente o povo português não só gosta de mandar abaixo tudo o que é nacional com sucesso, como também gosta de enaltecer quem é famoso por razões polémicas.

Janita disse...

Terapeutico Rafeirito, nem calculas as saudáveis gargalhadas que o teu comentário me provocou...
Seria imperdoável da minha parte ir de férias sem te dizer isto.
Voltarei breve e tenho a certeza que nos vamos ( ou vou?..) divertir bastante.
Se eu fosse a ti começava a cobrar ( uns cobres) por todo esse teu contagiante sentido de humor. Um pouco cáustico, é verdade.. mas que faz inteiramente o meu género.
De tristezas estou eu farta...ainda por cima não pagam dívidas!.
Wait for me little dog..

Tixa disse...

ui ui... eu tambem não... bem... como dizer.... hummm.... digamos que o Saramago tambem não faz o meu gênero... não é muito a minha onda... não gosto, pronto!
Ele até pode ter uma boa imaginação... mas quanto a passa-la para o papel, o vulgar escrever vá, digamos que amontoa a palavras...


`Beijocas

Patricia disse...

finalmente encontro gente que, como eu, NÃO GOSTAM DE SARAMAGO!

pois... nem mesmo depois de morrer..

Felicidades

Sérgio Pontes disse...

Lol, só tu!

Kapikua disse...

Posso aconselhar-vos a leitura desse tal de António de Oliveira Martins, citado pelo HM?

Procurem por ele sff e vejam de que merda é feita!

dá-me a sensação que o Martins é só para disfarçar

HM disse...

Ora, se ontem era para amanhã, então é hoje....
eheheheh, sodomizado?!
Que dirás tu do Vasco? O Vasco às vezes é Valente, loooooool.

"O problema com o furor que provocaram os comentários de Saramago sobre a Bíblia (mais precisamente sobre o Antigo Testamento) é que não devia ter existido furor algum. Saramago não disse mais do que se dizia nas folhas anticlericais do século XIX ou nas tabernas republicanas no tempo de Afonso Costa. São ideias de trolha ou de tipógrafo semianalfabeto, zangado com os padres por razões de política e de inveja. Já não vêm a propósito. Claro que Saramago tem 80 e tal anos, coisa que não costuma acompanhar uma cabeça clara, e que, ainda por cima, não estudou o que devia estudar, muito provavelmente contra a vontade dele. Mas, se há desculpa para Saramago, não há desculpa para o país, que se resolveu escandalizar inutilmente com meia dúzia de patetices.

Claro que Saramago ganhou o Prémio Nobel, como vários "camaradas" que não valiam nada, e vendeu milhões de livros, como muita gente acéfala e feliz que não sabia, ou sabe, distinguir a mão esquerda da mão direita. E claro que o saloiice portuguesa delirou com a façanha. Só que daí não se segue que seja obrigatório levar a criatura a sério. Não assiste a Saramago a mais remota autoridade para dar a sua opinião sobre a Bíblia ou sobre qualquer outro assunto, excepto sobre os produtos que ele fabrica, à maneira latino-americana, de acordo com a tradição epigonal indígena. Depois do que fez no PREC, Saramago está mesmo entre as pessoas que nenhum indivíduo inteligente em princípio ouve.
O regime de liberdade, aliás relativa, em que vivemos permite ao primeiro transeunte evacuar o espírito de toda a espécie de tralha. É um privilégio que devemos intransigentemente defender. O Estado autoriza Saramago a contribuir para o dislate nacional, mas não encomendou a ninguém? Principalmente a dignatários da Igreja como o bispo do Porto - a tarefa de honrar o dislate com a sua preocupação e a sua crítica. Nem por caridade cristã. D. Manuel Clemente conhece com certeza a dificuldade de explicar a mediocridade a um medíocre e a impossibilidade prática de suprir, sobre a tarde, certos dotes de nascença e de educação. O que, finalmente, espanta neste ridículo episódio não é Saramago, de quem - suponho - não se esperava melhor. É a extraordinária importância que lhe deram criaturas com bom senso e a escolaridade obrigatória."

Vasco Pulido Valente

Fernanda disse...

Pois eu ADORO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
e queres saber mais???
Lê bem esta tua frase "É que houve um dia em que estava a ler “O Evangelho segundo Jesus Cristo” e a minha mãe me chamou para almoçar, tendo eu respondido que era só acabar aquela frase.". Agora vê lá se a tua pontuação está correcta!!!
Se calhar está! para mim não!!!
Mas eu consigo ler mesmo sem pontuação alguma!
Desde quando isso é explicação para não se gostar de um escritor???
Depois, Saramago não comprou o Nobel, foi-lhe atribuído por puro mérito! Doa a quem doer!!!

