Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Quem é que se anda a abotoar?


Eu sei que não sou grande economista, mas há qualquer coisa nesta crise mundial que me está a escapar. Ao que parece, é a dívida dos países que está a colocar os mercados em ebulição, pelo crescente risco de incumprimento por parte dos Estados. No entanto, olhando para a lista dos devedores, vemos que contém nomes como a Alemanha, EUA, Japão, Inglaterra e por aí fora, ou seja, os países mais ricos do mundo (com excepção do por aí fora). Então mas se até estes devem, devem a quem?!? Ao Burkina Faso?!?

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

56 comentários:

Vício disse...

duvido que o Armando Vara tenha alguma coisa a ver com o assunto!

Louise disse...

Acho que mais vale preocupares-te com coisas como: "porque é que a máquina do café me 'comeu' as moedas e não me dá o que preciso?" ou "onde é que vou almoçar hoje?"

Tulipa Negra disse...

Ah, ainda não sabes? É a mim que devem. E podem começar a pagar, porque dava-me jeito o dinheiro para as férias. ;)

Silvia disse...

Não. Acho que é ao Burundi.

MRPereira disse...

Devem ao Banco Mundial, ao Banco Central Europeu, ao FMI, a organizações assim!

Só pra citar as mais importantes!

Abraço

Parisiense disse...

A todos nós.....pois ao que nos roubam, de certezinha que algum deve ser meu.

Trata é de comer o teu ossito e deixa-te de por questões dificeis de encontrar resposta, tá.

Já agora esse Burkina Faso foi ao acaso ou é porque o treinador da selecção desse país é português!!!!!?????

Beijokitas

Nuvem disse...

A verdade é que todos devem a todos... é a circulação do dinheiro, a produção de dinheiro, o esbanjamento de dinheiro e de recursos... e ninguém sabe a quem deve.
podiam passar uma borracha nas dívidas dos países aos ... países e bancos centrais e etc... e acabavam com a crise e começavam de novo, não?

beijocas

Kapikua disse...

sei que na economia emergente do Bangladesh tem havido grande agitação nos mercados (de Daca).

Não sei se é a eles que os países do G8 devem umas alfaces, umas batatas ou umas especiarias...

Grande abraço

Peterofpan disse...

Se ninguém se chega à frente, eu digo que devem todos a mim... Vá, agora fico à espera que me calhe algum!

Marta disse...

Eu continuo a dormir zzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Não, não vou acordar para a vida, deixem-me dormir que pelo menos assim sempre vou sonhando com alguma coisa de jeito :P

A Bóia disse...

Assim como o estado também "deve dinheiro". E a quem? Ao Pinto Balsemão ou ao Casimiro dos plásticos?

Olhos Dourados disse...

Devem uns aos outros!

Dragão Azul disse...

Os EUA e Inglaterra se gastassem menos dinheiro em material de guerra já dava para liquidar a divida de muitos países... quanto a Alemanha que comam menos salchichas.

E que tal fazer um telafonema ao Obama e dizer-lhe para pagar o que ele deve... na minha conta bancaria á sempre espaço para um euros...

Sandra Oliveira disse...

O Urso acha que a culpa é da Shaka. É uma lambona e come tudo.

historias reais pro mundo virtual disse...

Devem-me a mim.
não sabias?

Cláudia disse...

Eu sei a quem é que eu não estou a dever dinheiro!
E sei quem é que me está a dever a mim :)

Teté disse...

Muito gostas tu do Burkina Faso: sempre que tens de dar um exemplo de um país do terceiro mundo, lá vem o Burkina Faso à baila...

Quanto à questão, difícil de explicar especialmente porque não sou economista, suponho que todos devem dinheiro uns aos outros! E se um não cumpre, logo os outros também não podem cumprir... daí a avalanche de incumprimentos!

Beijocas!

Felina disse...

