Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Traques de futebol

Sou um grande amante do chamado desporto-rei, o futebol. É algo que me encanta, a técnica dos artistas, o ambiente vivido no estádio, a bela da bejeca e do torresmo comido antes de entrar, enfim, todo o espectáculo que envolve o espectáculo. Poderia agora facilmente fazer a passagem para a minha filiação clubística, mas não o vou fazer, uma vez que pouco importa que eu seja adepto do Glorioso, sendo o assunto de que quero falar comum à maioria dos clubes.

Refiro-me às claques organizadas de futebol. A seu favor têm, sem dúvida, o de conseguirem passar o jogo inteiro a puxar pela sua equipa. Eu, ao fim de três “SLB, SLB, Glorioso SLB”, dois “Ninguém pára o Benfica, ninguém pára o Benfica” e seis ou sete “Mamífero! Filho duma grande senhora que vende o sexo a homens que não o teu pai!” fico completamente afónico, e limito-me a acompanhar o espectáculo com os olhos e umas palmas ocasionais.

E, muito sinceramente, acabaram-se aqui os aspectos positivos que encontro nas claques. É algo que não me entra na cabeça ver indivíduos que vão ao futebol e passam grande parte do jogo todo de costas para o relvado, que produzem cânticos destinados unicamente aos adversários (muitas das vezes nem é aquele que está em campo), gostam de se empurrarem uns aos outros, anseiam entrar em confronto com outras claques e, grosso modo, vêem o estádio como um campo de batalha e o adversário como um inimigo. Mas alguma vez se compreende que alguém use ao pescoço, e exiba com orgulho perante todos, não um cachecol do seu clube mas anti-outro clube qualquer? O futebol, decididamente, não é isto, mas infelizmente o QI médio reinante nas claques (ou mesmo somando o de uns quantos elementos) não é suficiente para entender algo tão simples.

Desculpem lá a seriedade do poste, mas custa-me bastante ver um espectáculo tão bonito como o futebol entregue a bichos que não têm a noção do que é efectivamente apoiar a equipa e apreciar toda a beleza de um jogo e do espectáculo em seu redor. Apetece-me dizer que o lugar de tipos como estes era não é nos estádios, mas nas Lezírias, a pastar, e só não digo porque os coitados dos touros não têm que levar com companhias destas.

No dia em que tomarem consciência disto tudo (partindo do pressuposto arriscado de que sabem ler), poderão sem dúvida apelidar-se de claque. Até lá, não passam de um traque malcheiroso...

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

50 comentários:

Vício disse...

claque podia ser uma onomatopeia usada por um oriental, residente em Portugal há pouco tempo, para explicar o som de alguns ossos dessa gene, não podia?

Lótus disse...

Eu gosto daqueles que passam o jogo inteiro de costas para o relvado com altos megafones a gritarem " ai ai ai estamos contigo ai ai ai" ( Não sei se é isto mas é o que soa) e só se viram para o jogo para atirarem objectos e nomes foleiros ao árbitro. Era soltarem os cães nas canelas de todos!

the big fox disse...

meu amigo, quando me vieres visitar levo-te a um jogo de Rugby, aquele desporto que todos dizem ser violento mas que tem consideravelmente menos lesionados, e quanto aos espectadores...
abraço
PS
por muito que digam não é um desporto elitista, ou não havia clubes formados por miudos, em zonas bem complicadas da nossa sociedade, há é repeito e valores que são transmitidos...

Textículos disse...

Saviola comentou o empate na primeira jornada, “Ainda falta muito campeonato”. O javier saviolismo está ao nível do joão pintismo de outrora.

Concordo com o comentário anterior, experimenta ir ao rugby.

Utena disse...

Gostei do teu lado sério q.b.
A verdade é que o desporto é um espectáculo e chamar a este que move esta mentalidade de Rei é no mínimo ofensivo

Beijinho

Patrícia disse...

