Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

E agora, o que é que eu faço com isto?

Um dos comportamentos típicos do nosso povo é a tendência para a badalhoquice. Causa-me imensa confusão quando os contentores do lixo estão cheios (por ainda não ter passado o camião da recolha ou, mais comum, greve dos serviços de recolha) e a malta continua a despejar na mesma o lixo, construindo montes que em alguns casos chegam a rivalizar com as pirâmides egípcias (as mais pequerruchas, pronto).

E não me comecem a dizer «então e onde é que eu guardava o lixo, lá em casa?» porque isso é um falso pretexto. Digamos que a vossa retrete ficava entupida e vocês estão à rasquinha. Arreavam na mesma? Ou tentavam encontrar um local alternativo? E não se metam a dizer «estás a sugerir que mandemos o lixo para o mato?» porque aí já começo a ficar com vontade de vos dar uma cabeçada! E vocês hoje estão faladores, porra! O que eu quero dizer é que, se um serviço está indisponível, têm duas soluções: ou aguentam, na medida do possível, até que esteja novamente acessível, ou então procuram uma alternativa similar! E garantidamente que algures haverá um contentor que ainda possa levar com o vosso lixo, a não ser que sejam uns porcos de primeira que produzem resíduos na ordem das toneladas!
 
E não me venham dizer «Ah, queria ver se fosse contigo», primeiro porque já estou farto de vos ouvir e segundo porque durante muitos anos andei a passear lixo no carro para poder colocá-lo num Ecoponto ao pé da casa da minha sogra, pois na minha zona não existia! E a coisa por vezes corria tão mal que de vez em quando ainda encontro vestígios disso no carro! Estamos entendidos?!?

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

55 comentários:

Luís Coelho disse...

Tinha o comentário feito e desapareceu.
Começo por repetir alguma coisa.
Vamos à escola básica e ensinemos os nossos meninos a seleccionar o lixo e a depositá-lo correctamente.

Respeitarem a natureza e nunca se atirar o lixo para qualquer canto.

Nunca é demais batalhar neste campo.

Rui Pascoal disse...

Somos "feios, porcos e maus" mas se todos colaborassem poderíamos ser bem melhores, i.e., muito mais feios, muito mais porcos e...
Quem é que se metia connosco depois?
Nem as moscas!
:)

the big fox disse...

que violento!!
eu até gosto do inicio "tendência para a badalhoquice", bem mais que do título, mas depois entre as cabeçadas e a violencia verbal terminamos com a "sogra", para mim é demasiado, já tou arrumado para a semana toda por KO tecnico.
abraço

Patrícia disse...

Concordo. Eu sou das burras que trago o lixo novamente para casa se o contentor está cheio. E digo "burras" porque raramente vejo alguém a fazer isso.
há realmente muita gente porquinha por aí.

Petra disse...

Rafeirito.... eu sou uma privilegiada...... quando os contentores la da rua estiverem cheios... não vou atulhar a minha casa de lixo....
Desço as escadas e enfio tudo na boca da vizinha de baixo.... que da maneira que gosta de falar da vida dos outros... deve ter uma caverna porreira para abarcar toda a porcaria que lá enfiarem.

FATifer disse...

Esqueceste-te de referir os montes de lixo que se acumulam à volta dos ecopontos (a ponto de por vezes não se ter acesso aos mesmos). Civismo não faz parte dos predicados do tuga e como nunca mais se começa a tentar alterar esse estado de coisas nunca mais se muda esse facto. A quantidade de lixo que se vê no chão é outra evidência…
Escolheste um assunto algo mal cheiroso hoje mas como sempre pertinente ;)

Abraço,
FATifer

Ti Coelha disse...

Concordo, até porque eu própria faço isso. Ainda me fazmais confusão a malta que abre os caixotes e não os fecha ou, então, encontrando-os abertos, deixam-nos estar como o encontraram. Enfim...

Sun Iou Miou disse...

