Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 19 de março de 2012

Vai chamar mouro a outro, ó sarraceno!

Nunca percebi a pancada que afecta todos aqueles que apelidam os lisboetas de mouros, especialmente quando os autores da graçola são portugueses. Além de História sempre ter sido uma das minhas disciplinas favoritas, bastaria uma pequena análise ao mapa da ocupação muçulmana da Península Ibérica para constatar que só uma coisinha de nada nas Astúrias é que não se vergou em tempos na direcção de Meca.

O que é que isto quer dizer? Que não há em Portugal um único sítio que não tenha sido reconquistado, com uma diferença entre o início e o fim de uns meros séculos (eu diria quantos mas não gosto assim tanto de história ao ponto de me prender com detalhes). Era questão da malta acordar com genica, montar a cavalo, pegar na espada e toca de ir dar porrada no ocupante islâmico. Lisboa não foi diferente, até tivemos a honra de ser o próprio rei a encarregar-se de correr com os, esses sim, verdadeiros mouros.

Se por acaso chamassem mouros à malta do Algarve, aí eu até aceitaria, afinal durante muito tempo o nosso país foi apelidado de «Reino de Portugal e dos Algarves». Vendo bem, aquilo é malta que de tanto apanhar sol tem uma tez assim para o moreno, basta eles esticarem o pescoço e até conseguem ver os primos do outro lado do mar e, quando o vento está de feição, podem comunicar uns com os outros. Até a língua mais falada, em certos meses do ano, não é o português! Agora os lisboetas serem mouros? Por favor, isso é o mesmo do que chamar (pausa para pensar num exemplo que não me arranje sarilhos) trabalhadores aos deputados (que se lixem os sarilhos)!

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

52 comentários:

Rui Pascoal disse...

Deputados, esses sim, trabalham que nem uns mouros...
:)

Ana disse...

Prefiro ser chamada de "moura" a ser chamada de "bimba"...

Bongop disse...

Prefiro Mouro a Morcão!
E tá dito!
:D

Abraço

VdeAlmeida disse...

Bem, também não era preciso descer tão baixo e comparares-nos aos deputados!

Rita 4erres disse...

Estou com o Bongop, antes mouro que morcão (e não ponho no feminino porque ficaria ainda pior).
Jokas
Rita

Fernanda disse...

Sou tripeira de gema e conheço a expressão para todos os do sul, mas aos lisboetas chamo-lhes alfacinhas, ou papos secos, ou pexinhos da horta, ou ... um montão de coisas :)))))
Mas sempre verdadeiras e simpáticas !!!!!!!

Com os "mouros" do Algarve, de quem gosto muito, a sério, só tenho um problema, não os entendo bem.
Entendo melhor os estrangeiros.

Beijo
Boa semana

Textículos disse...

Uma vez que na língua árabe não existem nem letras nem som "pê" e "vê" que substituem por "bê", por exemplo "Portugal" dizem "Bortugali" que já agora significa laranja, quiça do Algarve.
Quem são os mouros afinal!? :)

Ana disse...

Que engraçado, Textículos: "Portucale" é a palvra turca para "laranja". É parecido.

Patrícia disse...

pffff. O reino dos Algarves é um must. E há branquelas por lá (e eu sou a prova disso. Portanto veja lá o que (ladra) escreve, sr Rafeiro!
:)

Anna^ disse...

Antes "morcona" (sem puritanismos)que deputada! :p

bee disse...

concordo, rafeirinho. se há coisa que não sou mesmo, é moura..... já os algarvios, acho que há um 'je ne sais quoi' que de facto pode ser explicado por aí...

Patrícia disse...

Alfacinhas é bem melhor que "mouros". Ou se não se gostar de arranjar sarilhos, Lisboetas é a melhor opção. Mas que raio, os portugueses têm de estar sempre a arranjar alcunhas! Vão fazer algo de útil e deixem-se disso!(o que não inclui ser deputado).

