Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Não mijes aí, pá, que faz poça!

O poder corrompe, especialmente se associado ao cromossoma Y!
 
Texto tão brilhante que teve de ser removido para um local mais seguro, mais precisamente o livro Agarrem-me ou dou cabo desses palhacitos!

50 comentários:

Teté disse...

Não te queres candidatar a Presidente da Câmara na próximas eleições? Se for da de Lisboa, voto em ti! Porque esses comportamentos javardos merecem punições exemplares.... dessas assim não violentas! :)))

Beijocas!

the big fox disse...

alguma vez entraste num desses locais que falas? são dignos de um qualquer filme do Indiana Jones mas em busca do pedacinho limpo...
mas concordo contigo, bora lá acabar com essa practica nojenta e mostrar o quanto os animais são mais "limpos"
abraço

Manuela disse...

Rafeirinho, não gosto de locais com o característico cheiro a "mijum" que proliferam um pouco por todas as cidades, mas segundo depreendo os locais públicos para dar a tal mijinha, são do pior...
Olhem, façam no campo, que funciona como adubo e parece que é ecológico!?
Beijinhos e um ossinho para roeres.

Kapikua disse...

Diz-me uma coisa, Rauf:

no Bairro Alto ao fim de semana aquela malta mija onde?

eu, que preciso de sossego para me aliviar, espero pacientemente que vague o WC do tasco onde estiver, mas a generalidade da malta ou mija no cuecame ou na 1ª parede que encontrar!

Vício disse...

estás a menosprezar a criatividade dos mijões em relação aos locais passiveis! é que há tantos locais que sem serem passiveis são muito activeis :D

Rafeiro Perfumado disse...

Curiosamente vi agora esta notícia

http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentID=25E5F4CD-D8B2-41FC-BBB0-5665554EF787&channelID=00000010-0000-0000-0000-000000000010

Lá está, com o nó no instrumento evitava-se este exagero!

S* disse...

Com a quantidade de gente porca que há para aí... eu acho bem.

Sandra. disse...

:))

Realmente raf, à quantidade de gajos, sim pq só os gajos são capazes de o fazer em qq lugar, essas tuas medidas seriam poucas.

É nojentooooooooooooooooooooooo!!!

besuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuus

Tulipa Negra disse...

O quê, essa mania da superioridade é tudo porque conseguem urinar de pé??? Extraordinário...

Inês disse...

Eu adoro quando vou na rua,olho para o lado e vejo alguém feito "cão" (não te estou a desprestegiar), a marcar o belo do território.Depois penso no belo l'eau de mijo que ali fica, e penso também na lata que é preciso ter para mostrarem os seus belos instrumentos mijatórios!!
Sim um mapa não fazia mal a ninguém,mas propunha umas camâras de videovigilância para sabermos quem era o mijador,enviava a respectiva multa para casa por mijar em local inapropriado e ainda punha uns sensores nos mijatórios ao ar-livre.

Maria disse...

Pois, eu acho que esses criminosos, deviam prestar serviço comunitário...assim, na época de incêndios, eram obrigados a usar a mangueira de duas formas, uma enfiada na boca para carregar e a outra na mão para apagar. (consegui transmitir a imagem?)

Zé-da-Burra disse...

O problema é encontrar WC's públicos abertos, ou cafés que não tenham um letreiro "avariado" para espantar os fregueses da mijadela.

Felina disse...

Essa medida é interessante cria mais postos de trabalho na função pública e eu que estou interessada em trocar de emprego já me imagino de luvas e agrafador na mão...

Cat disse...

De facto não é agradável passar por esses wc ao ar livre, mas se os wc publicos masculinos são assim tão pouco limpos isso significa que quem os usa tem a mira avariada e não consegue acertar no alvo, portanto as medidas que propões poderiam estender-se também a estes locais. Ou então, mandar a homemzarrada ao oftalmologista. No entanto, pau que nasce torto... :)

Marta disse...

Ora ai está uma grande solução, eu cá apoio o agrafo, deve doer mais que o nó e nem todos são dotados...
Não suporto o cheiro pestilento de algumas ruas e becos. No Bairro Alto nem os multibancos escapam. Não há pachorra.
Agrafos com eles!!!!

Espaço do João disse...

E se abrissem as bocas de incêndio (vulgo hidrantes) automáticas para onde ia parar o rafeiro?

Kok disse...

A simples possibilidade do uso dos agrafos tirou-me toda a vontade de comentar... E de mijar!!!!! Livra!!

Dragão Azul disse...

Só não mando bocas em relação ao teu nome porque... não me apetece.

Só de ler essa coisa do nó ou do agrafo até doi, pá!

Skynet disse...

Era mandá-los a todos para a Sibéria, se tentarem fazer o mesmo lá na rua o instrumento congela e cai xD

centro das marradas disse...