Eu acho que andam a desviar fundos para a lua... o que achas que vão lá fazer os astronautas? de certeza que tem lá muito dinheirinho enterrado...já estão organizar excursoes para lua e tudo

Malena disse...

Realmente é fantástico que todos devam a todos e, ainda por cima, ganhem com isso! A ajuda aos mais pobres não passa de uma valente mordidela nos calcanhares já que emprestam para lhes pagarem muito mais de volta!
Só me apetece mandá-los apanhar com as vuvuzelas em todo o orifício disponível!!!

Tulipa disse...

Bela reflexão! Devemos todos uns aos outros...sugiro que nos perdoemos uns aos outros e fique tudo quite pelo menos até 2012, depois logo se vê...

Ti Coelha disse...

Mistéééérioooo....

PKB disse...

Excelente pergunta... devem a quem?!

Jaime A. disse...

Money is so funny in a richman's world...
Provavelmente os Estados ricos esquecem-se de pagar o iva, o irs, o subsídio de férias e Natal...

São disse...

Voltaste e não disseste nada?!

Quanto ao texto , partilho a mesma perplexidade.

Tudo de bom.

Anjo De Cor disse...

Eu só sei que estamos a ser roubados todos os dias para manter um mundo falido, cheio de luxos financionados por quem trabalha.
E mais, creio que o mais revoltante e pensar que muita gente nasce e morre sem nunca ter feito um luxo na sua própria vida ... isso sim me preocupa :(
bjs*

sandra blogwithaview disse...

Isto é como o mundo empresarial. As maiores empresas têm creditos até 120 dias ou mais, as empresas pequenas têm de pagar a pronto ou no máximo a 30/60 dias.
Ou seja, quem se lixa é sempre o "mexilhão"...
;)

Skynet disse...

A mim é que não é, mesmo que quisesse emprestar 20 euros à Alemanha não podia :P

Abraço

Kok disse...

Eu perguntei a um gajo que é gerente de contas e o gajo respondeu-me:
-Nem queiras saber...
Pronto! Fiquei aviado...

Abraço, pah! (a pronto).

refemdabd disse...

Provavelmente é uma pergunta retórica! Como és formado em Gestão e ainda por cima trabalhas num Banco, será certo que conhecerás os mecanismos da dívida pública e também como a Banca é o mais fácil negócio do Mundo. Mas, mesmo assim, vamos lá (aviso-te já, vais levar com o meu mau feitio do catano, se quiseres apaga o comentário):

Primeiro: Não existe "dívida externa", existe "dívida pública" e “dívida privada”.

Segundo: Não existe dinheiro no mundo, actualmente, que cubra as dívidas dos países. Se, por exemplo, os EUA pegassem em todas as notas de dólar que existem em circulação, não chegariam para pagar a dívida pública.

O sistema financeiro actual baseia-se na dívida, seja ela pública ou privada, e encontra-se na mão de um conglomerado de mega instituições financeiras privadas.

Quando um país como os EUA necessita de mais dinheiro pede-o à Reserva Federal (RF), que é uma instituição privada possuída por diversos bancos Norte-Americanos e estrangeiros. Os EUA pedem 10 Biliões (dez mil milhões nos EUA) de dólares à RF e para isso emite títulos de divida pública (títulos do tesouro) que valerão o mesmo montante e entrega-os à RF. A RF emite papel-moeda no montante de US $10B e este é colocado a circular na economia através de diversos mecanismos. Os EUA devem agora US $10B à RF, mais os respectivos juros calculados com base no risco estipulado por diversas agências de rating de acordo com certos indicadores, não só económicos. Logo aqui existem dois "empréstimos", um da RF aos EUA, e outro dos investidores que eventualmente adquiram os títulos do tesouro (o que actualmente pouco acontece no caso dos EUA que os reserva), aos EUA que, por sua vez, também pagarão juros aos investidores. Estes investidores, dependendo da liquidez, poderão contrair empréstimos a outras instituições para comprar títulos do tesouro. Dá-se o efeito de bola-de-neve ou cascata nos juros devidos às diversas instituições de crédito e privados (quando se aplica este último caso)...que aumentam a dívida e, logo, para não esgotar o sistema terão que aumentar sempre os montantes dos empréstimos primários (RF). Dá-se o "fenómeno" da inflação, pois o dinheiro tem como referência primária o ouro existente nos cofres do Estado para compensar os montantes em circulação, já há décadas largamente ultrapassado e sem possibilidades de retorno absoluto. (Actualmente existem outros activos, para além do ouro, que também são factores da equação que serve ao cálculo da medição da inflação real; mas é mais usual ter-se em conta a chamada inflação homóloga para uma melhor consideração do estado da economia em determinadas vertentes).