Pior é quando vais a andar pelo monte e encontras a atrancar um caminho (eu passo por ele quase todos os dias) um carro com gente lá dentro a fazer as suas coisinhas divertidas e um saco plástico de lixo (com os restos a merenda, imagino, que não abri, mas digo pelo interesse com que a minha cadela cheirou) ao pé do carro, por não falar dos preservativos (ainda bem que usaram!) e os lenços de papel. Juro-te que estive para abrir as portas do carro e enfiar-lhes a merda toda dentro. Isso é mesmo f... a natureza!

Utena disse...

Entendidissimos...livra hoje estas sensível não se te pode dizer nada...

TERESA SANTOS disse...

Mas queres bater, é?
Sabes qual é o meu signo? Tourinho, pois, pois! Isto diz-te alguma coisa?
Não, não estamos entendidos, nada disso.

Só uma questãozinha, pequenina, muito pequenina, insignificante, ingénua, etc., etc.

Se esse transporte de resíduos para casa da tua sogra decorreu durante anos (quantos????) como é que ainda há vestígios dos ditos na tua viatura?
Ah, pois!

E não me irrites mais!!!

E cala-te (se faz favor, que a minha mãezinha ensinou-me as regras da boa educação!) porque eu NUNCA ponho o lixo FORA do contentor.

Foge!...

Brown Eyes disse...

E quem fala assim não é gago. Haja civismo.
Concordo a 100% e também é algo que nunca fiz, sob pena de deixar o lixo em casa mais um dia, paciência!

Bjs

ADLuxor disse...

Normalmente quando essas coisas acontecem o melhor é levar o lixo a outro contentor mais vazio.
Abraço!

S* disse...

Não suporto. Falta de educação no seu pior.

Carolina Tavares disse...

Em prédios de apartamentos a administração do lixo é mais fácil, pois há empregados para tanto. Nestes casos o proprietário do apartamento deverá depositar na lixeira do prédio, sem ter maiores preocupações. Em uma casa fica mais difícil, depende da educação de quem ali habita e também do serviço de recolhimento de lixo da cidade, que precisa ser eficiente, bem como da manutenção, dentro de padrões ecológicos, dos aterros sanitários. Portanto é uma ação de todos, dos cidadãos e da prefeitura.

Outro tópico importante é o fado do transeunte não jogar na rua o pequeno lixo do dia, para manutenção da cidade limpa. Necessário ter pequenas lixeiras pela cidade.

Limpeza urbana é assunto amplo, pois há também a poluição do ar (vistorias dos carros, ônibus etc.), a poluição visual (paredes rabiscadas, outdoor em desarmonia agredindo monumentos históricos).

O comentário ficou grande e em português do Brasil, agradeço a compreensão, qualquer coisa, traduzo... :) (na boa).

Beijocas!

Teté disse...

Por acaso tenho sorte, que o meu prédio tem porteira e é ela que recolhe o lixo, mesmo em caso de greve. Nos feriados, claro, temos de ficar com ele em casa um dia e só pôr no dia seguinte. Aliás, porque a porteira refila (e muito bem) com quem põe o lixo à porta de manhã ou à tarde, porque ela só o recolhe bem à noite - a casa das pessoas pode não ficar a cheirar mal, mas fica a escada, que é ela que limpa! ;)

Quanto aos ecopontos, pois, de um modo geral não é lixo que deite cheiro. E também o levo de carro, que o ecoponto não fica muito perto e junto até ter uma quantidade suficiente de lixo para levar...

Ah, e a porteira também me leva as garrafas e vidros, que ela divide, assim nem tenho que me preocupar com restos de líquídos que deitem cheiro, por exemplo. Resumindo, quem tem uma porteira, tem tudo! :)))

Beijocas!

Joana disse...

Ora aí está algo que aqui há dias comentei ... Pensava que era só eu que ficava a pensar nessas coisas!

ellen disse...

Pois... é isso mesmo!!! :-)

Beijinho

Vítor Fernandes disse...

Todos diferentes todos iguais. Não é só na tua rua e também não é só na tua cidade e também não é só no teu distrito e também não é só no teu país. mas o que me está aqui ainda a dar volta à cabeça é se devo cagar numa fralda, deitar a fralda no lixo e tomar um banho de seguida. Não, rauf, não é a alternativa ao lixo, é à pia entupida..

redonda disse...