Beijinhos,
Patrícia

cuca disse...

E eu para além de Lisboeta tenho costelas algarvias, e agora? Mais moura do que eu não há. P.S. Ai, se a Odete Santos lesse a última frase... achas que ela lê o teu blog? Se não lê, eu arranjo maneira de ela ler só para te arranjar sarilhos.

Anónimo disse...

E se a uma morcona lhe tirarmos o sufixo. Como fica?

Tio do Algarve disse...

Olá! Lá para o norte sempre me chamaram mouro, e não me incomoda nada.... ;-)

E também sou bem branquinho, como diz a Patrícia!

PS: Sou do Algarve, mas do Algarve de aquém mar.

Orquídea Selvagem disse...

Estás muito "politicamente correcto" hoje... Estás bem? :P

Eu não tenho nada contra os lisboetas e de facto reconheço-os mais por "alfacinhas" do que por mouros.
Mas olha que apesar de os Mouros (os verdadeiros) terem estado em toda a Península, cá no Minho as influências históricas que ainda são visíveis são as romanas e não as otomanas.

Mas Portugal é lindo assim, como uma manta de retalhos de gentes, costumes e influências e todos muito orgulhosos dos seus legados.

Beijinhos nacionalistas :)



Ps: estás muito bonito na foto, disfarçado de Mustafá.

Orquídea Selvagem disse...

ADENDA:
Esqueci-me de te dizer que se estiveres com disposição, deixei-te umas perguntitas para responderes lá no meu canto:

http://orquideasselvagem.blogspot.pt/2012/03/desafio-dos-onze.html

parole disse...

Para mim os portugueses, os que vejo aqui na blogosfera, tem cara de árabe.

Alien David Sousa disse...

"trabalhadores aos deputados " LOL

Gostei deste teu texto mas, tenho a vaga sensação de que aqueles que chamam mouros aos Lisboetas não vão entender este texto. Aposto que metade deles nem sabe ler, apenas vê os bonecos a jogar futebol.
Beijinhos cão

tétisq disse...

O exemplo não é grande coisa, há deputados que trabalham...no enriquecimento ilícito,fartam-se de suar os pobrezinhos...*

Teté disse...

É a malta do Norte, carago, que tem aquele inbejazinha de Lisboa, por ser a capital, ter melhor clima e mais não sei quê. Então lá foram buscar aquilo que lhes parecia um grande insulto e taruz! Há bairrismos muito bacocos, mesmo! :)))

Beijocas!

ps - claro que há malta do Norte e malta do Norte, felizmente que nem todos são assim inbejosos e abimbalhados! :D

Pitanga Doce disse...

Ó carago, eu já nem digo nada ou ainda me chamam aqui de tripeira que é muito pior que ser chamada de moura. Olha, mouro ainda nem é de todo mau que me lembra o nosso "Mooouuurinho", pá!

danadinho disse...

Ah...mas tem toda a razão!!!!
e essa dos "deputados" é de "arrasar"!
Cumps

danadinho disse...

Já me esquecia: tinha razão qaunto "aquilo dos anónimos"!
Obrigados.
DAN

conchita disse...

Também nunca percebi porque é que chamam Mouros aos Lisboetas, mas isso é porque sou mesmo burra a História, só por isso, lol!!
Beijos e boa semana:)

Barroca disse...

Ai que me ocorrem tantos epítetos para chamar aos deputados... 0:)

Carolina Tavares disse...

Pelo visto há preconceitos quanto os mouros, morenos, espadas, cavalos, primos do outro lado do mar... ok já entendi, só fiquei curiosa quanto a língua que é falada... ora pois, não é o português? Hummm

Beijocas

Graça Sampaio disse...

Ó Rafeiro, que mau feitio! Aos anos que é assim! Desde o 25 de Abril (já eras nascido?...) que a Mouraria se estende de Rio Maior para baixo. E os fulano lá de cima, como se chamam? Morcões?....

Rui disse...

