Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Cenas com línguas

Calma, taradões, sossegou, parou! Por cenas entenda-se expressões populares que envolvam a língua, mais precisamente sem papas na língua, língua de trapo e não me puxes pela língua. Há outras, pois claro que há, mas tentemos manter o nível, ok?

Vamos então por partes. Sem papas na língua pretende retratar alguém que não tem receio de dizer o que pensa, independentemente daquilo que diz ser correcto ou não. Mas se assim é, porque raio associar a boa educação ou a fome ao dizer o que se pensa? Não percebo por que motivo é que uma pessoa que fala sem ter comida na boca é apelidada de frontal, apesar de concordar que se alguém tentasse defender uma opinião com a boca cheia de papa perderia toda a credibilidade, além de ser nojento e perigoso para a roupa da plateia. Por outro lado, não tendo papas na língua pode simplesmente optar por remeter-se ao silêncio, o que contraria o espírito da expressão, ainda mais sabendo que a ausência de comida pode toldar o raciocínio, tornando o discurso incongruente ou mesmo impossível. A não ser que a palavra papa tenha alguma conotação religiosa, mas acho que prefiro não ir por aí, as imagens que acabaram de se formar na minha cabeça são demasiado dolorosas e badalhocas para as partilhar com quem quer que seja.

Quem costuma ser linguarudo leva com o rótulo de língua de trapo, querendo significar alguém que não consegue guardar um segredo, que fala demasiado, enfim, um fala-barato (também é uma expressão interessante mas não o suficiente para a desenvolver, pelo menos para já). Mas vamos lá a sentar (outras posições também são admitidas) um bocadinho e pensar na expressão. Alguma vez uma pessoa com uma língua feita de trapo conseguiria falar? Aquilo acabaria por ficar empapado em saliva e a única coisa que se perceberia seria MUNHOFOMOFEME, com muitos perdigotos à mistura. E desde quando os trapos estão associados à conversa? Só os pobrezinhos é que dizem cusquices, é? Estarão os trapos associados ao fala-barato? Ou o facto de serem trapos significa que estão todos rotos e as palavras escapam pelos buracos?

Por último, o não me puxes pela língua. Costuma dizer-se isto em tom de ameaça, como que insinuando que caso não nos portemos bem com alguém, essa pessoa poderá dizer-nos algo que não queiramos ouvir ou que seja de domínio público. Pois bem, eu desafio, aqui e agora, quem quer que seja que tenha segredos sobre mim a dizer-me tal coisa. Sempre quero ver como é que conseguirás espalhar o segredo comigo a puxar-te a língua até esta chegar à tua testa...

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

PS: Não que eu tenha algo a esconder que me envergonhe, mas pelo sim pelo não, antes de dizerem o segredo falem comigo, está bem?

52 comentários:

Bongop disse...

(Não me puxes pela língua...)
:D

Abraço

bee disse...

e as 'línguas de perguntador'?...

A Minha Essência disse...

Risos... é tramado quando "a língua não cabe na boca." ;)

Maria Pitufa disse...

LOOOOOOOOLL... Do que tu te lembras!! Loooll looll

Vício disse...

estás a falar do sentido conotativo mas essa de puxar pela lingua... eu fazia-o ao meu cão para ele não me morder! e resultava!

Cat disse...

E dar com a língua nos dentes?
É que de cada vez que o faço, magoo-me e deita sangue. Não consigo dizer nem um ai, quanto mais... dar à língua! :P

Matilde disse...

Olá Rafeiro; Bom Dia...

Desde quando os trapos estão associados à conversa???
Agora, confesso, deixou-me perplexa.
Então não estão? Depedende dos ditos e de quem os usa. :)
A sério mesmo que nunca discutiu...trapos? Olha que os há que merecem ser discutidos. Acho...não sei. :)
Estou feliz, radiante, eufórica!
A Minha Angola ganhou! Viva!

Beijo com toda a simpatia.

Matilde disse...

E dar bom uso à língua?
Essa também é uma expressão muito conhecida, acho.
Que é exactamente o que estou para aqui a fazer enquanto o papá não vê.
:)
A minha simpatia.

ADLuxor disse...

Eheheheheheh bem pensadas as associações XD.
Mas cuidado com a língua senão metem-te piri-piri LOOL.
Abraço!

PS: O jogo funcionou ou nem por isso? XD

S* disse...

