Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Vem a meus braços ou a outro membro que esteja a jeito!

Há quem diga que a vida nas cidades afasta as pessoas, esfriando o seu contacto social e dando razão ao famoso dito “sozinho no meio da multidão”. Em contrapartida temos a vida nas aldeias, onde ainda hoje muitas actividades são desenvolvidas em comunidade (não me perguntem quais, isto sou eu a avançar com teorias que leio nos pacotes de açúcar).

Pois este raciocínio está completamente errado, e estou em posição de apresentar, ou melhor, falar à distância de provas esmagadoras. Vejamos o exemplo do saneamento. Um aldeão vai ao que quer que faça de casa de banho lá no sítio onde vive, o presunto rebola para uma fossa e acaba-se a história. Se tiver sorte ainda vai adubar a hortaliça que é vendida na semana seguinte aos citadinos, mas isso é coisa apenas ao alcance de um punhado de cagalhões afortunados.

Já na cidade, e graças às maravilhas do saneamento, há toda uma alegre confraternização fecal. O cagalhão do Etelvino, morador do 3º Esq., sai disparado, uns metros mais à frente encontra o seu congénere proveniente do Sr. Arquitecto Artolas que mora naquele condomínio todo fino, e juntos vão recolher o dejecto da D. Engrácia, dona do talho lá da zona, terminando todos juntos numa qualquer ETAR, em alegre convívio, onde certamente não faltarão anedotas sobre papel higiénico e piaçabas. E então, querem melhor exemplo de nivelamento social do que este?

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

71 comentários:

Estrela do Mar disse...

Estavas mesmo inspirado :)

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Giro mesmo é nos wc como os dos hipermercados. Parece uma linha de produção!! Ele é ouvir pumms e plófts vindos de ambos os lados!! hehe

Vício disse...

isso prova que a sociabilidade citadina é de merda?

Cat disse...

A escatologia é uma coisa maravilhosa :P
E esse título é dos teus melhores dos últimos tempos ;)

Utena disse...

E viva a globalização

Kok disse...

Sei que é um lugar comum dizer-se:
este assunto não me cheira bem,mas digo na mesma: este assunto não me cheira bem.

MARGE SIMPSON disse...

Pois se defecar é actividade colectiva....o melhor é ficar pela cidade...e não saber mais do destino da coisa... que pode ser o mesmo da fossa do Ti João...se aduba os produtos agrícolas.. quem os consome... é malta da cidade... ( já me estragaste o apetite para legumes ao almoço!)

Conversas de ETAR? Devem ser do mais instrutivo possível..o sonho de qualquer criança... trabalhar numa ETAR... só pela socialização...
Logo tão cedo a pensar nessas coisas .. credo...o melhor é fazer como os primatas.. fazer onde der jeito e poupar em papel higiénico!

Orquídea Selvagem disse...

Ó meu amigo... e eu que quando li o título deste post pensei... «ai, querem ver que o nosso Rafeirito apaixonou-se?»
Ora bolas, afinal era só mais uma conversa de merda... (ahahahahaha)

Pronto, pronto, eu comento isto como deve ser: a minha memória ainda é um bocado para o curta, mas este é capaz de ser o post mais escatológico que já escreveste!
E ao lê-lo trouxeste-me à lembrança memórias de infância da casa dos meus avós onde havia uma fossa como a que descreveste!!
Aquilo cheirava bem que era um mimo!! (not!)

Beijos :)

Isabelices disse...

Bom depois do que li não me restam dúvidas que és um rafeiro citadino.

Entendi perfeitamente o teu post mas como mulher do Norte que por um acaso mora na cidade durante a semana e na aldeia o resto do tempo, convido-te desde já a vires "cagar" ao campo. É uma experiencia única, mas a anos luz do que lês nos pacotes de açucar.

Dragão Azul disse...

Conversa de merda logo de manhã e para começar bem a semana...

Já experimentaste ir "cagar" no meio do campo, numa bouça ou entre vejetação rasteira??? Dizem que é bem melhor.