Estes US $10B entram no sistema financeiro e descobre-se que ele se vai multiplicar por obra de um mecanismo legal e normativo engenhoso. Como? Então toma lá, a ver se percebemos melhor o engenho: Se a exigência de reserva legal for de 10%, por exemplo, um Banco que recebe um depósito de US$100 (para ser mais fácil) pode emprestar US$90 daquele depósito. Se o tomador do empréstimo então passar um cheque para outro alguém por sua vez depositar os US$90, o Banco que receber aquele depósito pode emprestar US$81. À medida que o processo continua, o sistema financeiro pode expandir o depósito inicial de US$100 para um máximo de US$1000 de dinheiro: (100+90+81+72,90+...=1000)". Logo, os US$10B passam a ser US$100B no sistema financeiro!
Compreende-se então que existem dois tipos de dinheiro: o "dinheiro padrão", que existe fisicamente nos cofres dos bancos (chamado “reserva legal”); e o "dinheiro não padrão", que não existe fisicamente em nenhum cofre (existindo “apenas” nas base-de-dados dos computadores do sistema financeiro).

Grande parte do dinheiro não padrão hoje é basicamente feito a partir do ar. Magia!

refemdabd disse...

Continuando:

O que impede o sistema de entrar em colapso é o puro acaso, ou pura ignorância. Se houver uma corrida aos Bancos por parte dos depositantes, os "fiéis" depositários nunca terão o suficiente para cobrir a demanda. Seria o descalabro. Por isso é que o nosso "ministro das finanças" (desculpa-me as aspas) financiou o primeiro Banco que cá pelo nosso burgo faliu devido a falcatruas que nada têm a ver com o que aqui escrevo! Depois o tipo lá viu que as coisas não se passam como ele estudou na escolinha onde andou, pela boca dos doutos escolásticos que não fazem, eles também, ideia de como são as coisas na prática (é o tal factor humano, que só alguns sociólogos e antropólogos discorrem e os economistas ainda não alcançaram) e não financiou o segundo Banco que faliu, esse sim devido ao que aqui tento explicar! Enfim…eu goste de ouvir as desculpas dadas por aquele “técnico”.

Logo, o que faz "andar" as economias mundiais é a dívida. Quanto maiores, melhor. É através dela que prosperam os grandes grupos que mandam nesta treta toda e que estão na mão de uma ou duas mãos cheias de homens (e talvez mulheres...nããã! são só gajos, mesmo, é verdade, acredita!). É através deste mecanismo engenhoso que mantêm o zé-povinho manso (e as tias dele) no seu trabalhinho mal remunerado e metem os países na ordem através de políticos bem-comportados e que obedecem aos "donos" (do dinheiro), porque se param de fazer os que lhe mandam fazer, acaba-se a pinga e vão viver para o olho da rua. O sistema feudal não acabou, apenas refinou-se: não levas com a espada no pescoço, apenas com a nota de dívida ou de penhora. Os próprios impostos que pagamos, directos e indirectos, servem quase na sua totalidade para cobrir uma parte da dívida pública, pois o Estado teria outros mecanismos de auto-financiar todos os serviços por ele proporcionados sem recorrerem à grande parte do bolo dos impostos por nós suportados. Volta Robin dos Bosques, estás perdoado!

