Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Ai que desgraça, os saldos estão a terminar!!!

Este não era o título original, mas quis saber qual era a sensação de colocar um título à revista cor-de-rosa. Pfff, não senti grande coisa...
Volta e três quartos estamos a ouvir, ver e ler nos meios de comunicação o anúncio “começou a época dos saldos”, normalmente seguido de gritos histéricos, barulho de pés a correrem, portas a baterem e pneus a chiarem. Não que tal notícia nos pudesse passar despercebida, uma vez que todas as montras exibem orgulhosamente cartazes com percentagens enormes de desconto, refreadas por uns minúsculos “até”, mas mesmo assim capazes de despertar a libido consumista de quase todos nós.

Este período do calendário é um bocado como a abertura da época da caça, só que em vez de um bando de caçadores de arma em punho existe um bando de consumidores de carteira em punho, mas quer uns quer outros ávidos por consumarem os seus instintos mais primários e saciarem as suas ganas muito para além do necessário.

Sabiam que SALDOS é uma sigla para Sem Afectarmos o Lucro Descemos Os preçoS? Claro que não sabiam, acabei de inventar. Ainda por cima nem ficou grande coisa, mas não me lembrei de nenhuma palavra apropriada para o último “s”.

Adiante. Esta época enerva-me. Não pelo facto das pessoas ficarem desvairadas e quase se matarem para conseguirem deitar as unhas à última camisa ou cuecas, pois a mim não me apanham nessas confusões, mas pelo atestado de estupidez que o comércio nos passa. E baseio-me em dois factos:

Li em tempos que um cliente considera algo como uma pechincha quando acredita que o vendedor está a perder dinheiro

O dumping (nota para os que não tiveram de aprender esta e outras estopadas económicas: venda abaixo do custo de produção) é uma prática ilegal

Acreditando que os nossos comerciantes não são criminosos (mesmo considerando aqueles que uns dias antes dos saldos aumentam os preços para depois os baixarem), estes dois factos são contraditórios, mas são eles que dão ânimo à fúria dos saldos. Eu vejo a coisa por outro prisma: quando uma loja anuncia que está a vender os seus produtos com 75% de desconto, quer dizer que até então tinha uma margem de lucro, no mínimo, de 75%. E percentagens destas, caros amigos, só não são crime porque vivemos num mundo consumista, onde se privilegia o lucro imediato e fácil. Mas que são insultuosas para o consumidor que tiver dois dedos de testa (e correspondente cérebro), sem dúvida.

E tirado este peso do meu peito, vou ver se a jove já voltou das compras. E ai dela que tenha voltado sem aquelas calças que eu vi em saldo e lhe pedi para comprar!

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

51 comentários:

Salvador disse...

Nada como umas verdades ditas a brincar, Rafeiro.
Quanto à sigla S.A.L.D.O.S, poderá ser Salvem A Loja, Deus Os Salvará, não soa bem, mas sempre é preferivel a R.E.B.A.J.A.S., Rauf, Espero Bem (que) A Jove Apanhe o Saldo.
Eh páa, tb não soa bem. Olhe, espero mesmo é que ela não lhe tenha esgotado o saldo bancário... rsrsr

Louise disse...

E já não era sem tempo. É que isso dos saldos tem muito que se lhe diga, senão vejamos.
. Na maior parte dos casos, as peças mais interessantes são retiradas e nem sequer ao preço normal são vendidas.
. Ao lado da tralha que metem em saldos, colocam as peças da nova colecção que muitas vezes acabam por ser as eleitas para a compra ao invés das peças em saldo
. Por tralha, entenda-se mesmo tralha. Por vezes não distingo uma loja que vende peças a preços absurdos de uma feira comum.
. Por último, muitas vezes colocam um preço dizendo que o preço original era o dobro ou triplo quando na verdade era precisamente o mesmo valor que está em saldo.

Tulipa Negra disse...

A única coisa que me chateia com o fim da época de saldos é que normalmente coincide com o fim da época de férias...
De resto, não tenho paciência para andar à pesca ou à caça dentro das lojas, portanto ou vejo logo qualquer coisa que me interessa ou viro as costas e vou-me embora, comprar na época normal. Afinal, o preço é o mesmo. :)

Nuvem disse...