Abraço!

Diabba disse...

]:-/

Este é que é o chamado post de merda?

enxofre

Mie disse...

Vou ja saber para onde e que vao os cagalhoes la do predio, esta cidade e so canais !!
Imaginar que ha quem pesce neles ...bleeeeck

Barroca disse...

Este post foi cócó gourmet, made in gambrinus! ;P

Rafeiro Perfumado disse...

Estrela do Mar, é o que dá passar muito tempo no WC. ;)

Especialmente Gaspas, e depois sair e ver que raio de cu faz aquele tipo de barulho!

Vício, palavras acertadíssimas, caro amigo!

Cat, também estou muito orgulhoso do título!

Rafeiro Perfumado disse...

Utena, neste caso bostalização!

Kok, mesmo tendo eu pendurado um pinheirinho com cheiro a alfazema?

Marge Simpson, mas pelo menos quem trabalhar na ETAR sabe que está a contribuir para o bem da sociedade, já para não falar que no Carnaval pode fazer bombinhas de mau cheiro por uma pechincha!

Orquídea Selvagem, apaixonado já eu sou, simplesmente de vez em quando tenho estas recaídas no mundo real. Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Isabelices, sou um rafeiro citadino com alma de aldeão. E haverá maior adrenalina do que arrear no campo não sabendo se a folha a que nos vamos limpar é hortaliça ou urtigas?

Dragão Azul, vegetação rasteira não convém, ou ainda deixas a nádega à mostra e pode ser época de caça, não de caca! Abraço!

Diabba, literalmente. Sabes que as segundas-feiras são sempre difíceis de evacuar. Beijo!

Mie, não sejas esquisita, o peixinho já vem temperado e tudo!

Barroca, cheira-me mais a tasca... ;)

Janita disse...

Desta vez pregaste-me uma bela partida! Quando li o título, vim toda pressurosa na expectativa de me lançar nos teus braços...e olha lá a grande c*****que me saíu!

Relativamente ao 1º parágrafo, tens toda a razão naquilo que lês nos pacotes de açúcar. A vida nos meios pequenos, é muito mais comunitária e sociável. É tudo primos e primas...

...porém, desilude-te quanto aos presuntos irem a rebolar pra uma fossa qualquer!

Parabéns pela perfumada inspiração logo no início da semana.

E a teus braços vou...
Xi coração.

Laura Ferreira disse...

Bela inspiração, para 2ª feira! Lá me fizeste rir outra vez com este post tão "orgânico".

Nuno Medon disse...

olá! do que é que tu te lembras... eu a pensar que fosses falar, ou comparar o convívio das pessoas que vivem nas terras pequenas, com as pessoas que vivem nas cidades. Um abraço e uma boa semana.

TERESA SANTOS disse...

Ir aos braços de...?

Há lá braços para uma coisa dessas!!!

É assim que se vê como não há diferenciação social.
Desde o Sr. Etelvino, provavelemente um "zé ninguém", sem qualquer espécie de canudo, a não ser o do papel higiénico (ou será de jornal?!), passando por sua Excelência o Sr. Arquitecto Mais do que Artolas, até à pobre da Engrácia do talho, que passa os dias com as mãos metidas em carne alheia(?), tudo se processa num alegre convivio do qual resulta uma "belissima" miscelânia.
De...? Pois disso que estão a pensar!
Nivelamento social? Qual quê!
IGUALDADE social, nem mais!!!

Beth/Lilás disse...

kkkkkkkkk
Bons Dias, caro Rafeiro!
Esta foi ótima para ler nese início de semana.
Tens razão, nestas horas é que pode-se refletir totalmente sobre a nossa condição social tão bem nivelada e do quanto somos nada ou tudo em igualdade.
adorei!
beijos cariocas

Malena disse...

Ahahahah! É o chamado post de merda!! ;) Fizeste-me lembrar do cagalhão falante de South Park!!Ahahahah! Vê lá se não começas a ouvir vozes quando estiveres na sanita! "Oh pá, isto aqui está muito apertado!" "Chega-te pra lá que vem ali mais um!" :P

carol disse...