Finalmente, quanto maior um País, será sempre maior a sua dívida pública, mesmo em termos proporcionais a outros bem mais pequenos. Os mais pequenos ficam com os ditos cujos entalados num torno mecânico que vai lentamente apertando até não terem mais nada para ser espremido e, aí, declaram bancarrota...e nem sempre começa tudo de novo, pode-se deixar morrer e deixar que fiquem nas mãos de pequenos "donos-da-guerra" que a farão até à exaustão para esmifrar os pobres coitados que não conseguiram fugir, seja através das remessas caridosas de ONGs ou de companhias menos escrupulosas que aproveitarão os indígenas para as mais diversas experiências. O dinheiro emprestado é todo recuperado através de outros mecanismos empresariais, que obviamente são subsidiados por Bancos (armas, farmacêuticas, mão de obra barata, etc.). ÁH, pois é!

No caso de países como o nosso e a Espanha, ainda há muito para espremer...muito mesmo! O mecanismo criado pela União Monetária Europeia e subsequentemente pelo Banco Central Europeu foi inteligente, isto é, ao criar um tecto máximo de endividamento público conseguem os países bem-comportados (como se isso existisse!) controlar a dependência do vício da dívida, logo de serem espremidos inexoravelmente no tal torno mecânico (mesmo dentro da EU já a Grécia não se escapou graciosamente, e, nós temos que nos meter a pau pois quem come um apetece-lhe sempre mais outro! O FMI é um guloso). O que acontece é que o poderoso engenho criado para nos espremer tem outros mecanismos para evitar que se diminua ou atenue a dependência da dívida: por exemplo, os "especuladores" (leia-se “Banca”), mas isto era outra longa conversa. O engenho é perverso e cheio de paradoxos que funcionam muito bem e sempre num só sentido, claramente não o nosso.

A dívida é um mecanismo perpétuo ao qual, nos seus termos, não se consegue ganhar.

refemdabd disse...

Para terminar (vê lá a tua sorte!):

Já dizia o Thomas Jefferson: "Se o povo alguma vez permitir aos Bancos privados controlar a emissão do seu dinheiro, primeiro pela inflação e depois pela deflação, os Bancos e corporações que crescerão em tornos deles (em torno dos Bancos) privarão o povo da sua propriedade até que os seus filhos acordem sem lar no país que os seus antepassados construíram". O caso Europeu é já crónico há vários séculos por outras razões também.

Ou, como cantava o Zeca no seu "Vampiros": "Eles comem tudo, comem tudo, e não deixam nada".

Ou seja, o que faz falta são uns políticos com uns ditos cujos do tamanho do mundo para acabar e fechar organizações como o FMI ou a Reserva Federal Norte-Americana. Os actuais políticos andam todos, sem excepções, à mama destas organizações e de quem nelas mandam (mesmo quando pensam que não andam!).

Desta vez, sem dúvida, mando fazer uma t-shirt só para ti: “Eu também fui vítima de um comentário do RefémdaBD” :D

TM disse...

Deve ser a um paísito lá de Marte....

cassamia zaratustra das metamorfoses disse...

devem-me a mim ora essa,porque éque achas que ando sempre tesa que nem um bacalhau?? é por causa desses gajos todos

conchita disse...

A mim?, era bom era, mas não é a mim que devem de certeza absoluta,por isso não faças perguntas dificeis, ok?!!
Um bom fim de semana :)

Rafeiro Perfumado disse...

Refemdabd, apagar o teu comentário? Depois de quase me convenceres que trabalho num dos negócios mais perigosos do mundo? Razão tinha a minha mamã quando queria que eu fosse para traficante de armas... Grande abraço e obrigado por partilhares o teu ponto de vista. E digo isto sem qualquer ponta de ironia!