Fica bem.

Anónimo disse...

Também não gosto do que o Saramago escreve.E gostos não se discutem.No entanto, achava-o divertido nas intervistas que deu.
É óbvio que também não gostava nada de nós...a quem pretendia chocar. Chocar o mais possível, ora de forma maviosa em longos textos sem pontuação, ora com outros temas que considerava "bombas artilhadas" a activar para nos explodir na cara.
Enfim, vi a última entrevista que deu à televisão...bem conversadinho lá foi admitindo que chamar a Cristo filho da puta...no seu último livro, talvez tivesse sido... excessivo....
Lol!

Mara

Anónimo disse...

"ENTREVISTAS"...
(Credo !!!)
Mara

Maria Santos disse...

Acreditas que um dia me deixei dormir a "tentar" ler uma das secas de livro que o velhadas tinha escrito?
Eh pah... nem me lembro qual era... não interessa... adormeci e acordei com uma p... duma dor de cabeça! Bom sinal! É sinal que tenho cabeça e nunca mais olhei para um titulo do gajo sequer!
Cruzes, credo, canhoto... dinheiro mais mal gasto na compra de livros do "xelentissimo", Deus o tenha em bom descanso!!!! ou o Diabo... ou o que ele quiser!
Isto sou eu a pensar...

Rafeiro Perfumado disse...

Mara, se bem que, nesse ponto, a história do nascimento do JC está muuuuuito mal explicada! ;)

aespumadosdias disse...

Os leitores que coloquem a pontuação Gostava das polémicas que ele trazia à praça pública com o que ia escrevendo Faz falta

paulofski disse...

Até parece que o homem já nem come criancinhas ao pequeno-almoço!!! Morreu e pronto, está cromado e tão pouco anda por aí a dizer "mesmo que digam mal falem de mim...falem de mim..."

E eu também não gosto de caracóis mas, e se um dia provar um e vier a gostar, hummm?

Hyndra disse...

:D Engraçadíssimo o teu post.
Eu já tentei, mas não encaixo bem com o "estilo" dele por isso posso dizer que também não gosto. Que lhe dê o valor quem sabe apreciá-lo.

HM disse...

Kapikua

O texto do tal António de Oliveira Martins foi citado pelA HM, não "pelo".
Se é feito de merda, não faço a mínima, mas se leu com atenção o breve intróito ao mesmo, fiz questão de registar que me revia no escrito numa parte dele e não no seu todo, porque tudo o que me cheira a fundamentalismo afugenta-me!
Já agora fica o link para não haver muita canseira de mais um texto do AOM:
http://bloguedenotas.blogspot.com/2009/07/antonio-de-oliveira-martins.html

Pessoalmente, se houver qualquer interesse nisso, não gosto de Saramago, nem como escritor e muito menos como pessoa.... até há pouco tempo Portugal era trampa, agora sua alteza real enviuvada pretende a nacionalidade portuguesa. Até eu, se estivesse em causa uma fundação cujos alicerces dúbios só podem advir das fundações do convento de Mafra.
Até é bem provável que uma maioria significativa desconheça a obra do falecido, contudo parece que virou tudo enciclopédia. Não fosse a proibição do tal Segundo qualquer Coisa, e o homem continuaria a berrar "abaixo a pátria"... e a cantar "puerra y olé", e o prémio atribuído tendo em conta critérios que são públicos quando são, seria visto por um canudo em Bracara Augusta.
Se a obra é reflexo do homem, estamos conversados. Se me desse na veneta não pontuar a merdunca deste comentário seria uma besta ignorante, se fosse o dito era coisa de génio.
Querem dar protagonismo a alguém? Façam o favor de censurar e proibir. É a cereja no topo do Memorial.
Muito conhecedor do evangelho, das filosofias apostólicas romanas, nunca percebi a razão de sair do nada determinados comentários. E por que raio nunca abordou ele o Corão?!?!
Pelo menos, espero bem, não terei que ouvir nos próximos tempos que "Portugal deveria ser uma província espanhola".

Puerra y oléeee!!!!!

Ana disse...

Concordo. Não gosto de autores que acham que para escrever bem têm de escrever de forma dita "cara". s palavras simples têm o mesmo efeito, agradeço não ter de estar com um dicionário á beira para ler um livro!

Não gosto e não é por ter sido Nobel que gostarei. Nem por ter morrido.

JE VOIS LA VIE EN VERT disse...