Honestamente, não há paciência para a época de saldos e para os monos e confusão que se gera nas lojas.
Ainda por cima quando antes há a época das "promoções" onde ainda se encontram peças interessantes...
mas a realidade é mesmo essa - os comerciantes tem margens de lucro absurdas - e eu trabalhei muitos anos em lojas e sei bem disso.
Não aumentávamos os preços antes dos saldos, mas mesmo vendendo a preço de custo para limpar stocks de monos (que os produtos bons vendem-se todo o ano), não se perde dinheiro.
Espero que tua jove tenha encontrado as calças, que eu vou já ali procurar umas para o meu home (que as férias engordam muito um rapaz desportista) :)
beijocas

Tulipa disse...

Bom ponto de vista! Não tenho grande paciência para os saldos, nem para a confusão, detesto lojas desarrumadas...acabo sempre por comprar a nova colecção! kiss

Sun Iou Miou disse...

Isto vem muito a propósito para esta notícia, Raf. A gaja (independentemente da história com o marido militar que exige sancionar o agente que prendeu a condutora) entrou em sentido proibido na autoestrada para ir comprar um XAMPU em saldos!

http://www.publico.es/espana/336207/lio/esposa/kamikaze/general

Quando puder faço uma postagem, mas para já, ficas informado. :)

Abracinho

Vício disse...

pois sim!! enerva-te porque a concorrência é muita e deve ter sido por isso que foi a tua jove a vitima que teve que ir às compras...

Kapikua disse...

Rauf:

discordar contigo um ponto. Se tem saldo de 75% não equivale a anteriormente ter lucro de 75%.

se eu comprar a 2 e vender a 4 tenho 100% lucro. Se fizer desconto de 75% vendo a 1 ou seja metade do preço de custo.
Isto para dizer que as grandes cadeias de distribuição vendem com margens de 300, 400 ou 500% e nos saldos continuam a ganhar.
Já o mercado tradicional está fodido (desculpa o léxico mas é a palavra que melhor o define). Compram caro, não ganham nos saldos mas vendem a custo 0 para realizar algum dinheiro!

Quanto aos saldos em si, não sou grande fã, até porque não tenho dinheiro! Acho que ando um pouco demodé, ou então tive sorte em apanhar a fase cíclica da moda que faz com que a colecção de 1999/2000 esteja novamente muito in!

Grande abraço

BS of Life disse...

LOL

Eu vou aos saldos no início, que depois já só tem roupa estragada e pouco jeitosa.

Mas nem vou muito, que só metem lá o que já não vendem e é um engano quase sempre.

E falas da tua jove, mas serves-te dela para te comprar coisas... Que feio!

Kássia Kiss disse...

Ganda post!

Os saldos são mesmo "época de caça", embora os canídeos dispensem tais acessórios para andarem a correr atrás de raposas. É que era capaz de ser difícil transportar o saquinho encarnado numa situações dessas ;)

Fora isso, a foto está uma delícia. E mesmo que não devamos humanizar os bichos, não tem mal nenhum uma brincadeira destas... desde que o animal não sofra, claro.

Sandra. disse...

:))

É nestas alturas q fiko cuma pena do caraças por n correr :O)) yaaaaaaaaa mister, n corro pós saldos :))

besuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuus

Caia disse...

Saldos? Temos cá disso?

Hyndra disse...

Eu tenha perfeita noção de que com os saldos (e promoções) é que nos apercebemos do quanto somos roubados durante todo o ano. Porque perder dinheiro é coisa que os comerciantes não vão fazer de certeza!

E então...compraram-te as calças?

Janita disse...

Só mesmo essa tua imaginação prodigiosa, podia inventar uma frase, tão bem apanhada, pra definir:SALDOS. Deixa lá o último S ficar na mesma palavra, se não tivesses feito essa referência ninguém notava. (nem eu)

Que coisas estranhas e raras a Natureza tem... Um simples rafeiro, que apesar de perfumado, não deixa de o ser, é mais inteligente, espirituoso ( qual bom e velho vinho do porto)dotado para a escrita, sagaz e mais uma data de coisas que se eu as disser, vão pensar que o estou "assediar" e a jove ainda me cai em cima. Agora é que vem a comparação, do que: todos os políticos da nossa praça,todos os pseudo humoristas porém, um tudo nada, a puchar aos Gatos.
Tenho a impressão que esta não me vais perdoar!!!
Beijiiinhos

paulofski disse...