Muito bem e um exemplo a seguir.
Até agora e quando calhou ser eu a levar o lixo nunca me aconteceu estar cheio (mas quero crer que se isso sucedesse iria procurar um similar mais vazio).
um beijinho

turbolenta disse...

Aqui na minha zona há poucos ecopontos(isto é a minha opinião, que não me parece ser a mesma que a câmara tem.).Então, o mais vulgar são as tais pirâmides que os munícipes teimam em amontoar lado a lado com os contentores que já haviam de ter sido despejados há muito.
Mas o que eu mais gosto é de ir despejar o lixo 3ª à noite. É que na 4ª, a meio da manhã vem o carro que leva os monos- mas de véspera as pessoas já os deixam todos em exposição na via pública.
Pode alguém querer algo ...e para não falar que agora aparecem umas carrinhas com uns senhores munidos de alicates e outros instrumentos, para ver se há electrodomésticos ou qualquer outra coisa da qual eles posam retirar cobre, ferro e eu sei lá que mais.
Então, depois de retirarem o que procuram, deixam ficar tudo desmantelado e espalhado no passeio(e às vezes no meio da rua) E então sim...é lindo!
Ecopontos a rebentar pelas costuras, contentores de lixo malcheirosos e a abarrotar. Os gatos e cães a verem se há algo para eles... um filme de vandalismo e terror!
beijos

Laura disse...

Ah, com essa da higiene, e para a minha mãe não ter de descer as escadas lá da casa dela porque até ao portão era um pedaço e dali ao lixo, outro, era de tarde, quando vim para casa trouxe o lixo dela para por num contentor mais à frente, esqueci, e assim pus junto ao nosso depósito onde o lixo passa à noite, tudo na maior, o pior foi chegar à carrinha de manhã e constatar um cheiro horrível e dar pela falta do meu saco com dois pares de sapatos...que vinham do sapateiro...acreditas?
Esta de cumprir normas...e tomar conta do lixo alheio...
beijitos

Barroca disse...

Oops, já me aconteceu ter que deixar um saco de plástico encostado ao ecoponto amarelo porque já estava a abarrotar, mas apenas porque faço questão de não andar com coisas malcheirosas no meu carro! :P

ah, e as alternativas na zona estavam iguais. toma lá, canito!

Nita disse...

Olá:

Interessante blog. Gostei muito.

Um beijo.

Nita

conchita disse...

Entendidissimos sim senhor!!, mas vindo deste povão não me admira nada e se perguntares alguém se colocam o lixo na rua mesmo nos dias de greve ou em caixotes a abarrotar, a responta é: "EU?!!!, NUNCA!!". Pois, pois...
Beijos:)

TERESA SANTOS disse...

Ah, o lixo continua aqui.

Pois, o carro da recolha ainda não passou!

Conversa, menino Rafeiro, conversa...

SDaVeiga disse...

Separando o que dá para reciclar já se reduz a quantidade de lixo para metade (bravo pela tua capacidade de levar a reciclagem para o seu destino à boleia Rafeiro!) e, se se arranjar alguém com um quintal na vizinhança que tenha galinhas ou uma caixa de compostagem, dá para reduzir drasticamente!
Boa semana Rafeiro, e que "a badalhoca" rume rápido para os teus lados!
P.S.: Esta mensagem fez-me lembrar uma da Pronúncia, porque "os homens do lixo não sabem o poder que têm"!!! (http://pronuncianorte.blogspot.com/2010/10/os-homens-do-lixo-nao-sabem-o-poder-que.html)

aespumadosdias disse...

E a quantidade de beatas que deixam na praia com 1 caixote do lixo VAZIO a menos de 20 metros. Que cambada de porcos.

Ardnaxela disse...

Assino por baixo!

