Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

quinta-feira, 31 de março de 2011

A minha vénia a ti, trabalhador japonês

Agora que o impacto brutal das imagens do sismo e tsunami no Japão está mais diluído, tenho de desabafar convosco sobre uma das cenas que mais impressão me causou. Refiro-me a uma das filmagens em tempo real do terramoto, que mostra um japonês no seu posto de trabalho, procurando a todo o custo proteger o seu equipamento informático.

Admiro a cultura desse povo, pois não estou a ver isso a suceder em Portugal. E falo por mim, pois mal haja o mínimo tremor na minha empresa e a pilha de documentos que tenho para arquivar voa imediatamente pela janela. O pior é se depois descubro que foi algum colega que fechou a porta com mais força...

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

48 comentários:

Teté disse...

Sinceramente, também não me passava pela cabeça proteger o equipamento informático, da empresa ou caseiro!

Quanto à pilha de documentos, nunca se sabe se uma rabanada de vento os queira levar, como quem não quer a coisa... :)))

Beijocas!

Isis disse...

Deixa-os voar, deixa-os voar, que tu estás-te a cxxxx. LOL. Tão fofinho!

Vício disse...

podes desculpar-te dizendo que ouviste alguém a dizer que fazia arquivo no windows...

Inês disse...

Esta malta que vive para os lados do império do sol nascente preza muito o material de trabalho.

Quanto às folhas, à falta de uma rabanada de vento, podes uma ventoinha, um ar-condicionado, para fazeres uma boa divisão das tarefas.
:)

Susana Gatita disse...

POis... Toca mas é a salvar o coiro, o resto que se lixe... :)

Ana disse...

Eu aproveitava o balanço e dava um empurrãozinho ao patrão. Sim, bem junto à janela.

Orquídea Selvagem disse...

Tu tens um tipo de humor que me encanta: é que a verdadeira "punch line" da piada está cá no fundo em letrinhas azuis!

Beijocas :)

Tulipa Negra disse...

Pois eu tive uma experiência estranha um destes dias. A minha rua está em obras e andaram a alcatroá-la de novo. No fim, passaram os rolos compressores (dos pequeninos, nem sequer era uma máquina grande) e tremeu tudo dentro de casa! Até a loiça tilintava dentro dos armários! Agora sei o que sente a gelatina... :)

Cat disse...

Aqui é mais pessoal a destruir papelada antes que mude o governo... é uma outra espécie de terramoto, bem vistas as coisas :P

MARGE SIMPSON disse...

Mas duvidas que em pouco tempo aquilo esteja normalizado????? A mentalidade deles não é portuguesa.. em que numa obra há 10 chefes e um a trabalhar! Mas isso disse-o sempre! Aliás compara o que aconteceu na Madeira e nada que se compare... e ainda hoje há terras por lá que ninguém lhes pegou porque o interesse é nos lugares turísticos! O japonês fica chateado se não trabalhar...nem férias gostam de ter! Daí, não ser difícil que as coisas por lá normalizem em três tempos!

Dragão Azul disse...

O japonês esatava preocupado com o equipamento informatico... e tu preocupado em atirar os documentos que tens para arquivar pela janela a partye de te meteres debaixo da secretaria fica pa 2º plano.

Se precisares de uma tesoura para cortar o fio diz...

Cão Sarnento disse...

Há que admirar a tua amabilidade por fazeres parece que, em Portugal, é necessário haver um motivo válido para as pessoas se esquivarem do trabalho (és um idealista, é o que és... ahah).

Amelie disse...

E se a janela estiver fechada?

Tio do Algarve disse...

Acho que poria o portatil debaixo de braço e aproveitava para atirar os papéis pela janela...O pior era se me enganava :)

MRPereira disse...

Eu se fosse a ti punha-me fino! É que pode também ser culpa da feijoada do Sr. Joaquim à hora do almoço...

Peter of Pan disse...

Rafa, concordo. A única coisa do local de trabalho que vale a pena proteger são as colegas jeitosas. Tudo o resto pode ir com o tsunami que os pariu. São mesmo diferentes, estes japoneses.

P.S.: Pá, o que se passou com o canito da foto? Aquilo já está para lá de ter os olhos em bico...

Petra disse...