Quem ler este texto com pouca atenção, há-de dizer que é um texto de merda! Mas não é, de todo!
Está muito bem conseguido e nega com toda a veemência a solidão urbana e a alegre comunidade aldeã... dos cagalhões, claro!

Muitos Raufs (Lauren) ó Rafeiro! E v~e lá onde largas o cagalhão. Não vá o teu dono ter de o ir apanhar. Que na cidade é assim. É a civilização!

Constantino, Guardador de Vacas disse...

Acho que estás a absolutamente enganado. Não só nas aldeias já não é como tu descreves, mas nunca tive notícia de que cagalhão meu alguma vez tenha tomado um copo com um do Ricardo Salgado ou mesmo de Joe Berardo (se bem que se tivesse acontecido o meu cagalhão não ia entender nada do que o cagalhão dele dissesse já que o meu cagalhão não fala sul africano com sotaque madeirense). O mais que tive conhecimento é que uma diarreia minha encontrou na ETAR o vomitado de um mordomo do Alexandre Soares depois de uma festa a comemorar os dividendos do Pingo Doce. O mordomo, apanhou todos a dormir e foi-se às garrafas. Isto foi o que aquele bocado de espargo regurgitado contou à poiazinha amarela que eu tinha feito depois de uma noite a copinhos de leite e caldo de borrego. Ressacas sim, mas democracia??????

Sun Iou Miou disse...

Concordo, eu sempre pensei que a minhas excreções se deviam sentir muito solitárias na fossa séptica, por não dizer já terrivelmente confinadas. Estou a pensar em ir fazer de campo, deixa-las em plena liberdade e convívio.

Carolina Tavares disse...

Só para lembrar que somos humanos (humus = terra) e por isso deveríamos ser mais humildes.

Rui Pascoal disse...

Quando o chefe diz: - Estás a fazer merda! Não o deves mandar logo às urtigas, entende isso como um elogio.
:)

Rafeiro Perfumado disse...

Janita, pois venham daí esses ossos e demais carnes, mesmo que sem cheiro à mistura! Beijocas!

Laura Ferreira, não te esqueças que a ecologia e o as energias alternativas estão na moda!

Nuno Medon, isso seria demasiado simples, sabes que eu prefiro explorar o lado obscuro da coisa. Abraço!

Teresa Santos, igualdade talvez seja de facto mais adequado, já que há uns que flutuam mais do que os outros, lixando o nivelamento.

Rafeiro Perfumado disse...

Beth/Lilás, dizia um famoso poeta português “uma mosca pousa com a mesma alegria / na careca de um rico como em qualquer porcaria”. Beijocas!

Malena, eu ouço sempre vozes, mas presumo que é por causa da inalação de gases perigosos.

Carol, na cidade é assim? O que não faltam por aí são cagalhões órfãos, largados à sua sorte, à mercê de pisadelas involuntárias.

Constantino, mas claro que não estou enganado. E desafio-te ao seguinte: engole um receptor áudio e vídeo e depois segue o seu percurso, vais ver como acabarás por me dar razão!

Rafeiro Perfumado disse...

Sun Iou Miou, com a vantagem que podes sempre ir visitá-las, ou levar-lhes novos amigos! Abracinho!

Carolina Tavares, já para não falar do famoso dito bíblico “da bosta vieste e bosta serás”.

Rui Pascoal, pior é se não dissesse nada e se limitasse a puxar o autoclismo. Abraço!

Dança dos Dias disse...

Pá, não mistures as merdas que isso costuma dar merda.
Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, como diria o outro.

Há.dias.assim disse...

é assim que descobrimos que somos todos iguais. Nada de manias...

ADLuxor disse...

Realmente é uma perspectiva bastante original e verdadeira ahahahahhah!!!
Olha eu coloquei um post no meu blog sobre os reality shows e, visto que és o meu único leitor, gostaria que desses uma opinião sobre as minhas propostas a reality shows que coloquei lá se não te importares claro ;)

Abraço!

