Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Perguntar não ofende


Perguntar não ofende. Isto é estúpido. A carga de bordoadas que por esse mundo fora são distribuídas diariamente às pessoas que acreditam nesta frase. Acho que qualquer pessoa, ou mesmo um político, conseguiria enumerar seis perguntas que deitam por terra este dizer popular. Aqui ficam as minhas:
- Estás mais gorda ou grávida de gémeos?
- És roto ou apenas gostas de abanar a peidola quando caminhas?
- Isso foi uma plástica mal feita ou é apenas um sinal de velhice precoce?
- Este cheiro nauseabundo é teu?
- Já acabaste? É que quero dormir...
- Isso sempre foi assim tão pequenito?
E muitas mais se poderiam arranjar. Mas afinal o que é que se pretendia com esta frase, desculpar a ignorância? É que a coberto desta surgem outros defeitos humanos, como a indelicadeza, a cretinice ou a burrice pura! Se pensam que após meterem a pata na argola se safam com um simples trocadilho popular, das duas uma, ou são masoquistas ou têm muita confiança no vosso cabedal.
Quase que dá para imaginar os americanos a fazerem os seus interrogatórios em Guantánamo, enquanto metem música a altos berros e luzes brilhantes nos olhos dos prisioneiros:
- Então, não respondes, pá? E estás com essa cara de sofrimento porquê? Não te esqueças que perguntar não ofende!

Então se recuarmos aos tempos da Inquisição, aposto que esta frase servia que nem uma luva a quem conduzia os interrogatórios, para justificarem as suas acções:
- Ó Irmão Bonifácio, não acha que meter esse ferro em brasa nos pés do jove é um bocado exagerado? É que nem se consegue ouvir a resposta no meio de tanta gritaria...
- Esteja calado, Irmão Pafúncio, afinal estamos só a fazer umas perguntitas, o tipo não nos pode levar a mal.
- Sim, mas se calhar é caso para o magoar, não acha?
- Talvez, mas o que me importa é que ele não saia daqui ofendido! E então, és ou não és um demónio sarraceno? Vá, responde!

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

50 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Ui, perguntar às vezes ofende, aboreece, chateia, humilha, etc...

Gente cusca :P

Já lavaste os dentes hoje??

Orquídea Selvagem disse...

Eh páh... deixaste-me "entalada" agora...
Como raio é que vou poder escrever um comentário com humor se o assunto que nos trazes hoje é tão sério e delicado!???

De facto há perguntas que ofendem sim. E muitas delas nem é "o que" se pergunta... mas o facto da própria pergunta revelar um desconhecimento sobre nós que não era suposto existir.
Ah, e depois ainda há o caso contrário em que NÃO PERGUNTAR também pode ofender... por revelar desinteresse.

Por isso não posso esquecer antes de mais de te perguntar: «então amigo rafeiro, está tudo bem contigo?»


Beijinhos de amizade :)

Paula disse...

Eh pá, uma vez fiz a primeira pergunta que tens ali em cima a uma pessoa (só não perguntei se era de gémeos) e por acaso não me bateram.
Mas não volto a fazer, porque com a crise toda que anda para aí, ainda apanho alguém que pese mais de 100kg, com 1,80mt e desejos homicidas contra o governo.
E já que não pode apanhar o governo, ainda apanho eu...
:)

Janita disse...

Desculpa lá, Rafeirinho...depois de tanta pergunta, também fiquei curiosa...
quem pergunta...quer saber:

Essa tua maluquice, foi adquirida ou já nasceste com ela...?

Boa semana!

Beijinhos.

Vício disse...

é claro que perguntar não devia ofender! afinal não somos obrigados a saber todos os pormenores da vida dos outros...
apesar de que, no 4º exemplo que deste, se podia perguntar "arrotaste ou peidaste-te?"

the big fox disse...

amigo lembras-te do " todo o burro come palha, é preciso é saber dar...", é igual para as perguntas, agora, como em tudo na vida, há quem saiba perguntar e quem se limite a dizer umas palavras...
abraço e boa semana

Felina disse...

Rafeiro de que raça és? não te ofendas é só para saber se tens pedigree

Rita 4erres disse...

Eu tenho uma boa: "Então meninos querem ficar sem subsídio de férias ou sem subsídio de Natal?"
Jokas

A Minha Essência disse...

Só tu!...

Rafeiro, é para hoje ou para amanhã?

Carlos II disse...

ás vezes ofende e de que maneira! Bem, depende da pergunta.
Já ia perdendo um amigo devido a uma pergunta muito...muita directa.

Uma braço!

Rui Pascoal disse...

Se isso te voltar a acontecer... já sabes: "Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas consulte o seu médico ou farmacêutico".
Desejo-te rápidas melhoras.
:)

S* disse...