Não percebo qual a necessidade de certas pessoas de atirarem o lixo para o chão e ainda percebo menos quando se encontra um caixote do lixo mesmo ao lado delas. Será que essas pessoas também deitam os papeis do multibanco ou o talão do supermercado ou o papel daquela pastilha elástica ou até mesmo o raio da pastilha para o chão da sua casa? Tenho as minhas duvidas, mas sabe-se lá...

Marta disse...

Não podia concordar mais contigo!
Acho inadmissível a quantidade de gente badalhoca que anda por ai. Não há desculpa, mas a verdade é que tudo é pretexto para não reciclar ou para espalhar lixo por ai.
Olha, essa malta devia era ser multada, mas com valores mesmo dolorosos que era para aprender.

elvira carvalho disse...

Pois, é o lixo no chão ao pé do contentor, quando não é o mobiliário todo colocado lá na Segunda -feira quando se sabe que o camião de recolha dessas coisas só vem uma vez por semana à Sexta-feira.E aqueles senhores que vão no carro e de repente utilizam a janela para jogarem a "beata" ou cuspirem?Ou os que vêem passear os canitos para a porta dos outros a fim de que se aliviem?
Um primor Rafeiro.
Um abraço

Pantomineira disse...

Reciclagem cá em casa faz-se porque o buraco já traz os separadores devidamente identificados.. e nunca tive problemas já que o lixo cá de casa é despejado na lavandaria e ele lá segue o destino...andar com lixo no carro está fora de questão...para além do cheiro que possa deixar ( e não cozinho) tenho além do "buraco na lavandaria" disfarçado...onde foi pedido desde o início a separação, tenho um contentor enorme em frente à casa e os da reciclagem ao lado...por isso é só atravessar a rua. Curioso que desde que aqui estou nunca houve greves ou lixos acumulados a não ser nas épocas festivas, mas é recolhido.. por alguma coisa aparece a taxa nas facturas! por isso estou livre das tuas cabeçadas e mordidelas!
Regressa de férias e sobrevivente aos motins de Londres...venho aqui então a despejar o lixo "cerebral" que me resta!
Beijo.

BlueShell disse...

Tens toda a razão, meu! [ e, de facto o pessoal hoje está falador q.b., irra - parece uma daquelas reuniões em que o director não consegue dizer mais que 5 palavras de cada vez, pois está sempre a ser interrompido].
É "tacanhez de espírito"...isso, do lixo!Preguiça e egoísmo, pois não sabias? E está para o lixo como para outras coisas mais no nosso portugal...
Te beijo
BShell

cris disse...

eheh Na escola... todos os anos... são realizados trabalhos e os meninos aprendem... chegam ao carro dos papás e os que são crescidos, abrem a janelita e atiram: pacotes vazios de tabaco, papéis e latas... "O meu pai é o Maior, carago!"

Eu ainda passeio o lixo.. com a agravante de que, na pressa de chegar à escola, o deixo trancado sem poder respirar até voltar a entrar... Mas não deixo onde calha. Aos que acham que por levar o lixo no carro são de menor espécie, digo-lhes que, largar o saco onde calha é coisa de bombista.

Já agora, Rafa, os que passeiam os rafeiros e não recolhem os dejectos, mereciam um presente à porta de casa, entrega diária! ;)

Mil beijocas Larocas e
óptimo Setembro para vós

Rafeiro Perfumado disse...

Luís Coelho, mas acho preocupante ter de se ensinar algo tão básico como respeitar a natureza e os que a habitam. E, olhando para os exemplos que nos rodeiam, algo está podre nesse sistema de ensino.

Rui Pascoal, pelo caminho que levamos, o que não nos vai faltar é atenção por parte das moscas.

The Big Fox, tás a chamar-me de violento?!? Anda cá que levas já uma cabeçada! Abraço!

Patrícia, mas qual burra, jove, bota consciente nisso! Mas infelizmente é como nos sentimos, quando olhamos para o panorama geral.

Rafeiro Perfumado disse...

Petra, querem ver que somos vizinhos? A minha é do lado, mas seguramente tem boca para o lixo de ambos.

FATifer, esse ponto dos ecopontos revolta-me de tal forma que nem vou falar dele, para não me chamarem (outra vez) de violento. Abraço e parabéns!