E o civismo nas filas de supermercado?
Realmente temos tanto a aprender com os orientais....

Pitanga Doce disse...

O diabo é se em vez da pilha de documentos, jogas o computador e vai um japonês a passar. Olha o azar do gajo!

Salvador disse...

Ohayō, Rafeiro) )

Saikō no wa, sudeni shorui o teishutsu sa rete imasu. Wareware wa, jishin zōn ni arimasu.

Caia disse...

Que se lixe a mentalidade deles... a empresa onde trabalho é minha e prezo-a muito que me custou a dar cada cêntimo que lá investi, mas primeiro eu!

carol disse...

Por muitas vénias que façamos ao povo japonês, nunca serão suficientes para lhes elogiar a calma, o sentido de cidadania, o sentido do deve, o sentido de estado e sei lá o que mais.
Quando se vão eles "levantar" desta hecatombe? E estamos nós aqui a jogar ao gato e ao rato! Ou seja, ao Sócrates e ao Coelho!

Rauf! Rauf!

the big fox disse...

eu cá p´ra mim o tipo estava a ver pornografia em hora laboral e de tal forma estava embeicado que teve medo que a mocinha tivesse um qualquer traumatismo...
este sim é um verdadeiro gentleman ou lá o que é isso...
abraço

Beth/Lilás disse...

Tens razão Rafeiro!
Este povo tem mostrado ao longo da vida a superação, garra e inteligência. Devemos nos espelhar neles, mas ainda precisaremos de muitos séculos para isto.

Se quiseres brincar um pouquinho, passe lá no meu blog e pegue o seu bichinho.
abraço carioca

Canto Artesanal disse...

Também não era eu que me preocupava com material informático.
Quanto aos papéis, já não comento, porque sempre gostei de trabalhar com papéis, fazer o respectivo arquivo é algo que me fascina.

boa semana :)
beijocas

Anjo De Cor disse...

Eu admiro imenso os japoneses e toda a sua cultura, acho um povo admiravel...beijinhos*

Anjo De Cor disse...

Mas se fosse em Portugal acho que só protegia aqui no trabalho a minha SIGG para não amolgar ;)
Em casa a minha Milu ;)
eheheheh*
Bjs*

Laura Ferreira disse...

Lol...

aespumadosdias disse...

Que rico trabalho o teu - arquivar, arquivar, arquivar...
Continuação de bom trabalho.

A Minha Essência disse...

Risos... eles de facto são muito à frente na questão do "bolir". :S

Kiss

Cristina Torrão disse...

Não sejas precipitado ;)

Maria Santos disse...

Queres é ter uma desculpa para te livrar da pilha de papeis!!!

Paloma disse...

Lembrei-me agora quando, nos dias que antecedem o final do ano, dos escritórios são lançados, pelas janelas, todos os tipos de papéis.
É um tal de voar papel!!!

pink poison disse...

Não é à toa que as minhas tatuagens são em japonês ou chinês... Uma cultura admirável... Beijoca

dinona disse...

Tirando a parte chocante do que foi eu quando vi essas imagens desatei-me a rir, porque há coisa de dois anos quando houve um sismo em Lx a primeira coisa que eu fiz foi desatar a correr pra porta e nem avisei os meus colegas... eles que morram que eu tou-me a borrifar lol

pink poison disse...

Rafeiro: não sei o que escreveste mas como dizes no mail: eu, prometo!

Fábio Paulos disse...

o povo japonês é outra coisa, nada a ver com o povo português, até mesmo Europeu (vá talvez tirando os povos nórdicos). Eles estão habituados aos sismos, aquele foi só um, tentaram logo viver normalmente, e se não fosse a central nuclear, eles já estavam a viver em completa normalidade, são um povo que admiro muito, e um dia espero poder ir lá visitar o Japão. abraço

Fátima disse...

Japoneses... sempre japoneses!
Se fosse aqui no nosso Brasil, e a terra assim tremesse,
antes que ela se arrependesse, começaríamos a dançar um samba.
E como a corda aqui é bamba...
Ah, meu amigo, ninguém ia salvar nada.
Ninguém ia arrumar qualquer estrada.
Vichi! ia tempo, heim?
E vamos sambar e beber uma cerveja
Hj é sexta-feira... dia de cerveja.
Como a gente é feliz, né?
Com carinho e uma flor
Rosa de Fátima

turbolenta disse...