Há gente mesmo sem noção. ahahah

Essa de perguntar a uma senhora gorda "de quantos meses está?" é um must.

ellen disse...

Há gente que não se enxerga ehehehe

Beijinho

Barroca disse...

Um ex-chefe meu (que grande mono era aquela criatura) uma vez virou-se para a menina dos cafés (que estava na mesma desde que começara a trabalhar ali há alguns meses) e perguntou-lhe se estava grávida.

Quando a rapariga respondeu que não, espantada, acho que tive mais vergonha do que ele, que devia mui pouco à elegância também. Pessoal que não se enxerga....

Perguntar não ofende, mas depende sobretudo do efeito que a pergunta tem no receptor e se é útil que justifique um eventual embaraço. ;)

Bongop disse...

Não usas champoo anti-caspa porquê?
(Perguntar não ofende)
(Eu sei... fui muito soft na minha pergunta...)
:P

Abraço

elvira carvalho disse...

Já que falou de políticos experimente perguntar aqueles que nos obrigam à austeridade, e que andam sempre com três, ou quatro centenas de "gajos" atrás, se a dita cuja não existisse, de quantos seria o séquito. Se perguntar não ofende há muita gente que gostaria de saber.
Um abraço

Pitanga Doce disse...

"- Já acabaste? É que quero dormir..."

Ó balha-me Nossa Senhora da Agrela! Isto não ofende. Isto deprime. hehehe

Carolina Tavares disse...

O que sei é que as duas últimas frases da tua lista são capazes de destruir uma ¨união estável¨...

maria teresa disse...

Safadinho...!!!Lol

Teté disse...

Pois, mas também existem perguntas que são propositadamente ofensivas, para já não falar da "conversa" entre os irmãos Pafúncio e Bonifácio - que, aliás, têm lindos nomes... :)))

Beijocas!

Petra disse...

Que texto genial Rafeirito... Já agora perguntar ofende sim!!! porra!

Will e Fá disse...

Geralmente quem faz a pergunta já vem justificando, por que sabe que ofende sim!
Muito bom!
boa semana pra ti!
Beijos,
Fá!

Bianca disse...

Muito bom! Mas olha Rafeiro a esta altura já ninguém pergunta nada, passa logo à acção! Vai daí, que perguntar ou não perguntar ninguém se ofende mas sim se fode! Beijo

Marta disse...

Tens toda a razão! Essas perguntas ofendem qualquer um ;)

Patrícia disse...

Ah mas perguntar não ofende. Principalmente se estivermos a falar de quem para evitar perguntar faz merda. E aí dá vontade de ofender, com ou sem pergunta!
(a sério, há perguntas que nos conseguem deixar bem enrascados!)
bjs

LopesCa disse...

LOL perguntar ofende e não é pouco, mas descansa que eu não vou perguntar nada :)

redonda disse...

Eu tive uma colega que 1º estava grávida e eu pensei que estava um pouco mais gordinha e depois estava "um pouco mais gordinha" e eu pensei que estava grávida. Desde aí, achei que era melhor nunca perguntar nada de nada...

Charlotte disse...

Quem inventou isso deve ter feito alguma pergunta muito descabida e depois usou essa frase como desculpa. E vá-se lá saber porquê, a frase virou moda lol

carol disse...

Ai já estamos outra vez no tempo da Inquisição?! Também me parecia... Um ferro em brasa precisavam estes novos inquisidores pelo rabinho acima para ver se diziam e faziam menos barbaridades...

Rauf! Rauf!

Storm disse...

Passos Coelho: Então... estão a gostar das novas medidas de austeridade????


sim... perguntar ofende :O

eheheheheheh
beijoca!

Dom disse...

Perguntar não ofende.
A menina traz cuecas? lol

TERESA SANTOS disse...

Perguntar?

Ora, perguntar é próprio do home, claro!

Tens muitos afilhados?

Coitados!
Deve ser uma tristeza!...

Rafeiro Perfumado disse...

Especialmente Gaspas, lá por eu ter comida aquela sandes de alho com cebola não é motivo para esse tipo de insinuações!

Orquídea Selvagem, não vamos meter mais variáveis nisto, pois se então fosse separar o que é uma pergunta a um homem ou a uma mulher, nunca mais daqui sairíamos! E sim, está tudo bem comigo, obrigado. Beijoca!

Paula, deixa lá, eu uma vez levantei-me no comboio para dar lugar a uma grávida que afinal era apenas uma senhora anafada.

Janita, nasci com ela e tem-se agravado com a idade. Não prevejo nada de bom para o pessoal do lar onde eu for parar. Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Vício, ou mesmo “voltaste a não tomar banho”?

The Big Fox, é a famosa aplicação do dito “mais vale ficar calado e passar por tolo do que abrir a boca e esclarecer todas as dúvidas”. Abraço!

Felina, sou o resultado duma orgia, daí ter saído tão rafeiro.