...hmmm...talvez o belo pau-de-marmeleiro fosse bastante convincente:
- Vais agora apanhar com 20 pauladas no orgão mictante (Mictantis Organis), qu'é só para aprenderes a ter maneiras!"...

Je Vois la Vie en Vert disse...

Boa ideia !
Realmente é muito desagradável estes passeios quando estão perfumados desta maneira...
Beijinhos
Verdinha

Louco disse...

O direito a urinar em qualquer canto que não a porta de minha casa é um direito que assiste a qualquer homem!
E mais, devia criar-se um sindicato que reivindicasse paredes claras para que possamos ver o que "escrevemos" com a ferramenta que Deus nos deu.

AVOGI disse...

bem, fiquei perplexa!!!! Com tanta eloquência fiquei pasma sem saber ao que vinha!!!s-me a ler esta coisa cá de cima na caixa dos comentos que dificilmente saberei onde me colocar, mas de uma coisa estou certa, tenho de ir ao WC JÁ!
ah, vinha cá dizer que...olha esqueci-me
kis :=):=)

MZ disse...

Ha...ha...alto lá!
Mais despesas?
Essa do nó não deve ser para toda a gente, por isso a solução dos agrafos é má ideia nesta altura de crise.
Quem vai pagar os agrafos e os agrafadores?

:)

ψ Psimento ψ disse...

Há países que têm os chamados Pee deflecors, eu vi na Holanda e achei piada que em todos os becos tinha dessas chapas deflectoras que faziam ricochete a qualquer jacto liquido que fosse lançado. Parece que antes davam choques mas desistiram da ideia após alguns processos jurídicos. Na queima das fitas é que é preciso uma coisa dessas… no ultimo dia já só se pode entrar no recinto de galochas!!!
Abraços.

TM disse...

E depois era vê-los a gabarem-se... Ah e tal, o meu tem nó e o teu não....

maria teresa disse...

Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!
Muito me fizeste rir, a pensar nos nós e nos agrafos... Ou então numa vozinha a sair do local para onde o dito apontava, faz pontaria para outro lado pá ou dou-te uma dentada! As lavandarias iriam ter muito mais trabalho!

Olhos Dourados disse...

Tens uma ideias geniais!:p

Nanny disse...

Parece-me bem!

Acho é que vais perder uma boa parte dos teus leitores masculinos... a mim só me arrepiou a ideia do agrafo... :P

Beijocas rafeirote

Salvador disse...

Rafeiro, uma boa noite!

Eh pá, ainda bem que moro no campo. Ha sempre uma árvore nova pronta a receber uma delimitação de território...

Já agora: Sabe qual é a parte de trás de um chaparro? É aquela onde se mija, perdão, se urina. Ninguém diz 'vou mijar, perdão, urinar à frente daquele chaparro. É sempre atrás.

Sara S. disse...

Seriam soluções absolutamente simples para a problemática em questão. E até se podiam matar dois coelhos com uma cajadada: resolvia-se o problema da delimitação do território e tornava-se impossivel a existência de herdeiros, já que o instrumento deixava de estar operacional. Realmente era uma medida muito abrangente :)

hesseherre disse...

sIM SENHOR, MUITO BOA ESTA IDEIA DE SE DAR UM NÓ AO INSTRUMENTO DO INDIVÍDUO...MAS DAR NÓ DEPENDE DE EXTENSÃO, QUE MUITOS NÃO A TÊM....O QUE FAZER?

asianteenager disse...

hi friend,could me exchange link together?
hop we it it will be bether than now this is mine:
http://khmergay.nibblebit.com/
http://amangay.blogspot.com/
http://sosexydress.blogspot.com/
http://thaihotgay.blogspot.com/
http://khdoc.blogspot.com/
hope we can do , thank for kindness

Nuvem disse...

ohhh meu deus... do que tu te lembras.
Já viste a despesa que ia ser em agrafos?
Sim, porque estou em crer que se ia gastar muito mais agrafos que nós ;)
E a insatisfação e manifestações que iam existir por falta de locais onde os homens (os que insistem em fazer de qualquer canto WC) iriam fazer por falta de possibilidade de ilustrarem com as suas artes mijatórias as paredes, passeios, becos, portas, etc???
Parece uma solução simples, mas ia aumentar a despesa "pública" e a insatisfação de muitos trogloditas....
mas eu apoiava-te ;)
beijinhos

Anónimo disse...

Temas banais, cada vez menos comentários e visitas, é tão óbvio que este blog está a morrer. Porque não acaba com ele de uma vez?

Rafeiro Perfumado disse...

Anónimo, escrevi um comentário espirituoso para responder à tua questão, mas acabei por o apagar. Prefiro pedir-te, com todo o respeito, para ires levar na peidola.

damularussa disse...

ehehehehe, nao resisti a comentar o ultimo comentário....

