Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Na volta nem pensas...


E pensar com a presilha, será possível?

Texto tão brilhante que teve de ser removido para um local mais seguro, mais precisamente o livro Agarrem-me ou dou cabo desses palhacitos!

53 comentários:

luisa disse...

Esta foi "bem pensada" :)

A. disse...

Sempre podem pensar com os neurónios dos outros.
(Espera lá que isso é plágio)
:)

Sun Iou Miou disse...

Sempre é muito mais rápido pensar com o zíper.

bee disse...

mas é que pensar com a cabeça dá muito mais trabalho...

Ana disse...

E se a roupa nem tiver botões...ui, ui!

Vício disse...

pena que os alfaiates tenham acabado!
podiam ser considerados uns génios em transplantes de cerebro...

Maria Pitufa disse...

loooooooooll... Que raciocínio genial!! Ahahah... E graças a isso o meu colega está a olhar para mim como se eu tivesse tomado qualquer droga alucinogénica logo pela manhã... porque me estou a rir sozinha em frente ao pc. LOOOll vou voltar ao trabalho antes que me mandem internar!!

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Pior mesmo é fazer isso e a roupa que está a usar nem ter botões!

Ti Coelha disse...

Acho que cada vez há menos botões e mais fechos éclair. O problema está é aí! ;)

Maria disse...

Ahhh, está explicado. E eu que hoje que até nem tenho botões, na roupa. Bolas pá .

Rui Pascoal disse...

Neurónios?
O outro tinha fecho na braguilha e entalou-se...
:)

Marta disse...

Nunca pensei com os meus botões mas...acho que estou tentada ;)

estrela disse...

olá, vim através do blog da Paula e como tenho visto os teus comentários decidi vir ver....
talvez a sociedade esteja tão absorvida por coisas que não interessam que tenham optado por deixar de pensar...precisam de alguma coisa que as chame para a realidade e enquanto isso não acontece vivem num mundo sem "neurónios"...

Janita disse...

Pensamos com os nossos botões ou outra parvoíce qualquer, porque contrariamente ao que se diz, pensar não é tão indolor quanto isso...

Ó Ó dói que safarta, Rafeirinho!

Já tás melhor do pingo no nariz?

No fim de semana, abafa-te abifa-te e avinha-te bastante.

Beijiiiiinhos.

tetisq disse...

Vê-se logo que não usas botões.

Anna^ disse...

Quando a média é de um neurónio por cabeça e este fecha para obras, há que ter alternativa...é aí que entram os botões! :P

bom fim de semana e as melhoras :)

the big fox disse...

neu quê? que é lá isso? lá tás tu com m.rdas complicadas, e já agora o que é pensar? tem a ver com a troica? irra 3 linhas complicadas... se não fossem os botoes...
abraço

S* disse...

Maldade a tua. ahahah

Eduarda disse...

És muito má pessoa :)))

Teté disse...

Pois, também me parece uma expressão infeliz! Ainda por cima para quem passa o tempo de t-shirt... :)))

Beijocas e bom fim de semana!

Barroca disse...

Pensa-se com tantos outros anexos e partes que não os botões... ah ah ah! bom weekend. :P

TM disse...

Será se usarem roupa sem botões a coisa resulta?

carol disse...

É o caso dos nossos queridos governantes... rauf! rauf! rauf!

O Bau-bau da imagem de hoje é lindo!

Gasper disse...

Oh!! Essa foi pensado com os neurónios :)

Kok disse...

E a malta que faz tudo à pressa?
Pensará com o "zip" das calças?

60 Sinais disse...

Eu gosto de pensar com os atacadores...são mais versateis!

BlueShell disse...

LOLOL...caraças!!! Essa foi de mestre!

Paula disse...

Por isso é que vejo tanta gente na rua a falar sozinha (afinal era com os botões) e com ar aparvalhado...
:D

Magia da Inês disse...

♡°
º✿
º° ♥✿
Olá, amigo!
Esse é um rauf profundo!
Ah, se as pessoas usassem menos os botões para pensar... as coisas andariam melhores.
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil

❣✿

Rita Almeida Pinto disse...

Pior sou eu que conheço um tipo que tem um tic nervoso e arranca os botões da camisa. Estará a entrar em conflito existencial?? rsrsrs
Beijos

LM disse...

Já cos botões não é mau,pá...enquanto houver vida dentro de certas "caixas córnicas" eu mantenho a esperança!

Fábio Paulos disse...

muito boa, eu ainda vou pensado com os neurónios, não sou muito de usar botões xD abraço e bom FDS

Sight disse...

Pois será que este teu post foi fruto de uma conversa entre botões...ou neurónios??? Um dia ainda vamos ver a ciência cpmprovar que os neurônios estão todos muito bem...abotoados. Embora isto não é válido para alguns ;)
Bem farejado!

Carolina Tavares disse...

E o que será que acontece com os botões pensantes? E com os que não são pensantes? Será que é por isto que os botões caem? Será que significaria falência de orgãos? O que acontece quando se prega o botão, espeta-se o neurônio?

Didi disse...

Por isso é que as ideias que vêm desses pensamentos nunca são nada de jeito lol

Bianca disse...

Então, já pensaste na possibilidade de que quem pensa com os botões é quem pensa bem acompanhada?

BlueShell disse...

Um abraço,
BShell

Matilde disse...