Rita 4erres, é uma pergunta com armadilha, pois ficam sem os dois! Beijocas! Quando é que voltas a escrever no teu blog, jove?

Rafeiro Perfumado disse...

A Minha Essência, agora é para dia 20! ;)

Carlos II, tenho perdido mais amigos pelas respostas que dou, não tanto pelas perguntas que faço. Abraço!

Rui Pascoal, tenho assistência ao domicílio, sou um sortudo!

S*, que se repete tanta vez...

Rafeiro Perfumado disse...

Ellen, quer do lado das perguntas quer do lado das respostas! :D Beijoca!

Barroca, e ele não disfarçou, dizendo “olhe, eu também não”! Se sentes vergonha pelas patacoadas alheias, deves adorar a série “The Office”.

Bongop, não uso porque tenho esta juba exuberante e lustrosa. Pronto, juba é exagero, mas o meu cabelo é bem tratadinho! Abraço!

Elvira Carvalho, daí eu ter colocado “pessoas” e “políticos” em categorias diferentes, tal é o apreço que tenho pelo segundo grupo. Beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Pitanga Doce, atenção que as perguntas não são auto-biográficas!

Carolina Tavares, se é que se pode chamar “união” a um relacionamento onde existam perguntas assim.

Maria Teresa, não sou eu que ando por aí a dizer que nas vezes que me encontrou ainda não se despiu. ;)

Teté, sim, também há a considerar as perguntas cuja intenção é mesmo embaraçar. Resumindo, é mesmo uma expressão parva! Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Petra, só não ofende quem não tiver orgulho, porra!

Will e Fá, se não ofendesse não era preciso inventarem uma expressão cretina como esta. Beijocas!

Bianca, eu ainda sou da velha guarda, pelo que ainda passo por muitas fases antes de chegar à acção propriamente dita! ;) Beijoca!

Marta, a não ser que na 4ª o inquirido responda “fixe, que eu também estou pedrado de sono”

Rafeiro Perfumado disse...

Patrícia, aí não é avançar com perguntas, é mesmo com afirmações e porrada! Beijocas!

LopesCa, ainda bem, eu e o teu lombo agradecem. ;)

Redonda, eu se tivesse uma colega assim acho que mudava de emprego, só para não cair em situações embaraçosas.

Charlotte, acho que a maior parte das frases feitas surgiram como desculpa para uma grande patacoada, sendo depois promovidas à categoria de dito popular para certificar a mesma.

Rafeiro Perfumado disse...

Carol, só um ferro? Era um poste e ainda era pouco! Beijoca!

Storm, aí não só ofende como pode ser considerado humor negro! Beijoca!

Dom, e se a resposta for “claro, nunca saio de casa sem elas. Já o menino e o cérebro...”. ;)

Teresa Santos, já te disse que tenho um!

AmSilva® disse...

EU acho que depende da pergunta não??
Abraço

Mz disse...

Atira-se o barro à parede e depois desculpam-se com esta!
Eu própria já recorri a esta frase tão popular com pessoas muito próximas de mim, tenho quase a certeza que tu também não escapas à generalidade do comum mortal!

VErdade?

Inês disse...

Esta é daquelas frases feitas que não têm nexo nenhum.Sim, muitas vezes perguntar ofende.Pode ofender a pergunta, a forma como é feita e o porquê de a fazer.

Ti Coelha disse...

Realmente... cada pergunta dessas acompanhada de um "perguntar não ofende", é porque quem pergunta não deve ter dois dedos de testa e está mesmo a pedi-las... Há perguntas e perguntas :)

TERESA SANTOS disse...

Pois, pois!

E não vais ter mais, prometes?!

Uf, que susto!!!!

Malena disse...

Pronto, confesso!! Sou um demónio, só que não sou sarraceno! Eheheheh!
Festinhas na pelagem! :)

André Miguel disse...

Parece que somos um povo perito a arranjar desculpas. Até para a ofensa.

Táxi Pluvioso disse...

Por isso é que as Finanças mandam logo cobrar, nem perguntam se a conta é nossa, assim não ofendem.

Rafeiro Perfumado disse...

AmSilva, e da resposta que pretendemos. Abraço!

Mz, claro que não escapo, como é que achas que eu me lembro disto?

Inês, ofende-me é saber que esta frase continua a ser utilizada a direito e a torto.

Ti Coelha, e se o visado pela pergunta tiver caparro, ainda se arrisca é a ficar sem testa.

Rafeiro Perfumado disse...

Teresa Santos, já tenho despesas que me cheguem!

Malena, acho mais uma santinha que se disfarça de demónio...

André Miguel, imagina que perguntávamos à Troika “E se nós não pagássemos a dívida?”...

Táxi Pluvioso, esses ofendem e muito. Se te contasse algumas cenas que passei nas “inspecções aleatórias”...