Ufa, ainda bem que avisaste. Já lá fui mas já não encontrei nada que me servisse!

Teté disse...

Epá, curioso que no meu blogue aparece um título e uma imagem completamente diferente. Trocaste de post?

Quanto aos saldos, um dos maiores ataques de riso que tive na vida foi durante uns, há muitos anos, nos antigos armazéns do Chiado, onde eu e a minha irmã entrámos por acaso: o mulherio estava louco, agarrados aos rolos de tecido, com cara de quem mordia quem tentasse sequer olhar para aquelas "precisosidades", e a caminhar feito tanque de guerra. Ainda nos perdemos no meio daquela confusão e só aos gritos uma pela outra é que nos encontrámos, perdidas de riso!

Beijocas!

.I. disse...

Eu cá gosto dos saldos. Ok, pronto, não gosto. São um atestado de estupidez sazonal. E, além disso, as merdas que realmente se querem são as que estão sempre com o menor desconto possível. E já nem vou falar na roupa, que as peças que têm descontos apelativos são aquelas em que cabem lá dentro 20 ou 30 gajos do meu tamanho (não, caralho, não sou um gnomo de jardim!)

Dragão Azul disse...

Eu só compro quando preciso e quando preciso vou ao mais barato... é a lei da concorrencia.

Rafeiro, o dumping pode ser desfarçado de muitas maneiras... e mais não digo.

Maria Santos disse...

Olha, amigo, não percebi nada do que escreveste... é muita economia para a minha cabeça social... mas tá bem... acho que aprendi alguma coisa...
Por isso é que eu vou sempre à "boutique Alcofa", ou melhor, ciganoide ou chinesoide... vai dar na mesma e ainda dá para regatear preços... com os ciganos!

Há.dias.assim disse...

Mas à conta dos saldos muita gente perde a cabeça.
Não compro muito nos saldos. 1º porque não tenho muito dinheiro (gasto tudo em propinas e na prestação da casa)e depois porque li uma vez uma frase de um americano ricaço que me pôs a pensar: "Comprar 2 elefantes pelo preço de 1 só vale a pena se tiver dinheiro para comprar um e precisar dos 2".
Espero que a tua jove te tenha trazido as calças...

Graça Pimentel disse...

Assino por baixo.
Já agora devo dizer-te que passei uma vida inteira a ensinar Química, aos pequenos e aos grandes, e o fulereno acompanhou-me em muitas aulas.
Por isso eu apaguei as velas. Principalmente porque já me reformei e não preciso mais de aturar nem os filhos dos outros nem o fulereno...

beijoca

Meio Cheio disse...

Os saldos ja acabaram nao ja? É que tencionava ir amanha à papelaria fernandes mas se ainda não acabaram não vou. Recuso-me a entrar em centros comerciais com lojas em saldos...parece a feira da ladra de mau gosto...sinto-me cansada e nunca encontro nada.
Fui feita para ser rica e comprar o que quero e quando quero...saldos é para o povinho. Pena ter sido mal feita --'

Boa semana*

Nuno Medon disse...

Olá! Isso dos saldos, diz mais respeitos ás mulheres, quer á roupa ou calçado. Quanto a mim, já tenho muita roupa. Eu precisava era de uma divisão, só para a minha roupa...lol. Um abraço.

Só sedas disse...

:) vou então ficar com a opção a dos comments mas tiro a parte do casamento e troco a bejeca por coca-cola pode ser? (sim, com tanta esquesitice nota-se mesmo que sou "gaija")

Bom, vamos ao que interessa: gostei do texto, achei-lhe um piadão! É bom ler coisas diferentees para variar...

Beijo!

Malena disse...

Pois... Eu costumo guardar as compras mais "pesadas" para a época de saldos! Aquele agasalho que é caro, etc! Mas não ando de cabeça perdida a comprar meia loja só porque é mais barato! Há quem fique com resmas de roupa que não usa só porque é baratinho! :)

Olhos Dourados disse...

às vezes apanham-se coisas porreiras nos saldos. Mas muita gente acumulada num espaço pequeno, dá-me calores.

Meio Cheio disse...

Desculpe lá sô tôr...mas o seu blog é que é parvo que deu erros à brava e eu fazia actualizar...porque sou uma boa samaritana xD...ainda bem que não és vingativo...
Bem haja =P

Rafeiro Perfumado disse...