Olá.
Que faço agora? Pedi-lo em casamento; ainda não matei o marido por isso esteja sossegado e não sinta ameaçada as delícias do celibato. :) Contraditá-lo não vejo motivos; promoções só se fosse a minha, mas como disse o marido ainda respira; à casa de banho acertou: não tenho mesmo vontadinha nenhuma. Por isso e sem corar, (sou mais de fazer corar), como não sou cusca tenho mesmo que comentar.
Pensar com os meus botões, não penso. Não tenho nenhuma confiança neles e ainda me iam aconselhar mal. Ná, eles que fiquem lá quietinhos na minha bonita blusa que ficam muito bem. De preferência desapertados para não terem muito trabalho.
Com os neurónios; pois, olhe! Não sei também. Ainda estou para saber se penso com eles ou se são eles a pensar por mim. E se calhar nos outros também. Que acha?
PS. Claro que se justifica uma razão para vir visitá-lo. Para que não digam que sou metediça, já chega e sobra terem-me catalogado de vaidosa, explico.
Dei uma olhada pela casinha da minha querida inimiga de estimação, Rute, e como vi este blog em favoritos vim dar uma espreitada. Só isso.
Gostei.
Cumprimentos e uma boa sema.
M.

Rafeiro Perfumado disse...

Luísa, hoje estou a usar montes de botões!

A., qual plágio, prática comum!

Sun Iou Miou, se bem que os pensamentos, nesse caso, podem ser dolorosos.

Bee, tenho de experimentar um dia, para ver se é verdade.

Rafeiro Perfumado disse...

Ana, nesse caso vivem num “limbo pensatório” até vestirem roupa em condições.

Vício, ou em lobotomias!

Maria Pitufa, não te deixes internar, é que os coletes de força não têm botões!

Especialmente Gaspas, mas pode andar com eles no bolso, é a chamada inteligência artificial.

Rafeiro Perfumado disse...

Ti Coelha, e ainda menos neurónios.

Maria, até me admira teres conseguido escrever isso...

Rui Pascoal, e garantidamente deixou de conseguir pensar!

Marta, depois diz-me o resultado...

Rafeiro Perfumado disse...

Estrela, a sociedade está a desabituar-se de pensar, de andar, qualquer dia desabitua-se de viver...

Janita, o pingo já lá vai, mas assoei-me tanto que acho que metade dos neurónios saíram também. Beijocas!

Tetisq, prefiro usar os (poucos) neurónios que ainda resistem.

Anna^, ou o velcro, que nada mais é que um suplemento neurológico.

Rafeiro Perfumado disse...

The Big Fox, a troika ainda vai exigir que os botões sejam trocados por agrafos, e dos pequenos, para poupar mais. Abraço!

S*, maldade? Qual foi o botão que te disse isso?

Eduarda, do pior que poderias encontrar. Chega aqui, chega...

Teté, quem passa o tempo de t-shirt com este tempo garantidamente não pensa! Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Barroca, dá lá um exemplo, fiquei curioso.

TM, resulta, mas não para pensar.

Carol, o béu-béu é sempre lindo! ;)

Gasper, só pelo do lado direito, enquanto o do lado esquerdo o insultava.

Rafeiro Perfumado disse...

Kok, esses simplesmente não pensam, actuam.

60 Sinais, e têm a vantagem de serem flexíveis nas suas posições.

BlueShell, esta? Estás a ofender-me, pá!

Paula, algumas são com o aparelho de bluetooth, é complicado distingui-las.

Rafeiro Perfumado disse...

Magia da Inês, concordo que seja um rauf profundo, estava numa cave quando me ocorreu! Beijoca!

Rita Almeida Pinto, esse tipo está a auto-lobotomizar-se. Beijocas!

LM, mas é vida ligada a suporte sintético. Aquilo é feito de quê, plástico?

Fábio Paulos, e fazes muito bem, continua a usar os neurónios que certamente te distinguirás da massa “botoeira” que por aí anda. Abraço!

Rafeiro Perfumado disse...

Sight, considerando as paragens que por vezes tenho, estou tentado a acreditar na tua teoria, aquilo às vezes primeiro que arranque é como se estivessem abotoados algures!

Carolina Tavares, por isso é que muitas roupas trazem botões suplentes, já para ter em conta as falhas de raciocínio. Infelizmente para os neurónios tal não sucede.

Didi, já as que vêm dos neurónios são o que são...

Bianca, nessa possibilidade ainda não pensei, mas continuo a achar que o mais provável é não pensarem de todo.

Rafeiro Perfumado disse...

Blueshell, outro, cara amiga.

Matilde, fico mais descansado pela ausência do pedido de casamento por temer as consequências da bigamia, isto porque o meu pedido de conversão à fé islâmica está presa num pormenor qualquer. E isso de fazer corar e andar com a blusa desabotoada vai preencher a minha imaginação durante várias dias. Desconheço qual é essa Rute que me tem nos favoritos, mas certamente é uma das minhas melhores amigas. Beijocas e obrigado pelo comentário tão eloquente!

ellen disse...

Chegaste a uma bonita conclusão!!!
Porque neurónios é coisa que alguns 'animais' humanos não têm.
Xiiiii vou-me pirar já daqui :))

Biscoito de caramelo para ti...

redonda disse...

:)

José Durães disse...

Muito bem visto, sim senhor. Permite-me só acrescentar um comentário. Eu não penso com os meus botões, mas sim com os botões dos casacos de mulheres. É que às vezes há certas moças que, quando desabotoam o casaco, vão fazendo com que o meu raciocínio deixe de ter botões onde se apoiar, ficando temporariamente mais turvo.

Táxi Pluvioso disse...

Já não é do meu tempo essa expressão. Eu sempre pensei para o meu fecho éclair ou tiras de velcro.

Rafeiro Perfumado disse...

Ellen, certos animais demonstram pensar melhor do que muitos homens, mas isso não é novidade. Beijoca!

Redonda, ;)

José Durães, comigo acontece algo do género, mas de uma forma mais abrangente, não só com os botões!

Táxi Pluvioso, velcro é típico de um raciocínio muito inconstante, pois facilmente larga os seus ideais.