Olá,
Só não concordo que este seja um "espectáculo tão bonito". Há muito que é apenas um negócio e chega a ser ofensivo. O pessoal das claques é demasiado mau para ser verdade e o espírito de grupo revela o pior que cada um tem.
(estou de tal forma irritada com o futebol, que nem pelo meu sporting ando a torcer).

The one you know disse...

As claques não têm utilidade... 100% de acordo.

Agora extrapola lá isso um bocadinho e pensa lá um bocadinho na (in)utilidade do futebol. Refiro-me ao futebol dos milhões, não aquele que jogamos com os amigos ao fim de semana!

abraço

Patrícia disse...

Concordo plenamente contigo. É que se ainda fosse futebol americano, podiam fazer placagens à vontade nas bancadas que não seriam mal vistos, agora ofender o adversário... E compreendo perfeitamente quando dizes que depois de dois ou ter gritos de apoio ao clube em questão (discordando no clube, meu caro amigo, eu cá sou dos dragões), fico logo impossibilitada de continuar o apoio efusivamente. Estar aos berros não faz com que marquem mais golos portanto...

Falei demais, já.
Vou indo.
Beijinhos=)
Patrícia

Kok disse...

Concordo contigo!
No futebol dos últimos tempos o jogo jogado é o que menos importância tem.
Parece que o importante é tudo e todos os que giram à sua volta.
Não há pachorra para aturar tantos dirigentes empoleirados num clube para terem visibilidade, jornalistas e comentadores que falam de tudo porque acham que de tudo percebem, adeptos que não sabem qual é o comportamento de um adepto e que se dizem adeptos achando que isso lhe dá permissão para actuar com bestialidade...
É que não há mesmo pachorra!

1 abraço, pah!

Orquídea Selvagem disse...

Infelizmente a violência e a estupidez está por todo o lado.
O objectivo inicial para a criação das claques organizadas era meritoso mas foi-se modificando com o tempo. O objectivo seria o de apoiarem a sua equipa sim, eram um colorido extra no futebol que com os cânticos de incentivo à equipa e as coreografias animadas contagiavam positivamente os outros adeptos e faziam assim uma verdadeira "torcida".
Julgo até que eram financiadas pelos próprios clubes para fazer face a inúmeras despesas tais como das deslocações (muitas das quais ao estrangeiro) aos estádios das equipas adversárias.
Mas hoje em dia este espírito de facto "descambou" e a violência que provocam dentro e fora dos estádios é intolerável.

A pergunta necessária agora seria: para quando a extinção destas claques mais problemáticas e a proibição da sua entrada nos estádios?

Saudações desportivas :)

Margarida disse...

Claques suck!

A piada toda está no adepto que puxa do seu vernáculo e manda umas bocarras,isso é giro até dá um certo colorido aquilo tudo.
Já os grupos organizados, claques, de gentinha mais ou menos arruaceira, alguns a roçar mesmo a marginalidade,isso é um espectáculo deplorável.

Ser do Benfas é uma coisa natural e muito bonita:)

Rafeiro Perfumado disse...

E para que não fiquem dúvidas sobre as motivações deste poste, decidi publicá-lo depois de ver a notícia sobre uma família que foi espancada por ter gritado "Viva o FCP". Isto não é futebol, é selvajaria.

Petra disse...

Não gosto de futebol.... mas menos gosto desses espécimes... gentalha da pior espécie, violentos ordinários e muitas vezes complexados e frustrados na vida, que encontram para a violência no futebol uma forma de despachar tudo que os corrói.... Nojo... Tenho é pena de quem vai ver o seu jogo na paz, e que realmente vai torcer pelo seu clube, e leva porrada destes animais.

FATifer disse...