Ti Coelha, ainda me lembro do cagaço que apanhei quando abri um caixote e saltaram lá de dentro dois gatos, ainda hoje a minha pulsação continua acelerada.

Sun Iou Miou, como é bom ver-te por aqui. Devias era meter o lixo no tubo de escape, a ver se dava o mesmo resultado que no “Caça-polícias”. Abracinho!

Rafeiro Perfumado disse...

Utena, estou num daqueles dias...

Teresa Santos, achas que é um exemplar astrológico quadrúpede que me incomoda? Pffff..... Quanto à tua questão, prende-se com o facto da estrada para casa da minha sogra ter muitas curvar e eu as fazer pensando que estou a jogar Gran Turismo. Esclarecida?

Brown Eyes, e quem diz um dia diz umas horas, ora! Beijoca!

ADLuxor, ou em alternativa encontrar um quintal de alguém que esteja de férias. Abraço!

Rafeiro Perfumado disse...

S*, quer dizer, no seu pior não digo, mas anda ali no TOP 428.

Carolina Tavares, é desse género de comentários que eu gosto, cheios de sumo e escritos na nossa língua irmã, que permite ver a beleza das particularidades de cada uma. Sim, sou contra o Acordo Ortográfico. Já no que toca ao cenário que descreves, não é muito comum aqui por estes lados. Beijocas!

Teté, eu a acabar de dizer à Carolina que esse cenário quase não existia aqui e tu tumba, a desmentir-me! A figura da porteira arrepia-me, penso sempre numa velhota com totó na cabeça, avental, chinelos e orelhas sempre alerta! Beijocas!

Joana, se soubesses a quantidade de assuntos que me ocupam o pensamento, alguns por mais de um minuto...

Rafeiro Perfumado disse...

Ellen, era porrada nessa gente, e muita! Beijoca!

Vítor Fernandes, pois eu sugiro uma outra alternativa, uma horta caseira, com tomates, hortaliças, alfaces e afins. Assim, em vez de arrear em sanitas ou fraldas, a malta estrumava as plantações. Convinha era não ter vizinhos sensíveis ou com ligações directas ao Youtube.

Redonda, ou então espreitas antes de te ofereceres para levar o lixo, confessa! Beijocas!

Turbolenta, desconhecia esse gangue dos alicates. O que vejo é o pessoal a despejar os monos, mas até compreendo. É que muitas câmaras têm um número para solicitar esse serviço, mas depois tens de o pagar, como se o que nos levam em taxas não fosse suficiente. É um claro incentivo a despejar o lixo à ninja, furtivamente. Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Laurinha, podia ser pior, imagina que chegavas a casa, sentias esse cheiro e era mesmo dos sapatos? ;) Beijocas!

Barroca, sua malandra! Mas pelo menos foste a primeira que confessou fazer isso, pelo que o teu espancamento vai ser suave.

Nita, interessante comentário, também gostei. Beijoca.

Conchita, todos sem excepção responderiam isso, eu inclusive! ;) Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Teresa Santos, o lixo irá ser renovado amanhã, se hoje não me ocuparem o serão!

SDaVeiga, por vezes fico assustado com a quantidade de coisas que reciclo, pois meto-me a imaginar se aquilo for multiplicado pelo número de almas deste mundo, onde é que se vai arranjar espaço para tudo, mesmo reciclado. Beijoca!

Aespumadosdias, se fosse só as beatas, então e os maços de cigarros? Era obrigá-los a fumar tudo, filtro incluído!

Ardnaxela, o nosso comportamento na rua reflecte em muito o que temos em casa, pelo que não me admirava...

Rafeiro Perfumado disse...

Marta, o problema está mesmo aí, a impunidade. Mas é em relação ao lixo, em relação ao abandono de animais, aos espancamentos domésticos, enfim...

Elvira Carvalho, a esses últimos há uma boa solução. É pegar no presente do canito e enfiá-lo na respectiva caixa do correio. Garanto que a mensagem é percebida. Beijoca!