Do escritor Saramago, não posso dizer se gosto ou não, visto nunca ter tido vontade de ler os seus livros. Se os portugueses têm dificuldades em ler os seu livros, que dirá uma belga ? Além disso, não gosto dos temas dele e particularmente, não gostava da sua posição em relação à minha religião e o seu ar "vocês não prestam, sou o melhor" mas como faleceu, não o criticarei mais.
A propósito, já acabaste de ler o Evangelho ? Olha que o original tem pontuação...
Beijinhos
Verdinha

.I. disse...

Ok, eu venho aqui experimentar um pequeno jogo. Chama-se:

PROVOCAR RESPOSTAS ODIOSAS

E é assim:

Em relação ao Saramago, só há uma única vez em que ele respeitou impecavelmente a pontuação. Concretamente, o ponto final que colocou na sua vida (esperem lá... ah, não foi ele).

BRING IT ON, BITCHES! (também serve para bitchos)

Luis Bento disse...

Digamos que... Saramago é um escritor... do outro mundo...

Sandra disse...

O homem já morreu...deixem-no lá em paz!

Isto já parece daquelas homenagens póstumas mas ao contrário...em vez do óscar...ganha um razzie! Como se isto lhe fizesse diferença...ou a nós...

;)

Sandra disse...

O homem já morreu...deixem-no lá em paz!

Isto já parece daquelas homenagens póstumas mas ao contrário...em vez do óscar...ganha um razzie! Como se isto lhe fizesse diferença...ou a nós...

;)

.I. disse...

Eu não sei de quem é que estão para aqui a falar, esse tal de Sara... Sara... Sarabago, ou lá o que é (ele era um cantor rock, não?). Enfim. Eu quero é rir-me.

Franck disse...

Um amigo português indicou-me aqui esse espaço, gostei do vi e li, voltarei outras vezes! Abçs!

Pedro Pisco disse...

Eu ando tão baralhado com esta questão do acordo ortográfico que desisti... Sou um pouco como Saramago. Escrevo como me apetece e desculpo-me com a "liberdade criativa".
Parabéns pelo Título. Sem papas na língua... Até parece que fui eu que o escrevi ;)

Kapikua disse...

Cara HM

Desculpa não ter entendido o teu género (comigo passa-se a mesmíssima coisa)
Desculpa também tratar-te por tu mas não tomes tal atitude como sobranceira ou de desrespeito.

Fique-mo-nos pelas nossas diferenças de opinião. Eu gosto, tu não gostas.
Eu estimo-o enquanto pessoa tu não.
Eu acho que foi o País/Estado que o desrespeitou, tu achas que ele desrespeitou o País/Estado.
Eu acho que ele tem todo o direito de criticar a Igreja Católica, tal como tu tens todo o direito de criticar uma instituição que mão aprecies.
Nunca o vi ofender uma pessoa por ser católica!

O facto de dizerem que só lhe foi dada importância enquanto escritor devido às polémicas/publicidade que fez parece-me redutor.
Se assim fosse nunca Saramago seria um escritor universal. E não é só pelo Nobel que o é, até porque, muitos dos galardoados com o prémio não têm a sua dimensão.
Quantos conhecem nomes como Imré Kertész, Elfriede Jelinek ou Le Clézio, todos galardoados na última década?

Em todo o caso estás no teu direito de não gostar da pessoa e da sua obra.
E eu no meu de discordar de ti!

PS: Referi-me a citação que escolheste de AOM porque ao lê-lo fiquei chocado. Nada mais!

A mais nova disse...

Oh vá lá rafeiro, não se pode dizer que alguém que não ponha pontuação nos textos e mesmo assim os deixa perfeitamente compreensíveis, não sabe escrever...

o novo visual do blog é mto bonito, mas agora demora o dobro do tempo a carregar :s

festinhas :)

Kok disse...

Ainda não li nada que o gaijo tenha escrito.
É possível que se os livros dele tivessem desenhos ou fotos de gaijas, eu já tivesse lido.
(e será que têm?)
Mas estou com ideias de ler pelo menos um livro. Depois direi..., ou não!

Felina disse...

No fundo no fundo bem lá no fundo até gostaste da frase que estavas a ler... ou então o almoço não prestava

PKB disse...

ahahahahah por acaso só li dois livros do saramago e gostei de ambos embora reconheça que a falta de pontuação nos faça voltar atrás algumas vezes para ver onde começou o parágrafo o que se torna um pouco confuso como estar agora a escrever sem vírgulas que é que coisa que me faz uma impressão tremenda!

C Valente disse...

Continua a ladrar por muito tempo, o som e a linguagem agradam
Saudações amigas

Sara sem Sobrenome disse...

EU TAMBÉM NÃO GOSTO!
Mas fui obrigada a ler o "Memorial do Convento" no 12º. Ele descreve os actos sexuais de uma forma mesmo... repugnante. Enfim.
Gosto muito de ler. Gosto mesmo. Mas não Saramago. Saramago, cansa. É chato.
Beijo

tialatas disse...