… à portuguesa (na linha do partiu uma perna mas podia ser pior podia ter partido as duas) podia dizer que pelo menos em Portugal (que eu saiba) ainda não se agendam batalhas campais entre claques como acontecia na Holanda (a não ser em dia de jogo). Mas o teu texto (com o qual concordo em absoluto, para variar) fez-me lembrar um dos episódios que melhor lustra um dos factos que referes: “cânticos dirigidos a equipas que não estão em campo”. Cenário: Taça inter-continental, local: Japão, jogo: fcp vs uma equipe qualquer da América do sul que nem me lembro, cântico: “e quem não salta é lampião, olé!” (para não referir aqui o outro menos próprio ainda). Vou abster-me de interpretar este e outros episódios que relatas pois quem tem olhos e meio córtex sabe, os outros fazem parte de claques...

Abraço,
FATifer

Bongop disse...

Sou da opinião!
Enfim, pelo menos desta vez, e embora não acho o teu clube "glorioso", acho que a culpa é mesmo dos clubes, pois dão-lhes bilhetes a preços reduzidos, lugares cativos, etc, etc...
Caca neles, meu amigo!

Abraço

Marta disse...

Sou benfinquista de algibeira, ou seja, não sou grande fã de futebol mas desde pequena que simpatizo com o clube, talvez porque a maioria da família seja do Benfica.
De qualquer forma não ligo puto a futebol.

paulofski disse...

E já pra não falar do aspecto piroténicoterceiromundista dos petardos, do tiróalvozarolho com bolas de golfe e isqueiros e da guerrilhajabardola em carpir as mágoas da derrota arrancando e atirando cadeiras.

Concordo em absoluto contigo, o futebol, decididamente, não é isto. Os comportamentos selvagens destes tipos entristecem todos os que gostam de futebol e com tudo o de bonito tem este desporto. Ficas desde já convidado a ires comigo ao Dragão assistir a um jogo mas não te prometo imunidade às bocas, insultos e/ou palermices vindas do velho fanático que se senta atrás de mim. Quando não as quero aturar faço ouvidos de marcador, coloco os fones e ouço antes o relato ou música alternativa.

Um abraço (des)portista

Safira disse...

Era mandá-los todos num contentor para Marte. Sempre é mais rápido do que esperar por dirigentes desportivos com carácter e os ditos no sítio que acabem com os subsídios a essa gente débil mental e os proíba de entrar no estádio.
Mas isso, claro, dá muito trabalho...

Teté disse...

Bem, apesar de discordar da classificação do futebol como "um espectáculo tão bonito", com o resto concordo plenamente - estas claques movimentam-se como bandos selvagens de criminosos! E como é futebol e tal, os dirigentes desportivos directa ou indirectamente lhes dão apoio do clube, pronto, sentem as costas quentes e é preciso muito para serem incriminados ou julgados pelo seu vandalismo.

Além das claques, suponho que os dirigentes dos clubes também têm a sua dose de culpa no cartório, para já não falar nos tribunais cada vez mais longe de conseguir uma verdadeira justiça, em assuntos criminais e não só!

Beijocas!

Carolina Tavares disse...

Tem lá os dois lados, os que de fato apreciam o futebol, acompanham o jogo e entendem das regras e aqueles que lá estão para farofa, ou seja, só querem se divertir à custa dos outros, acirrarem uma competição para viver a adrenalina da oposição. Oposição esta, que não possuem consciência de fato a que se deve. O que pode gerar um real embolamento de ¨meio de campo¨.

TM disse...

Subscrevo....

Junkie Jones disse...

Finalmente estamos de acordo numa coisa, viva o slb, de resto a merda do costume.
Não vês que aquilo ainda está gravado no nosso código genético desde os tempos imemoriais em que alguém tinha que defender o território perante as tribos inimigas.
Tinha que haver a carne para canhão, tal como agora, uns mais que outros.

carol disse...

Ó Rafeiro, hoje tás a falar mesmo a sério! Até eu, que não sou do Benfica - sou da oposição... - concordo contigo!

Beijinhos verdes...

conchita disse...

Lol!! tens toda a razão, e onde é que eu já ouvi algo parecido??...ah!! já sei!!, o meu marido já comentou isso das claques e que eles não vão para ver o jogo, mas sim para chatear quem quer passar um bom bocado!; mas enfim é o povão que temos!!
Beijos:)

José Sousa disse...