Isis disse...

Ehehehehe. Até me cheirou mal aqui. Continua a ler os pacotes de açucar :))))

Marta disse...

Hum...isto é o que se chama conversa de merda! LOL

Ardnaxela disse...

A minha avó sempre me disse que as conversas dos portugueses acabavam sempre em merda... Se calhar a senhora até tem a sua razão xD

Beijinho

hesseherre disse...

Eu nunca vi um post tão MERDA...Rafeiro...é MERDA pura cara!
Vai ler o meu blog, a ver se te inpiras, este post está ruim pra cachorro. E tenho latido.

Teté disse...

Um convívio muito pouco divulgado, já que não há estudos recentes sobre um tema tão interessante! Nem a ASAE faz lá vistorias, para verificar se existem por lá fumos ou gases tóxicos, ou se o jantar do Etelvino estava estragado... :)))

Beijocas!

FATifer disse...

Hoje, para variar, deixo uma pergunta mais séria:

Será esse o único nivelamento social que conseguimos?

(é que é uma merda literal e não literalmente falando)

Abraço,
FATifer

Orquídea Selvagem disse...

Ó FATifer, lá estás tu com os teus trocadilhos...

Beijinhos :)

Rafeiro Perfumado disse...

Dança dos Dias, mas no fundo vai dar tudo ao mesmo, ou melhor, à ETAR.

Há dias assim, vês como apanhaste o sentido da coisa? ;)

ADLuxor, claro que não negarei o meu papel de comentador exclusivo, é uma honra ter um blog que só escreve para mim! Abraço!

Isis, até tenho cuidado ao rasgá-los, para não me lixar a leitura!

Marta, podia ser pior, imagina que me punha a falar de política!

Rafeiro Perfumado disse...

Ardnaxela, sempre talvez seja um exagero, mas que normalmente a roçam, isso sem dúvida. Beijoca!

Hesseherre, mas claro que é, então se o tema é esse, querias que o poste degenerasse? Abraço!

Teté, consta que os inspectores que foram enviados para investigar nunca mais voltaram... (música do twilight zone). Beijoca!

FATifer, assim é fácil, quando fazes a pergunta e dás a resposta. Abraço!

Orquídea Selvagem, desta vez não, até foi bastante claro e directo!

Anjo De Cor disse...

que conversa Rafeiro, heheheheh ;)
Beijinhos*

Tio do Algarve disse...

E depois vão todos juntos, no emissário do Estoril, para a praia, a banhos. Que merda férias! Só gente conhecida...
No interior vão às prais fluviais, não têm direito a mar. Que merda de igualdade ;)

Parabéns pela ideia. Deixa-nos na merda.

turbolenta disse...

Pois ainda recentemente fui de fim de semana ali para a zona centro e apercebi-me que ,por aquelas bandas , em algumas aldeias ainda persiste o costume de desenvolver determinadas tarefas a nível comunitário. Por exemplo: haver um lagar comum onde as pessoas vão moer as azeitonas e trazer o azeite. Até as casas que fazem parte deste "empreendimento" são comuns a todos eles e servem para guardar a azeitona enquanto espera que seja moída.
E quando era criança lembro-me bem de que, no final do Verão, havia todas as noites um trabalho comum de entreajuda entre todas as pessoas. Hoje iam todas para a eira do Zé Nabo tirar as camisas às espigas de milho, amanhã fazer o mesmo no Manel dos chouriços.Entretanto, cada um ía pondo o milho a secar ao sol na sua eira. Findo um tempo, voltava o trabalho comunitário.Havia que tirar os grãos de milho das espigas do milho. E lá voltava a maralha a correr as eiras todas até que o serviço fosse dado por concluído.Isto era uma autêntica festa de cantigas, gracinhas e de abraços cada vez que aparecia uma espiga de grãos vermelhos.
Nas cidades as pessoas não se conhecem. Quantos pessoas vivem em prédios com tanta gente quem as pessoas não se conhecem sequer?
E ainda bem que a maioria das aldeias já tem saneamento. Porque em tempos passados , quem tinha uma sanita ,mesmo com assento de madeira, era um rei.Cheirava mal, ó se cheirava, mas aquilo era aproveitado para estrume e para fertilizar as terras.Não havia pesticidas como agora há. Isso é que era agricultura biológica!
lol