Meio Cheio, por acaso até sou vingativo, tens sorte é que te acho piada. Mas que não se repita! ;)

maria teresa disse...

Eu diria:
Somos Artistas Ludibriamos Divinamente Orçamentos Sagazes.
E as calças?
Abracinho.

Imperator disse...

saldos?
onde?

isto continua tudo caro!

e o povo sem dinheiro, afinal, o pouco dinheiro que tinha estoirou nos quinze dias de férias no Algarve ou na Costa da Caparica (antes da 19, que aí têm medo de ir)

Red Maria disse...

(chiça, com tanto paleio aqui acima nesta caixa Rafeiro quase perdia a vontade de botar faladura)

Os saldos quê??!? Eh pá, isto sim, é notícia para me deixar mal disposta para o resto do dia.

(Seja lá qual for a estratégia utilizada a verdade é que não perdem dinheiro.)

S* disse...

Eu raramente compro em saldos... é de mim ou na minha zona põe em saldos a roupa do tempo do arroz de quinze?

refemdabd disse...

Mais um testamento, se quiseres (obviamente) apaga-o:

Como tens razão! Há muitos anos, quando era miúdo, tinha amigos que os pais tinham lojas: eram bem abastados (ainda bem). Trocavam de carro com frequência, tinham casas de férias e já tinham pago a casa que habitavam (estou a referir-me a uma altura que a taxa de juro rondava os 16%). Depois vieram as grandes superfícies (não só os hipermercados, mas também as grandes cadeias de lojas) e com elas acabou-se a grande idade de ouro dessas famílias. Não regozijo com isso, mas sim com o facto de não ter que pagar verdadeiros balúrdios por bens que hoje são muito mais baratos. Eu compreendo a luta dos lojistas ditos tradicionais, não consigo compreender que as pessoas alheias ao negócio defendam direitos que vão contra a livre concorrência (com as devidas salvaguardas), apenas pelo saudosismo bacoco.

Mas, vejamos bem, hoje, apesar de os bens estarem com preços comparativamente bem mais baixos (alguns, na roupa, estão no nível de há 25 anos! É verdade), ainda conseguem ter margens de lucro que me escandalizam. Choram que é o IVA, os salários dos trabalhadores, os preços altos das rendas dos espaços comerciais de eleição, o IRC, a crise, e eu sei lá mais o quê! Não há muito tempo, por um amigo a trabalhar num representante comercial de roupa com marcas de alto gabarito, tinha acesso ao show-room da casa, logo às roupas que serviam de mostruário às lojas que depois as comercializavam ao público. Camisas de 100 euros (nas lojas) a 15 euros (no show-room do representante comercial); Sapatos de 150 euros a 25 euros; calças de 150 euros a 20 euros; cintos de 55 euros a 5 euros, etc. Era um fartote! De salientar, não havia prejuízo. Mesmo fora do show-room, os preços feitos aos lojistas muito pouco mais subiam. Tenho muita pena que esse meu amigo já não trabalhe lá. Por isso, e pelo que escreves, nunca mais consegui ir às compras, com saldos ou promoções incluídos, sem me sentir vergonhosamente roubado.

Somos uns sem-vergonha quando o negócio está em cima da mesa! Saldos a sério são nos EUA ou na Alemanha. Expiremente, quem tiver a oportunidade, de visitar os saldos num grande "outlet" Norte-Americano para perceber a diferença...e também estes não perdem dinheiro, como será óbvio.

JP disse...

há uma coisa que as pessoas ainda não se convenceram: as marcas existem para apenas sacar um pouco mais de dinheiro a quem pode pagar mais; e os saldos existem para os lojistas esvaziarem os armazéns para receberem as novas colecções. Mas mesmo com o saldo eles não perdem dinheiro. (acho que as calças mais caras que comprei até hoje não passaram dos 25 a 30 euros - e estou bem servido!!)

Abraço

Felina disse...

Oh que se lixe os saldos nunca consigo o que quero nem o que gosto nunca tem o meu numero nem a côr que me interessa e antes dos saldos é o preço que não me agrada... eu sou uma infeliz...