Rafeiro, amigão!
Aqui vim para lhe ler e vesitar. Mais um escrito seu que me entra na alma! Adoro te ler! Sou Benfiquista de gema!!
Perdão pelo afastamento, mas é que estamos em epoca de verão onde trabalho muito na produção e organização de festas populares. O tempo é escaso mas, no final de Agosto, tudo voltará ao normal.

Um grande abraço e uma boa semana.

Rabisco disse...

Ora aí!
E disse o Rafeiro!
Concordo com o que escreveste...na totalidade!
Mas não devia!

Outra traque para ti!

Abraço

Miúda disse...

Não sou grande fã de futebol... s tiver de ver vejo, se não puder ver, passo bem... sou simpatizante de um clube, mas nem esse me aquece ou arrefece...

No entanto as claques deviam ver que o futebol (o espectaculo) sao aqueles k andam a correr atras da bola, e não aqueles que atiram papel higienico para o campo... (numa maneira rapida de dizer)...

E quando se armam em valentoes, e andam a pancada uns contra os outros, uiii entao deixa mesmo de ser futebol espectaculo, para wrestling...

ADLuxor disse...

Não faz mal ser sério, à coisas que têm mesmo de ser! Infelizmente, em Portugal e outros países assim que sigam o mesmo exemplo, o futebol fica sempre arruinado com bárbaros desses que basicamente só fazem e dizem merda (desculpa o termo :P).
Abraço!

Magia da Inês disse...

°º✿
º° ✿✿♥ ° ·.
Olá, amigo!
Passei apenas para te deixar um abraço... não ligo para futebol...mas gosto do seu blog.
Beijinhos.
Brasil°º✿
º° ✿✿♥ ° ·.

Gata2000 disse...

E depois ainda se questionam porque não vão os adeptos aos estádios!

Canephora disse...

A verdade é que... essas supostas claques, não têm verdadeiros adeptos como membros... enfim, é por isso que, infelçizmente, não levei o meu filho mais cedo a um estádio...
a verdade é que o desporto rei, não meu por opção, é um verdadeiro espectáculo quanod tanto dentro das 4 linhas como fora delas nos respeitamos como seres humanos.
Por exemplo, o facto de podermos discutir pq carga de
água és adepto do SLB e depois lançar uns acrónimos fedorentos, prefiro brincar com o assunto e pensar que cada um tem os seus gostos e se todos fossemos, por exemplo, do SLB, não existiam outras equipas...por elas só existem pq têm adeptos...

Rafeiro Perfumado disse...

Vício, só se forem de ossos a partirem.

Lótus, não metas os cães ao barulho, tadinhos, não se deve alimentar os animais com lixo.

The Big Fox, sempre ouvi dizer que o futebol é um desporto de cavalheiros jogado por rufias e o rugby um jogo de rufias jogado por cavalheiros. Abraço!

Textículos, são frases parecidas com as reportagens da RTP sobre o mergulho dado no 1 de Janeiro ou a operação da polícia na Páscoa, todos os anos é a mesma coisa.

Rafeiro Perfumado disse...

Utena, para mim ainda é rei pois é o que mais gosto, além de o ter praticado (sem grande jeito, diga-se). Mas esta evolução cada vez me afasta mais... Beijoca!

Patrícia, sendo tu do Sporting percebo que não aches o futebol um espectáculo bonito, mas acredita que quando é jogado por equipas a sério consegue ser empolgante. ;)

The One you Know, se me derem a escolher entre ir com os amigos jogar à bola ou ir à bola, garanto que escolho a primeira opção. Respondido? Abraço!

Patrícia, eu gosto do ambiente vivido no estádio, quando este se limita a puxar pela nossa equipa. Dizer mal do adversário? Não contem comigo, só chamo nomes ao árbitro e às vezes nem aguento até o jogo começar! Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Kok, o futebol em Portugal reflecte a nossa sociedade, pois não há área ou clube algum que esteja isento de responsabilidades. Era fazer tábua rasa e começar tudo de novo. Abraço!