Todas essas expressões têm algo de porcalhão... :P

Utena disse...

E se não for segredo também podemos falar contigo?

Rui Pascoal disse...

Tive uma fase em que andava sempre com a língua no meio dos pelos.
Depois, devo ter-me cansado por qualquer razão que agora não me ocorre, tomei uma atitude radical.
Rapei o bigode.
:)

Cuca disse...

E se fosses parar à Casa dos Segredos qual seria o teu segredo, hum? Não me puxes pela língua que eu sei muito bem que nos anos 80 e 90 andaste metido com o cavaco, o duarte lima e o outro de bigode que fugiu para cabo verde... tsc, tsc! As coisas que se sabem sobre uma pessoa...

Alguém que gosta de si disse...

È isto que dá (meter a língua onde
não é chamado).Não chegamos a uma
conclusão,eu pelo menos.Sendo assim fico pela língua estufada.
Beijinhos e uma boa semana.

Patrícia disse...

Olá Rafeiro! Credo, já não aqui aparecia desde... já nem me lembro! Enfim, expressões/ditos com a palavra língua têm sentidos ambíguos, o que de facto não é um caminho apropriado para explorar neste momento. A "não me puxes pela língua" é de facto a minha favorita. A pessoa pode estar a dizer tal coisa só para provocar, na verdade ela deve ter comichão na língua e quer que alguém a coce. Enfim, não era bem melhor se fôssemos honestos? Sinceramente...

Beijinhos,
Patrícia =)

pássaro viajeiro disse...

Expressões sobre a língua, é evidente que se prestam a todas interpretações, sobretudo às maliciosas, mas não aceito, como diz a S*, que seja algo de porcalhão.
Afinal é o que é a vida sem brejeirice?
Depois e para quem não fique satisfatoriamente convencido e insista que sim! É porcalhão! Fácil é resolver o assunto.
Basta no...antes e depois, eh eh. Lavar a boca e passar a escova pela dita que fica tudo na maior higiene.
Ah! E sobretudo, e isso é deveras importante, não esquecer lavar a língua por baixo que é o sítio onde a maior parte das bactérias se alojam.
Et Voilá! Porcaria fora e pode-se recomeçar tudo de novo, que é como quem diz, voltar a dar bom uso à língua.
eheh...

pássaro viajeiro disse...

Voltar a "dar bom uso à língua"
Desculpe o plágio, Matilde.
Eheh...

Carolina Tavares disse...

Há também a língua de sogra... Mas esta é bem perigosa, além de ferina, além do que falar mal da sogra pode não ser um ato diplomático.

turbolenta disse...

Logo hoje que estou sem inspiração me vens "falar" destas coisas.
Eu, que muitos dizem não ter papas na língua. Bem....aí têm razão se eu não como papss, como as posso ter na língua?
Mai uma vez o nosso português...essa língua tão traiçoeira.

Com que então "amigo do Cavaco" nos idos anos 80 ou lá quando foi....
TEns de o meter em sentido que o homem anda muito desbocado.
Quando abre a boca só sai asneira(porque agora não há moscas)
Mas também nunca foi grande orador. NUnca disse nada que se aproveitasse.
Já quando dava aulas na faculdade os alunos diziam que "aquilo era uma seca"

TEnho dito!
beijos

pássaro viajeiro disse...

Diplomático não é, efectivamente, Carolina Tavares.
Mas isso até é irrelevante por comparabilidade com a sua segurança que fica seriamente ameaçada.
eheh...

Teté disse...

Ah, com este título, vais ver quantas pesquisas vêm aqui parar... dos tarados do costume! :)))

Epá, não percebi nada dessa língua de trapo. Munhofomofeme?!? Que será que essa eventual personagem queria dizer?

Segredos sobre ti? Se já os divulgaste por aqui, não são segredos... embora a ideia de os revelarmos fosse muito original, assim tipo programa de sucesso na TVI! :D

Beijocas!

Transeunte disse...

Caro Rafeiro,

Face a tais ameaças não me atrevo a ser um "língua de trapo". Ainda foste a tempo, mas para a próxima avisa com mais antecedência.

Abraço
Transeunte

Bernardo disse...

bom post :)

George Sand disse...

Também há a língua da sogra. Mas essa, engole-se num instante e não se pensa mais nisso. Ou, então, dispensa-se

AindaPiorBlog disse...