Eu gosto de alguns livros do Saramago mas não troco o meu refeiro por ele. E o meu rafeiro não é perfumado, é mesmo um S.R.D. (sem raça definida) que alça a perna nos postes, pneus dos carros e por aí adiante, espalhando o seu perfume e charme lá pelo bairro. Dá pelo nome de Miró.

E estou a escrever esta mensagem porque não tenho nada para fazer e sofro de uma grande panca por rafeiros e tal como eles meto o nariz em tudo.

Bom fim de semana.

Graça Pimentel disse...

rafeiro
Não penses que és o único. Eu detesto o Saramago. Somoa milhares.
Tenho em casa cinco livros dele e não consegui ler nenhum até ao fim. Aquele em que consegui ler mais parágrafos foi "O ano da marte de Ricardo Reis".
Também não gosto da maneira como ele escreve e o pior é que deixa seguidores. O Valter Hugo Mãe, que podia ser meu filho, vai muito na onda do Saramago. Mas já li um livro dele, sem maiúsculas, sem parágrafos e, não só o li de uma assentada como gostei bastante. Foi "o apocalipse dos trabalhadores".
O ano passado frequentei, como todos os anos, a comunidade de leitores da Biblioteca Almeida Garrett. As obras eram só de malta nova. Fiquei desiludidíssima. Então o José Mário Silva deixou-me com a sensação de que estava a gozar comigo.
Beijo

Rascunhos disse...

Gostar ou não gostar eis a questão. Não gosto nem leio Saramago tal como não gosto nem leio mts outros sejam eles Nobel ou não.
O que faz espécie é que para a maioria, só por ter sido ,parece q é obrigatório gostar . Ora essa!!!

Bjoka ao Rafeiro mais perfumado do universo :)))

Joaninha disse...

Rafeiroso estou contigo,

Não gosto, e não gosto por tantas razões que não me vou dar ao trabalho de enumera-las todas.

Não gosto como escritor, não gosto como pessoa...Não gosto e ponto.

E sim, já li livros do senhor...

blayer disse...

Compartilho o teu desdém pelo homem.

Se bem que, verdade seja dita, Portugal perdeu um prémio Nobel da Literatura, mas em compensação perdeu também o gajo que escreveu o "Ensaio sobre a Lucidez".

MEU DOCE AMOR disse...

Olha que até se leu muito bem o texto sem pontuação que fizeste é que a pontuação é automática ao leres o teu pc mental imediatamente faz e poupa-se tempo e se calhar papel etc

Beijinho doce:)

hesseherre disse...

Mas em todo o caso, no seu discurso de posse do Nobel ele fez um discurso todo dedicado aos velhos avós, já falecidos há muito, e que o criaram, e relata então que a avó, pouco antes de morrer exclamara:
"A vida é tão linda, é uma pena morrer!...." sem queixumes, só constatação.
Esta caixa não podia ficar vazia...

Olhos Dourados disse...

Felizmente encontro alguém com a mesma opinião que eu!!:)

Maria disse...

Não, não sou a única...Não sou a única a não gostar do saramago....;)

Rafeiro Perfumado disse...

Maria, ainda fazemos um clube, cheio de pontos e de vírgulas!

Nuno disse...

es um idiota caprichoso, um puto mimado, sem nenhum gosto ou percepçao sobre o que ´e belo e bem feito

Rafeiro Perfumado disse...

Nuno, não admito que me chamem caprichoso, pá! Idiota, puto, mimado, ainda vá, agora caprichoso?!? E felizmente que para encher o mundo de beleza temos cá exemplares como tu.

.I. disse...

Pequeno apontamento: é possível insultar alguém com muita finesse e humor, ó Nuno, pá (é claro que é preciso possuir essas duas belas qualidades que referi). Mas quando a imaginação é apenas uma miragem, as pessoas ficam-se pela bóbágem (ler com sotaque brazuca).

Ó Rafeiro, que fique claro que não estou a defender-te (não és desses que precisam, nem eu sou o bom samaritano), apenas me apeteceu pegar com o outro (é, neste momento eu tenho mesmo muito o que fazer, já se vê).

(ah!... "sem nenhum gosto ou percepçao sobre o que ´e belo e bem feito"?... cof* panasca cof*)

Rafeiro Perfumado disse...

.i. , nem eu pensaria tal coisa. Só acho que colocaste demasiados pontos e vírgulas no teu comentário para que possa ser inteligível para o Nuninho, pá.

Só sedas disse...

Loool tens cada saida... só rir! E concordo contigo.