Orquídea Selvagem, se nós não temos coragem para processar os responsáveis que colocaram o país nesta situação, achas que se vão meter com os clubes? Beijocas desportivas!

Margarida, só a roçar? Uma investigação a sério às claques colocaria as prisões portuguesas a abarrotar! Beijoca!

Petra, das últimas vezes que o SLB foi campeão, estive no Marquês de Pombal. Foi chegarem as claques e adeus rafeiro, que a minha onda não é aquela.

Rafeiro Perfumado disse...

FATifer, a concordares comigo? Estás bem? Dá cá esse pulso! E sim, lembro-me, ainda mais porque fiquei acordado de madrugada para torcer pela equipa portuguesa. Abraço!

Bongop, preferências clubistas à parte, tens razão, o cancro é alimentado pelos próprios clubes, pois retiram dali um benefício que não é nada claro. Abraço!

Marta, pois eu adoro futebol, felizmente sem fanatismos que me impeçam de ver o podre que existe no meio.

Paulofski, qual é a altura do velhinho, achas que uma cabeçada resolve a coisa? E aceito o convite, desde que seja para as competições europeias! Abraço!

Rafeiro Perfumado disse...

Safira, para Marte? Há buracos tão fixes bem mais perto, que fariam o mesmo efeito!

Teté, dos dirigentes desportivos nem falo, só que quando acumulam essa função com o de autarcas, é como se nascesse um anti-cristo! Beijocas!

Carolina Tavares, mas esse segundo grupo que vá para as Lezírias, fintar touros, ou para Acapulco, dizer que é anti-droga, tinham logo toda a adrenalina que queriam!

TM, só demonstra o atinada que és...

Rafeiro Perfumado disse...

Junkie Jones, assim a malta chateia-se, um comentário sem me insultar? Ah, já sei, solidariedade entre benfiquistas, certo? Mas se andam a recorrer ao código genético, metam-se é numa caravela e partam à descoberta do mundo, era da maneira como não chateavam mais ninguém além das gaivotas! Abraço!

Carol, neste tema não é uma questão de clube, é uma questão de ter discernimento. Apesar do teu estar ligeiramente toldado, atendendo a que não és do SLB... ;) beijocas vermelhuscas!

Conchita, e não se pode dar porrada no povão? Guarda esse teu marido, mostra sinais claros de inteligência! Beijos!

José Sousa, não tens de pedir desculpa, a malta cá te espera. Saudações gloriosas!

Rafeiro Perfumado disse...

Rabisco, esse “não devia” dá a entender um erro de programação na tua preferência clubista. Abraço!

Miúda, o pior é quando a “valentia” se estende a pessoas que apenas foram para ver futebol, e não circo. Beijoca!

ADLuxor, conheço algumas pessoas que pertencem a claques, e tenho-as em boa conta. O pior é quando entram lá dentro, aquilo dá-lhes uma travadinha! É como os portugueses quando pegam num volante, viram animais. Abraço!

Rafeiro Perfumado disse...

Magia da Inês, se conhecesses o SLB passavas logo a gostar. Beijocas!

Gata2000, eu deixei de ir ver derbies à conta disso, agora só vou a jogos das competições europeias.

Canephora, é impressão minha ou não te punha a vista em cima há uns anos? Não me digas que foi por causa de eu ser do SLB!?! Já todos gostarem do meu clube, nem pensar, depois com quem é que eu gozava à segunda-feira? Abraço!

Malena disse...

Não podia estar mais de acordo! As claques só dão má imagem aos clubes.

Há.dias.assim disse...

nem mais!

TERESA SANTOS disse...

Ora aí está um assunto sobre o qual não posso pronunciar-me, apenas e só porque não percebo nada do dito.
Generalizando, e em termos de QI, sei estarmos em grande crise.
Dado não ter qualquer dúvida acerca deste ponto, considero ofensivo enviar esses personagens inqualificáveis (porque não me apetece adjectivar) para junto dos touros.
Sim, redimiste-te ao afirmar que os pobrezitos não têm, e passo a citar, "quer levar com companhias destas."