Hélder Ferrão disse...

Eu acho que devem ao FCP. A equipa não foi campeã este ano porque, dizem, muitos dos ordenados não foram pagos aos jogadores devido ao emprestimo que o clube fez a esses paises...Enfim, o Pinto da Costa mete-se em cada uma! Mas consta-se que o Brasil já lhe pagou a divida...(risos)
Abraço, Rafeiro!

animalcandysugar disse...

acho que é mais a i).
quanto ao comentário em "ps", é para a minha professora de português ;)
*

Rei da Lã disse...

Crise mundial?
Isso é tudo treta!
Fala-me da submissão dos políticos aos barões da finança...

Je Vois la Vie en Vert disse...

Se o comum dos mortais não entende, querias que um cão percebesse melhor ???
Beijinhos
Verdinha

Ricardo disse...

Sempre em grande, jão não passava por aqui ha muito tempo!
Ainda bem que voltaste! :)

Abraço

Graça Pimentel disse...

Eu percebo muito de economia doméstica. Sempre a conbtar os tostões, que remédio tive eu...
Mas esta economia à escala portuguesa e europeia é algo qued me ultrapassa. o dinheiro não desaparece. O que havia, continua a existir. Mas onde?

beijo

AmSilva® disse...

Devem a quem ?!?
aos contribuintes que tudo pagam!!
Crise?!? Qual crise?!?
Não passa tudo de especulação e publicidade!!
Nunca se vendeu tantas viaturas de alta gama como nesta crise....

Abraço

Violeta disse...

Demos poder e força aos bancos, agora eles mandam em nós...

aespumadosdias disse...

Os grandes especuladores é que andam ganhar muito dinheiro com esta crise. Sempre houve dívidas por parte dos estados.

.I. disse...

Devem mas é ir todos pró real caralho. Pessoalmente, sou a favor de que se linche publicamente o Obama com tomates podres enfiados em meias usadas e se traga de volta o Bucha, para que esse acéfalo seja deixado sozinho em algum silo nuclear e carregue no botão vermelho por engano. Ó que rico Carnaval que ia ser! Mas, pronto, Deus não tem assim tanto sentido de humor.

ψ Psimento ψ disse...

Pah mas isso até a Grécia nos deve agora. Por isso é que o mundo não sai da crise. Não dinheiro mas mesmo que houvesse ninguém saberia a quem pagar. Se bem que se for preciso ou ofereço a minha conta para os depósitos das dividas e resolve-se o problema. O mais altruísta!! Um abraço

gota de vidro disse...

Dá jeito dizer que devem....

Dá estilo......

Há que justificar mesmo as palermeiras...Justificam-se com outras palermeiras...


jitos da gota

Há.dias.assim disse...

Estamos entalados... isso sim!

MEU DOCE AMOR disse...

Ora a quem devem?

Não sabes? Não? Hummm...

Se deixasse da haver dívida íamos todos para o...???? Burkina Faso...vender pulseiras.

Beijinho doce :))

Ah!!!! Já sei onde está o filme.Vou ver!

José Silva disse...

Os grandes continuam a ganhar....
Os pobres, esses que aguentem.

MZ disse...

Então não sabes que a culpa é do Socrates? Por isso ninguém entende...

paulofski disse...

Rico é o manjerico.

Táxi Pluvioso disse...

Devem a mim, só que não consigo provar, perdi as facturas (e as fracturas e as farturas e outras coisas assim).

Nuno Medon disse...

Olá! anda meio Mundo a enganar meio Mundo.... endividam-se, gastam mais do que podem e quem paga são os trabalhadores. um abraço

.I. disse...

Correcção: anda meio mundo a foder o outro (como pode ser visto aqui).

Teófilo Silva disse...

Grande pergunta, sim senhor!
Os países mais ricos do mundo devem a quem?
Claro, como é que não me lembrei desta?
Devem a Portugal! É por isso que nós estamos de tanga...