Na minha qualidade de Portuense não raras vezes ouço essa expressão, que como todos sabemos tem a sua terminologia futebolistica. Hoje em dia ouço muitas coisas na rua (no que de futebol diz respeito) mas quase todas do género "Ò CAMPEÂO estás bom?" ou ainda "Então sempre Bais ao salão de festas?"

Ps: não liguem a este meu desabafo. São coisas de um regionalismo profundo__SD

elvira carvalho disse...

Quem sabe quando lhes chamam mouros é mesmo a pensar nesses "bravos trabalhadores" que são os deputados.
Um abraço

Teresa disse...

Adorei esta lição de História. E o resto não interessa: só os "murcons" é que nos chamam mouros!

AvoGI disse...

eu nem sabia disso dos alfaces serem mouros. ora bolas o que se aprende aqui. Mouros? disseste mouros= aqueles da mouraria mas não há um bairro chamado mouraria, ou não? olha explica-me que eu nao sou de cá sou mais de lá , perto de marrocos e apanho com o vento e as areias do desero
kis .=)

S* disse...

ahahah Eu cá sou do Minho e dispenso a mouraria.

FATifer disse...

Não querendo acirrar regionalismos mas já acirrando, não achas que estás a dar demasiada importância a uns certos complexos de inferioridade de certos e determinados espécimes?

Abraço,
FATifer

Felina disse...

Então o Algarve não é uma colónia inglesa?

Maria Pitufa disse...

Já pensaste que há um bairro de Lisboa chamado Mouraria???

AEnima disse...

Mas olha que nao e' no Algarve que existe uma "mouraria", ne?

Dylan disse...

Tem a haver com rivalidades desportivas e regionalismos saloios. De história e geografia pouco parecem saber.

Rafeiro Perfumado disse...

Rui Pascoal, mas mouros daqueles que já se fizeram explodir.

Ana, já eu prefiro que me tratem pelo nome.

Bongop, gostava de saber o que a tua cara-metade pensa disso. ;) Abraço!

VdeAlmeida, só comparo quem comete aquela irregularidade história, com esses não tenho qualquer complacência. Ena, acho que nunca tinha dito “complacência” no blog, ou mesmo na minha vida!

Rafeiro Perfumado disse...

Rita 4erres, põe, põe, põe!!! Beijocas!

Fernanda, e qual é o teu meridiano para ser considerado sul? E achas que os ingleses nos consideram a todos mouros? ;) Beijoca!

Textículos, para mim mouros são uns tipos que usam umas toalhas enroladas na cabeça e que falam de forma estranha. Ok, eu enquadro-me na espécie, logo a seguir ao banho.

Ana, na volta porque nos acham dignos de ser descascados.

Rafeiro Perfumado disse...

Patrícia, claro que há branquelas por lá, e costuma falar inglês! ;)

Anna^, concordo inteiramente, ainda mais porque “deputada” também pode ser partida de forma engraçada.

Bee, no caso do Algarve, é mais um “I don’t know what”.

Patrícia, “alfacinha” tem uma qualquer raiz histórica, como escalabitano ou santareno. Já adjectivos como “mouro” considero ofensivos, e ainda por cima sem qualquer razão. Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Cuca, se a Odete Santos lesse o meu blog, e pelo que eu já escrevi sobre a senhora, já me tinha mandado prender há muito tempo.

Anónimo, fica morco.

Tio do Algarve, branquinho?!? Com um nick desses? Estou a ver que és um tio de Cascais de férias!

Orquídea Selvagem, se bem que quando o orgulho dá para tentar diminuir as partes contrárias, algo está errado, não achas? Beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Parole, olha que conseguir ver a cara de um português na blogosfera é complicado, na maior parte das vezes são olhos, pés, cabelos...

Alien David Sousa, não duvides do QI das pessoas que frequentam este blog, simplesmente às vezes são distraídos. Beijoca!

Tétisq, acho que nem aí suam... os porcos!