Foi à justa!
Sem esta simples referência e fuziláva-te.

Maria Santos disse...

É por isso que eu, Sportinguista sem saber porquê, não vou ao Estadio da Luz (um dos sonhos da minha vida) porque a malta não é capaz de se portar bem!
Disse!!!

LM disse...

Claque rima com Traque e Conhaque, e eu não vejo mais nada que se destaque. ;)
(Sou uma poeta do caraças, hein? Vou já mandar versos pra Juve Leo..)

cris disse...

Claques são rebanhos tolos de ovelhas taradas.

Beijocassss! Que tal vão as férias, Rafa? eheheheh

Beijo ao Bet

Táxi Pluvioso disse...

No futebol o melhor é a conferência de imprensa. Uma das melhores decisões da FIFA.

Rui disse...

Não concordo. (é obvio que só escrevo por pertencer a uma claque) mas acima de tudo por vos reconhecer com mais QI do que a tal generalidade de que eu faço parte. Uma claque é composta maioritariamente por adeptos apaixonados (doentes se quiserem) pela história e percurso quer do seu clube quer do clube (alheio)e o seu objetivo é o apoio incondicional. Mas tal como o deputado nao raras vezes caí na exorbitancia,descurso demagogico e até insultos (ele que está ao serviço da democracia) o adepto de futebol reage com paixão,não fugindo porém aos mesmos erros, mas porventura infligindo menos dor no cidadão. E não .Não vou agora comparar a forma como eu canto o slb,slb &%$#/&%$ slb,com a degradação do estado social._____ Bibó o Campeão___SD

Rafeiro Perfumado disse...

Rui, aos comparares as claques com deputados estás a insultá-las mais do que eu fiz. Tal como disse, reconheço valor às claques, a importância que têm no embelezamento do espectáculo à volta do futebol. Mas quando descamba para a violência e o insulto gratuito, perdem toda a razão de ser. Também eu sou um apaixonado pelo meu clube, mas para tudo tem de haver limites. Abraço desportivo!

Rui disse...

Agradecendo desde já a amabilidade pela tua resposta (não sei se neste blog é normal,mas nos que eu visito, os propriétarios costumam ser "seres" inacessiveis)quero desde já felicitar-te pelo humor do mesmo mas tambem pelo que de muito sério se vai dizendo.__Só me predisponho a escrever sobre esse assunto (claques) quando o tema é violencia e/ou coisas menos boas, na tentativa vã,que a maioria dos seres pensantes abandonem ideias pré-defenidas. Não. Não somos santos. Mas convido qualquer pessoa de bem, a integrar (por um dia) uma claque. talvez uma da sua cor clubistica (para se aproximar do sentimento reinante)e dizer-me se é justo tanta critica,que se praí lê.____Um bem haja a todos, Viva o FCP_SD

Rafeiro Perfumado disse...

Rui, responder é o mínimo que posso fazer a quem tem a amabilidade de me comentar, ainda por cima quando o fazem de forma educada e construtiva como tu, apesar do tema nitidamente te “picar”. A minha “aversão” às claques começou quando fui ver um jogo SLB-FCP, que terminou empatado. A massa adepta anónima, onde eu estava, acabou por ser alvo de fúria da claque do Benfica, apenas pelo facto de não nos termos atirado à claque do Porto. Era um puto, mas compreendi que havia algo de errado naquilo. Depois foi ver como as claques (com especial incidência para as do FCP e do SLB) se comportam fora dos estádios, nomeadamente nas áreas de serviço. Ali não há amor pelo clube, há atracção pelo roubo fácil, pelo prazer da destruição. Volto a dizê-lo, o futebol sem as claques perderia grande parte do sal, mas tal como todas as massas humanas, podem ser direccionadas para acções terríveis, assim haja quem as conduza nesse sentido. Um abraço e obrigado por esta interessante troca de ideias!