Boa sorte (no concurso "Blogs do ano 2011").

Que ganhe o melhor e que perca o pior (o ainda pior já foi...).

Malena disse...

Oh pá!!! Eu gosto mais da "outra" língua!!! Aquela que... Tu sabes!! :P

Confesso que votei no Bagaço da primeira vez mas, pensando bem, o rapaz não é um humorista! Já foi para ti da segunda! ;)

tetisq disse...

Tás com a língua solta :)

Kok disse...

Eu não sou de "dar com a língua nos dentes", pá!

1 abraço!

ψ Psimento ψ disse...

Bem nunca me tinha debruçado sobre o tema das línguas eheheh.
Gosto é das "Línguas da Sogra" :p
Abraços

Mz disse...

Pois não sei como, só sei que existem muitas línguas... uma autêntica torre de babel!!! E também existem os que mordem a própria língua ;)

JP disse...

Olha por exemplo o nosso P. R. não teve papas na lingua e afirmou que a sua reforma não lhe chega!

O que falta neste país, são pessoas sem papas na lingua!

Abraço

Felina disse...

Eu sei uma coisa sobre ti na na na na na... e não me apanhas...

LOURO disse...

Olá Rafeiro!!!

Tanto se fala de lingua,mas a que mais gosto é de lingua de bacalhau com uns grelos saltiados!!!

Abraço,
Lourenço

Carolina Tavares disse...

Passei para te dizer que acertastes em cheio no comentário que fizeste.

É bom saber que alguém percebe...

Beijocas

pássaro viajeiro disse...

E há a língua morta; língua que já se não fala; que é como quem diz, língua sem préstimo, sem utilidade.
eheh...
Em contrapartida; que é assim a modos de; por uma janela que se fecha uma porta se abre; há o puxar pela língua que é exactamento o oposto da primeira.
Língua válida, com préstimo, empreendedora, infatigável trabalhadora que quanto mais se empenha mais se puxa por ela.
Eheh...

pássaro viajeiro disse...

Não lembra ao Diabo, ó gente
Difamar o nobre órgão
Quando molhada e quente
E se usada a preceito
Com ganas e devoção
Deixa a malta bem contente.

Pois uma língua salivada
Metedinha entre os dentes.
Nunca foi coisa mal-amada
Nem digna de ser desprezada
Tão-pouco foi odiada
Ignorada ou menosprezada

Digo eu que sou viajeiro
Pelo mundo caminheiro
que em qualquer cor ou crença
nunca vi a qualquer um por inteiro
Ser a língua só sua pertença.


Eheh...

conchita disse...

Lol!!, Não tenho nenhum segredo sobre ti, fica descansado...ah mas se tivesse não perdoava, porque eu não costumo ter papas na lingua, lol!!!
Beijos e boa semana:)

Janita disse...

Isto de linguados, linguajares e expressões populares tem sempre que se lhe diga!
Claro que os línguas-de-trapo e os fala-barato é tudo da mesma família.
Agora aquela expressão que se usa quando queremos ameaçar alguém e lhe dizemos que há-de pagar com língua de palmo e meio, é que eu nunca percebi.
Tu sabes?? Será ameaça de forca?

Rafeirinho, já votei em ti na fase eliminatória, mas aquilo precisa de um empurrão! Vais em 2º lugar.

Põe a língua a funcionar, rapaz!

Beijinhos e boa sorte.

Bianca disse...

É um risco! Pois se eu puxar pela minha língua... ainda morderás tu a tua língua...

Beijo de língua :)

AvoGI disse...

e about "línguas de sogra?" tb as há : compridas finas e metediças
kis .=)

Táxi Pluvioso disse...

Gosto é quando puxam pela língua do Catroga.

pássaro viajeiro disse...

Todos menos esse Catroga que não é fiável.
Ainda está por esclarecer se são pentelhos ou pintelhos.

eheh...

Rafeiro Perfumado disse...

Bongop, só porque pediste com jeitinho! Abraço!

Bee, essa nunca tinha ouvido!

A Minha Essência, será daqui que surgem os perdigotos?

Maria Pitufa, é a minha cruz...

Rafeiro Perfumado disse...

Vício, da próxima vez que me encontrar contigo nem vou abrir a boca...

Cat, como é que me esqueci dessa?!? Urso, urso, urso!