Teté, tenho a malta do Norte em grande consideração (alguns são benfiquistas e tudo!), e claro que este texto não é para eles. É mesmo para desmantelar uma suposta boca que não tem razão de ser. E que me enerva. Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

Pitanga Doce, bem pensado, isso do Mourinho. Da minha parte garanto que nunca serás tratada de tripeira, pois é outra expressão que considero parva.

Danadinho, já viste que em dois comentários me deste razão duas vezes? Não, não me chames de mestre, sou um tipo humilde. Abraço!

Conchita, pelos vistos se não percebes é porque de burra não tens nada. Beijoca!

Barroca, não fosse isto um blog familiar e nem sabes o que escreveria aqui sobre esses porcos nojentos sugadores da vitalidade nacional.

Rafeiro Perfumado disse...

Carolina Tavares, neste caso o preconceito é para com o outro lado do mar mas no sentido vertical, não horizontal.

Graça Sampaio, no 25 de Abril já era nascido, apesar das minhas memórias serem difusas. E não engulo essa do “sempre foi assim”, pois nesse caso ainda hoje pegaríamos nos cristãos e tungas com eles numa arena, para servirem de repasto aos leões.

Rui, garanto que o facto de responder hoje ao teu comentário é pura coincidência. Salão de festas? Isso é muito fraquinho, fosse eu portista e quisesse gozar com os benfiquistas e quando fosse ao Estádio da Luz diria “vou ali à lavagem automática”. Abraço, sempre com desportivismo.

Elvira Carvalho, olha que conheço dois ou três lisboetas que se fartam de trabalhar. Têm é sotaques estranhos, parecidos com os de Leste... Beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Teresa, quem vos chama mouros (sim, estou a excluir-me) são pessoas que têm um qualquer sentimento de inferioridade, e que acham que desta forma vos conseguem ofender.

AvoGI, e perto do bairro da Mouraria há uma terra chamada Vilar do Mouros. Ah, espera, esta é mesmo no Norte... Beijoca!

S*, nem para ver as marchas dos santos populares?

FATifer, já me conheces o suficiente para saberes que o que eu gosto é de assuntos polémicos, pois são aqueles que dão mais luta. E sinceramente, considero chamarem mouros à malta de Lisboa uma parvoíce. Um abraço e que Alá esteja contigo!

Rafeiro Perfumado disse...

Felina, acho que qualquer dia até aderem à Commonwealth!

Maria Pitufa, já, mas quando lá tentei vender a minha jove a troco de camelos mandaram-me passear.

AEnima, e também cá existe uma judiaria, achas que vão começar a chamar judeus aos lisboetas? Beijoca!

Dylan, pois a parte desportiva (apesar do resultado de ontem) é a que menos me importa. Já os regionalismos, num país tão necessitado de união, desprezo.

Mz disse...

Também nunca percebi. Esta deixa é para nos obrigares a fazer pesquisa, é?

Rauffff... rauffff

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Acho mais simpatico Moura... que bomba! A história das Mouras encantadas é bem mais bonita que a fabricação do pão sem codea bimbo!!

Kok disse...

Tinhas mesmo que meter os algarvios ao barulho?
Que mania...
É que isso nada acrescenta à clarificaçõn do assunto!

Além disso, acho que foi um erro correrem com os Árabes; afinal são eles que têm o petróleo...

1 abraço!

Natália Augusto disse...

Muito bem pensado. Os teus argumentos convencem! Também já me coloquei essa questão.

:)

Rafeiro Perfumado disse...

Mz, claro, achas que me pagam para esses detalhes?

Especialmente Gaspas, não acredito que as moura fossem todas princesas, encantadas e encantadoras. Garantidamente que lá pelo meio tinham de existir umas quantas com cara de bimbo!

Kok, mas se tivesses petróleo também terias os americanos à perna. Abraço!

Natália Augusto, e seguramente que chegaste a conclusões parecidas, isto é, que expressão mais cretina!