Petra disse...

hahahhahhahha sem dúvida que tu Rafeirito... tens uma imaginação única....
Olha foste o vencedor do concurso dos insultos.
Parabéns....
Agora cabe a mim saber escolher um prémio para ti!
eheh beijinhos.

aespumadosdias disse...

Na cidade todos juntos na igualdade da ETAR.
:)

pink poison disse...

Qualquer coisa neste post, cheira mal...

Rafeiro Perfumado disse...

Anjo de Cor, não se pode dizer que não tenha substância! Beijocas!

Tio do Algarve, dando origem aos famosos OFBI (objectos flutuantes bem identificados). Abraço!

Turbolenta, eu falo por mim, já morei num prédio que o único contacto que tinha com os vizinhos era nas reuniões de condomínio e quando mandava com a vassoura no tecto porque a vaca de cima insistia em correr pela casa com sapatos de salto alto. Se bem que a vizinha da frente até merecia um conhecimento mais profundo... Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Petra, mas tinhas dúvidas do alcance do meu insulto? Mas nada de o utilizar indevidamente, é coisa para arruinar a vida do visado. Beijocas!

Aespumadosdias, até ao dia em que criem uma ETAR VIP! Abraço!

Pink Poison, não olhes para mim, tomei banho e tudo!

Táxi Pluvioso disse...

É uma função que nos une a todos. boa semana

Papoila - BF disse...

Hora aqui está um post de "m" no verdadeiro sentido do tema e não na qualidade da escrita. Bom Convívio :)

BF

Leana disse...

Hahaha!

Adorei, quer o post, porque me fez dar umas boas gargalhadas, quer a ideia da ETAR VIP :)
Acho que na minha próxima ida à CCDR ou à DRE vou propôr a ideia!

Bjinhosss

Rafeiro Perfumado disse...

Táxi,a todos não, temos de ter em atenção os algaliados.

Papoila, infelizmente tenho um compromisso e vou ter de faltar à rave. Mas tenho a certeza que vai ser um estrondo! ;)

Leana, espero que possas explicar essas siglas, ou vou ficar a pensar que estás a ofender a minha tia Benedita. Beijocas!

Mz disse...

Oh... olha que eu sou uma aldeã, embora a viver nos últimos anitos numa Vila, digo-te que lá na aldeia não existe 'sozinho no meio da multidão'. Existe sim privacidade, então brincamos?

bjs

Leana disse...

Ah ah ah!

Deal! Eu explico as siglas mas antes explicas tu estas...ETAR VIP :)))

Bjinhos**

Patrícia disse...

É triste que a sociedade possa ser identificada pelos presentes nos seus WCS.
Infelizmente tenho vizinhos que são autênticas pestes, pelo que oiço tudo e muitas vezes não é algo bonito. Muitas vezes, só de os ouvir, dá-me vontade de ir à casa-de-banho.

Beijinhos=)
Patrícia

Isis disse...

Olá! Tens um selo no meu blog :)
Beijinhos

Maria Santos disse...

Adorei... às vezes tambem me apetece fazer uns post's de merda! Tem dias... que só me apetece falar de merda!
Sou tua fã... fazes-me chorar... A RIR!!!

Maria Santos disse...

Só uma perguntinha: estavas na "cagadêra" quando escreveste isto????
É que é um sitio inspirador...

ψ Psimento ψ disse...