Eu queria lá saber de tudo o resto.Queria era safar-me a mim.
Mas a mentalidade do povo ocidental é totalmente diferente do oriental. Os Japoneses são tremendamente organizados, educados e dedicam-se inteiramente ao trabalho.
Uma amiga da minha filha que está em Tóquio tem mandado uns relatos e umas fotos fabulosas, vê-se nas fotos que algumas prateleiras estão realmente vazias mas outras há que estão bem abastecidas. E nelas há, arroz, massa e conservas,por exemplo.
Ora por estas bandas, além de não esperarem ordeiramente que chegasse a sua vez, quando chegasse valia tudo menos tirar olhos. Queriam lá saber de quem vinha atrás e ficava sem nada.O importante era ficarem eles servidos.
Ela , que já lá está há algum tempo, já tinha referido várias vezes que eram muito calmos e plenos de civismo. Contudo, depois da catástrofe que os assolou,diz que nunca pensou que o fossem assim tanto numa situação tão crítica.
Só espero mesmo que um flagelo igual não nos atinja. Senão, com tanta costa como temos, com tantas casas e prédios quase dentro de tudo quanto é orla costeira, (por cá...quanto mais dentro de água melhor), temo que a desgraça fosse bem maior que a do Japão.
desejo bom fim de semana

helia disse...

Perante uma tragédia tão grande ,nunca me passaria pela cabeça salvar o equipamento informático e qualquer outro bem material...A minha primeira reacção seria fugir e tentar salvar os que estivesem junto de mim... Mas o melhor é nem sequer pensar em tsunamis e outras tragédias que a Natureza por vezes nos proporciona.
Bom fim de semana

Bongop disse...

Sabes lá se ele tinha a colecção de filmes porno toda nesse PC!?
Áhh pois é!!!!

Marta disse...

Pois que eu também não me vejo com essa força...que se lixasse o material informático.

Kok disse...

Eu não sei se o tal japonês (não era uma japonesa?) queria segurá-los ou se estava somente a tentar que não lhe caíssem na cabeça.

E tu ainda pensas que pensarias nos papéis não arquivados?

Janita disse...

Olá Rafeirinho.
Desculpa o atraso, mas isto não tem andado lá muito bem para o meu lado. Se calhar já pensavas que eu não vinha mais. Alguma vez...!
Este xodó que eu tenho por ti, resiste a tudo.
Bem, uma grande vénia te faço eu a ti, sim senhor! É bonito e fica bem reconhecer o mérito de quem o tem.
Oa trebalhadores japoneses são merecedores de todo o nosso respeito, pela sua coragem e empenho na preservação e protecção daquilo que é seu.
Fiquei com a impressão que, tal como eu, não vais à bola com o arquivo. Ainda por cima ter que guardar papelada durante dez anos, é cá uma estopada.
Acho que me deste uma ideia...
Fica bem e goza muito no fim de semana.
Xi coração.
Janita

Papoila - BF disse...

Não ates:( deixa-os voar:)

Fragmentos Culturais disse...

... um povo que demonstrou um sentido cívico profundamente comovente!

A minha admiração vai também para o grupo de 50 engenheiros, em serviço na central nuclear, esgotados, incansáveis, mesmo com todos os riscos inerentes!

Muitas foram as imagens... mas duas retive:
Um idoso, de joelhos na neve, chorando sem alarido, com suprema dignidade, diante do que fora a sua casa.

A dedicação de um cão, deitado ao lado de outro, que jazia morto no meio da devastação.

Há.dias.assim disse...

se visses a secretária da minha colega...
Ainda lá tem papeis de 2009 que foi quando fui para lá

Táxi Pluvioso disse...

Nem todos os portugueses são assim. Aliás são uma minoria. Eu, em caso de terramoto, protegia logo a gaja boa que trabalha duas secretárias à frente.

Pérola disse...

E as investigações deles nãosão a brincar.Já descobiram o homem que errou e levou ao desastre do ano passado. Eficientes.Deveriamos aprender qualquer coisita com eles.
Um beijo.