Táxi Pluvioso disse...

ainda será Sem Afectarmos o Lucro Descemos Os Salários, tenhamos fé. Infelizmente nos clubes de strip não fazem saldos, por isso a época não me afecta.

Bolacha disse...

Caro Rafeiro
Por acaso até tenho muita sorte nos saldos. Compro sempre boas peças (Classic never changes) com algum desconto. Não preciso de morder em ninguem em plena loja, pois verifico previamente se aquilo que pretendo vai para saldo .
beijinhos

Rafeiro Perfumado disse...

Bolacha, e dás acções de formação relativamente à tua técnica? Beijocas!

Bolacha disse...

Quando quiseres! Não sou uma Minisaia, mas...
Beijinhos

A Lei da Rolha disse...

Existem certas coisas que compensam...mas tenho sempre as minhas duvidas nos valores que estão assinalados no antes e depois!
abraço

Pisces Girl disse...

Rafeiro: Não dou muita importância aos saldos, vou comprando roupa ao longo do ano. Mas se as compras calharem em época de saldos, ainda se poupam alguns Euros... ;o)

Um beijinho grande,

Pisces Girl.

turbolenta disse...

Pois eu entendo que com descontos de 75% eles já têm de ganhar dinheiro, pois não os vejo a vender nada por preço abaixo de custo.
Portanto: vejam só o que somos roubados numa época normal de vendas antes dos chamados saldos e das tão apregoadas reduções iniciais.
Tudo isto mais não é que iludir o pagode.
Principalmente o mulherio gosta muito desta época, principalmente do dia da abertura.
Cá por mim, não é coisa que me seduza.Não gosto dos saldos e isto porque quando lá chego ou há nºs 32 ou maiores que o 50.
Ora eu não me enquadro nesta faixa de medidas... Portanto: está mesmo fora de questão verem-me nas Zaras e companhia, de rabo para o ar e enfiada dentro de caixotes a fossar e as virar aquilo tudo de pantanas.
Pelo sim pelo não vou ali buscar uma fatiota menos decotada pois até acho que "lá para cima" o tempo está mais fresco e eu quero ir prevenida!
(SIM,porque dei hoje por acabados uns bons dias de merecida praia)e enquanto outros não voltam...(se é que voltam como o meu marido afirma...) (? ? ?), vou mudar novamente de ares.
Até um dia destes.
beijos

Maga disse...

eu logo vi! com este paleio todo...
a gata compra-te é as calças um número a baixo, para te fazer sofrer :)
e sabes que que coisas em saldo... não se podem trocar! ihihih

ψ Psimento ψ disse...

Os saldos, todos reclamam mas todos lá vão! Pessoalmente não me interessa o crap económico de cada loja e vão às compra só quando preciso, agora a verdade é que se poder esperar pelos saldos para fazer compras também espero. :p
Abraços

Dono das galinhas disse...

Nunca fui aos saldos. E não foi por snobismo. Unicamente porque detesto ir às compras e não tenho pachorra para coisas assim do tipo: tudo ao molho!
Já tenho ido é à feia de Carcavelos mas vou mais numa de observador antropológico. (eheheh)

Abraço pah!

Dono das galinhas disse...

§-Errata: no meu comentário aqui imediatamente anterior:
» onde se lê feia deve ler-se feira.

Bolas, acontece-me cada uma... é que o raio das teclas mexem-se!!!

Blogainha disse...

Acredito numa percentagem variável, mas subscrevo a tua análise. A "loucura dos saldos" está tanto na mão que remexe o produto como na consciência que paga aí o custo real.

No fim de contas, um bom "S"omatório! ;)

Blogadinha disse...

Oops, nick em saldos é que não... :P

AEnima disse...

eheheh... a margem real practicada em geral esta mais perto dos 80%. Ou seja, os precos practicados sao em geral 5 vezes (ou mais) o preco de compra e mesmo com 70% de desconto ainda tem no minimo 10% de lucro. Mas ainda eh preciso pagar os custos de comercializacao. Ex: um vestido que custa 20 euros a produzir, custa 40 na comercializacao final e e' vendido entre 100 a 120 euros. E' o que se consta nalguns meios... mas claro que cada marca tem a sua estrutura :D

MZ disse...

Então o menino desdenha, quer comprar... mas manda os outros?
Saíste-me cá um Machista!

bj*

MEU DOCE AMOR disse...

Quando for grande tb quero ser saldo