Isto é que é pensar outside the box. Realmente na aldeia os “contributos humanos” andam mais abandonados mas também tem o prazer de entrar no ciclo da vida e voltar para as alfaces e serem ingeridos de novo por assim dizer.
De qualquer forma nenhuma das situações são pensamentos bonitos ahahah.
Um abraço.


Isto é que é pensar outside the box. Realmente na aldeia os “contributos humanos” andam mais abandonados mas também tem o prazer de entrar no ciclo da vida e voltar para as alfaces e serem ingeridos de novo por assim dizer.
De qualquer forma nenhuma das situações são pensamentos bonitos ahahah.
Um abraço.

MARGE SIMPSON disse...

Por acaso quando escreveste o post tinhas passado num quiosque visto a cara do nosso Prime Minister? É que com ETAR.. e resíduos sólidos só me ocorre o nome José Sócrates...e nós já estamos no patamar do lixo.. na Europa.. a coisa começa a cheirar mesmo mal... e não há liquidez que nos pague a dívida!

Rafeiro Perfumado disse...

Mz, a minha expressão refere-se à vida nas cidades. E aí basta descer a Av. da Liberdade, em Lisboa, para constatar isso. Beijocas!

Leana, com certeza! ETAR VIP significa Estação de Tratamento de Águas Residuais onde existe Very Important Poias. Beijocas!

Patrícia, mas por outro lado se tiveres de fazer um estudo sociológico, material não te falta. Beijocas!

Isis, já lá fui, mas desses já tenho para a troca. Obrigado na mesma e beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Maria Santos, mas haverá outro lugar mais inspirador do que o WC, mesmo que por vezes lá tenhamos de suster a inspiração? ;)

Psimento, por vezes temos de encarar o lado menos bonito da vida para darmos mais valor ao restante. Esta frase não tem grande aplicação aqui, mas que é gira, sem dúvida! Abraço!

Marge Simpson, se bem que a ETAR ainda consegue reciclar os dejectos, já no caso do nosso primeiro, só mesmo a co-incineração!

Felina disse...

Muito comovente este poste a rede de esgotos transformou se numa rede social...

José Sousa disse...

Ha Rafeiro danado!
Cada vez que leio o que escreves rio do principio ao fim. Esta coisa dos calhões dos homens se juntarem lá na cidade numa ETAR e para depois ficarem a contarem algumas anedotas, rsrs. E os cagalhões dos Rafeiros ou outros cães, onde irão parar e que história terão? Talvez de linguas e fucinhos que outros por vezes tentam fazer no vosso cú! rsrs.

Um abraço Rafeiro, bom fim de semana.

Felina disse...

Xi também te lixaram os comentários?
deixa lá eu repito o meu

Este post comoveu me... é muito lindo ver uma rede de esgotos se transformar numa rede social

Rafeiro Perfumado disse...

Mz, a minha expressão refere-se à vida nas cidades. E aí basta descer a Av. da Liberdade, em Lisboa, para constatar isso. Beijocas!

Leana, com certeza! ETAR VIP significa Estação de Tratamento de Águas Residuais onde existe Very Important Poias. Beijocas!

José Sousa, infelizmente os cagalhões dos cães vão parar à sola dos sapatos, os meus incluídos! Abraço!

Felina, ora aí estava uma ideia a ser explorada! ;)

Rafeiro Perfumado disse...

E se o blogger fosse levar na peidola mais os comentários e respostas que apagou... andamos a pagar fortunas para isto?!?

Leana disse...

Oh! Não era assim! Bolas não gosto nada desse cão de raça metido a VIP que de vez em quando se apodera do espírito do Rafeiro!

Queria uma ETAR à Rafeiro, got it?

Vá, mas não quero continuar a provocar insónias à tia Benedita, aqui vai:

CCDR - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional [eu sou presença assídua na do C :)]

DRE - Diário da República Electrónico? Nops! Direcção Regional de Economia (também costumo frequentar a do C lol)

Beijocas ;)

Rafeiro Perfumado disse...

Leana, ETAR à rafeiro? Do género Enorme Trampa Atirada ao Rio? Beijocas!