Matilde, em trapos ficam certos assuntos que discuto, pois são tão maltratados que quase dá dó. Uma beijoca e parabéns pela vitória! Foi a contar para o quê, já agora? Quanto ao dar bom uso à língua, poderia levar-me por caminhos indecorosos, e este é um blog de família! ;) Outra beijoca!

ADluxor, eu adoro picante, não seria grande castigo. Abraço!

Rafeiro Perfumado disse...

S*, só quem tiver a língua suja...

Utena, o meu e-mail está sempre aberto para os amigos. Não, essa pasta não, que só tem fotografias artísticas.

Rui Pascoal, e aposto que depois disso começaste a comer muito mais sopa, é que metade ficava nos pêlos!

Cuca, é verdade que nessa altura cheguei a jantar com o Cavaco. Eu e mais 300 pessoas, mas jantei. Felizmente fugi a tempo de ser um pobre honesto.

Rafeiro Perfumado disse...

Alguém que gosta de mim, e que a língua viperina se mantenha longe de nós! Beijocas!

Patrícia, estás a apelar a um sentimento cada vez mais raro, a honestidade. Tão raro que muitas pessoas que o querem ser até têm vergonha de tentar. Beijoca!

Pássaro Viajeiro, é na nossa mente que reside a brejeirice ou a porcalhice. No meu caso estou perdido, pois tenho uma visão muito distorcida das coisas. Quanto à porcaria na língua, sempre que tento escová-la quase vomito, vou deixar as bactérias sossegadas. Abraço!

Carolina Tavares, nem diplomático nem sensato, uma vez que mora lá em casa uma pessoa que gosta muito dela.

Rafeiro Perfumado disse...

Turbolenta, apanhei um professor que foi aluno dele, e contou-nos histórias deliciosas. Lembro-me particularmente de uma, quando trocou de carro, de um Mini para um BMW. Beijocas!

Pássaro Viajeiro, que dizes de uma avença para responderes aos comentários deste blog? Pela amostra ficava parecido... ;)

Teté, a TVI só aposta em formatos de sucesso, um programa sobre os meus segredos teria como telespectadora a minha jove e pouco mais! Beijocas!

Transeunte, não a encares como ameaça, mas antes um aviso passível de te causar danos físicos. Abraço!

Rafeiro Perfumado disse...

Bernardo, obrigado, jove!

George Sand, depende da sogra...

AindaPiorBlog, e mais uma vez obrigado pela chamada de atenção, acho que me teria passado ao lado. Abraço!

Malena, vou encarar isso como a extrema unção, podes levar uma vida de pecado mas desde que te arrependas no fim, tudo bem.

Rafeiro Perfumado disse...

Tetisq, demasiado, segundo as más línguas.

Kok, ainda bem, isso é coisa para lixar o esmalte. Abraço, pá!

Psimento, das de confeitaria ou de carne e veneno? Abraço!

Mz, acontece-me frequentemente. Ainda não morri, sinal que não devo ser a besta que tanta gente diz.

Rafeiro Perfumado disse...

JP, esse tem é papas no cérebro, pois foi dos maiores tiros no pé que já vi. Abraço!

Felina, olha que eu sei onde moras...

Louro, colocar as palavras “língua” e “grelo” na mesma frase é, no mínimo, arriscado! Abraço!

Carolina Tavares, como sempre escrevi a primeira ideia que o texto me fez ter, ainda bem que “acertei”. Beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Pássaro Viajeiro, línguas mortas conheço o latim e o francês. Bem, esta última está apenas moribunda. Um abraço, mesmo tendo em conta a poesia!

Conchita, sendo assim fico muito mais descansado. E ignora o meu e-mail sobre o carregamento de plutónio, ok? Beijoca!

Janita, só se for pegar numa língua com palmo e meio e dar com força na pessoa, ou então puxar-lhe a língua até ficar com palmo e meio. Beijoca e obrigado pelos votos!

Bianca, beijo de língua?!? Até corei, pá! Beijoca recatada!

Rafeiro Perfumado disse...

AvoGi, “compridas, finas e metediças”. Continuamos a falar de línguas, certo? Beijoca!

Táxi Pluvioso, no caso dele gostava é que lhe puxassem outro apêndice...

Pássaro Viajeiro, e como será isso em chinês? Abraço!