Rafeiro, olha que o gajo vai! E depois aparece aqui cheio de "almorroidas" e ninguém o atura.

É sempre um prazer ler-te :-)

Inês disse...

Os anónimos são umas coisas chatas...porque é que não inventam um nick name falso??

Caia disse...

E nos elevadores de acesso ao metro? Que pifo...
Um nozinho, era pouco!

Gosto de vir cá dar um salto sempre que tenho disponibilidade, continua com a boa disposição ;)

Bjs*

Gata2000 disse...

Sempre ouvi dizer que os gajos mijam em pé porque se anteciparam quando Deus lhes deu a escolher, tendo as senhoras sido comtempladas com os orgasmos multiplos, vai na volta é uma forma de revolta pela estupidez de não terem ficado de boquinha fechada :)

Um dia fui passear ao jardim zoologico com o meu filho de 3 anos e os amiguinhos dele da mesma idade, passada a hora da visita chegou a hora do lanche, e os amiguinhos va de sacar do instrumentos e fazer o que tinham a fazer no sitio onde iam comer a seguir. O meu, macaco de imitação também queria, mas eu respondi-lhe logo, na frente dos pais dos amiguinhos:
Tu esperas pela casa de banho, não és nenhum animal para fazer xixi contra a arvore!!!
Ou nunca lhe vai passar pela cabeça sujar o ambiente, ou acabeio de criar um monstro mijador

Diabba disse...

Gostei, particularmente, da técnica do agrafo.

Vou começar a andar com uma pistola de agrafos no bolso.

]:-D

Pitanga Doce disse...

Eu acho que a colocação de câmeras no local diminuía em muito o problema. Depois passavam por toda a cidade naqueles out-doors que ficam a correr e acender e apagar, aquela maluqueira toda que nem chama atenção, nem nada! Eu queria ver quem ia ter coragem de botar cá fora, em via pública, seus instrumentos de tamanhos desprestigiados pela natureza e impossíveis de se dar um simples nó. hehehe Sem violência, viu?

paulofski disse...

E obrigá-los ao uso da algália? De certeza que iriam à procura de um mictório logo ao primeiro aperto!

A mais nova disse...

o pior é quando não é em canto nenhum, é no muro do hospital à frente de toda a gente logo às 8:30h da manhã para animar logo o dia..


isso de dar o nó lembra-me uma das piadas mais geniais inventada por um amigo meu aqui ha uns tempos: no casamento gay, dar o nó tem todo um novo significado... :pp

Kássia Kiss disse...

Depois de ler o post, pensei "gosto, principalmente, do agrafo". Agora, verifiquei que já há um comentário desse estilo...

Enfim, Diabba, já somos duas ;)

Vani disse...

LOOOOOL e o que fazer agora que as displicentes portadoras de dois X podem recorrer a um artefacto para sentir esse mesmo poder?...

-é tão lixado as XX poderem imitar os XY em tudo, não é?... e haver uma coisa, a mais importante de todas, que os XY nunca poderão imitar, não é?... ihihiih

Blogadinha disse...

A questão não será então conseguirem urinar de pé, mas sim a de não acertarem no buraco - pelo menos a avaliar pelas conversas sobre a badalhoquice que reina no wc público!

Táxi Pluvioso disse...

A equipa especializada bem que podia vir abaná-lo. Eu gostava muito de usar aquelas portas o teatro D. Maria II, era o meu contributo para a arte e cultura portuguesas, agora lá meteram um café faz de conta, e tenho de andar mais, até um ministério.

Táxi Pluvioso disse...

... mas um dia sei que vou ser apanhado pela bófia, e levarei com voz de prisão: "não meta na braguilha vamos assim ao juiz" (para provar o flagrante delito). E andarei por meia Lisboa, de tribunal em tribunal, até encontrar um que trabalhe melhor, agarrado ao instrumento, se calhar com vontade de ir outra vez, para ser julgado pelos meus pares (ou ímpares, se for uma juíza).

turbolenta disse...

Há esquinas e cantinhos recolhidos transformados em mijatório masculino.Um deles é ali em Entrecampos,numa das antigas entradas do metro -aquela que dá para o lado da biblioteca nacional. Não se pode por lá passar...um pivete.Mas é um mal que vem de longe pois já na minha primeira gravidez e ao passar por esse local eu não consegui ,nem com a mão no nariz, evitar que aqueles fortes odores masculinos entrassem de rompante pelo meu rico nariz e...foi o fim...dei o meu contributo de sujidade com....carga ao mar!
Horrível!
E quando os tais "animais "resolvem parar à beira da escapatória nas auto estradas e vai de pôr a "gaita" de fora para estrumar as ervinhas.?
Sabes que eu acho que o português é porco, não tem respeito pelos outros e continua a ter uma mentalidade tacanha? beijos