Pantomineira, fia-te nas taxas fia. Os meus pais pagaram durante alguns anos uma “taxa de saneamento”, quando o mesmo terminava umas casas antes da deles. E achas que a câmara ia vazar a fossa? Beijoca!

BlueShell, e é isso que verdadeiramente me enerva / preocupa, ser apenas um sintoma da nossa cultura, e do seu lado mais perverso. Beijoca!

Cris, eu demorei algum tempo a educar os meus pais, mas consegui, hoje são recicladores convictos. Não me causa impressão andar com o lixo no carro, faz-me confusão esquecer-me lá dele, o que é comum. Quanto a essas bestas que referes, eu optaria pela entrega de hora a hora, até aprenderem. Beijocas, sua vendida ao AO.

Maria Santos disse...

Amigo: 5 estrelas!!! Bem metida!

TERESA SANTOS disse...

Não te despistes na curva.
É que partes a lata e o lixo sobe de forma exponencial!
E a jove? Viúva?

Vou-me embora.

Kok disse...

Enquanto não despejarem o lixo cerebral será difícil que percebam que o lixo orgânico não é para deixar nos passeios!
Acho eu!

Malena disse...

Concordo plenamente! Já tive o lixo bem acondicionado na varanda devido a uma greve e também já andei com sacos no carro para o ir levar a um contentor!

EC disse...

Um primor de post!!subscrevo!! Bjs Rafeiro!!!

carpe vitam! disse...

ahaah, agora fizeste lembrar-me aquela publicidade muito mal feitinha: eu não guardo "kilos de resíduos" em casa!

carol disse...

... que é o que eu ainda faço. Porque não tenho a sorte de morar na capital como alguns rafeiros meus amigos e o Ecoponto é a metros e metros de distância da minha casa. Mas tens razão, ó meu lindo Rafeiro: os portugueses são muito badalhocos! Basta ver nas praias: montes de caixotes para os resíduos e até para se fazer separação espalhados pela praia e o areal cheio de piriscas de cigarros, de caroços de fruta e de papeis! Enfim!

Muitos raufs para ti, meu rafeirinho limpinho!

A. disse...

tenho uma situação semelhante no meu prédio, quando o caixote dos papeis fica cheio de publicidade, começam a fazer um castelo de papel em cima do caixote até que a je acha ridículo e deita aquilo fora...e começa tudo de novo.

Sérgio Pontes disse...

Rafeiro faltou-te uma pequena frase para remate desse assunto (do qual partilho a mesma opinião), a frase seria:

"Tenho dito!"

Abraço

Táxi Pluvioso disse...

Essa é uma questão estética que desde Kant é subjetiva. O lixo é bonito, as ruas limpas só me apetece alçar da perna...

Boboquinha disse...

Uau! Que raiva!!!

Não ia comentar, para te poupar mas no final identifiquei-me contigo, pois fazia a mesma coisa. Só não era tão afortunada para ter um carro! Era de AUTOCARRO mesmo! E alguns sacos (pesados) de jornais e revistas, cartões e papelões...

Ainda bem que o vidrão foi o que chegou primeiro, LOL!

Rafeiro Perfumado disse...

Maria Santos, essa expressão “bem metida” é perigosa...

Teresa Santos, viúva mas não alegre. Espero.

Kok, infelizmente esse tipo de lixo não é reciclável. Abraço!

Malena, eu sabia que eras boa moçoila...

Rafeiro Perfumado disse...

EC, muito obrigado! Beijoca!

Carpe vitam!, essa publicidade é das coisas mais cretinas que tive o desprazer de ouvir.

Carol, limpinho e asseadinho! Quando vou à praia é rara a vez que não regresso com mais lixo do que aquele que produzi. Beijoca!

A., por “fora” espero que te refiras ao papelão, ou temos a sopa entornada...

Rafeiro Perfumado disse...

Sérgio Pontes, ou mesmo “estão avisados”. Abraço!

Táxi Pluvioso, mas entretanto temos de tentar endireitar isto, “enkant” é tempo. Abraço!

Boboquinha, de autocarro?!? Ó pra mim a fazer vénias!