Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Obrigado, rafeirosos!

A Feira do Livro de Lisboa de ontem foi um sucesso. Gritaria, empurrões, magotes de gente, apalpões, filas para autógrafos, enfim, espectacular. Na banca onde eu estive foi bastante mais calmo, mas mesmo assim foi fantástico, até deu para conversar com os velhos amigos, conhecer novas pessoas e, ocasionalmente, trocar umas beijocas respeitosas.

Não vou alongar-me com este assunto, pois sempre defendi que este blog não se esgota no livro, pelo que daqui a uns minutos segue a programação normal. Mas não posso deixar de vos agradecer sinceramente todo o carinho e tempo que me dispensaram, tornando o dia de ontem um dos melhores que já tive, e olhem que já conto com umas dezenas!

Espero que no Porto, dia 9 de Junho (entre as 15:31 e as 17:08), possa voltar a viver momentos como este!

Muito obrigado e até sempre,
Rafeiro Perfumado

24 comentários:

Orquídea Selvagem disse...

Se entretanto nada o impedir, conto viver um bocadinho desse dia 9 contigo e poder também beijocar-te mui respeitosamente.

Até lá... toma já uma beijoca por conta!

:)

Vício disse...

e só agora é que tu dizes que se podia apalpar? e vi tantos alvos interessantes...

só te desculpo por não ter havido troca de beijocas... mesmo que respeitosas!

Teté disse...

Umas dezenas de dias? És muito modesto... com as tuas dezenas de ANOS! :)))

Cá por mim, também foi um prazer!

Beijocas e que no Porto seja um sucesso idêntico! :D

maria teresa disse...

Eu não fui apalpada por ninguém mas fui abraçada e tive direito a umas beijocas respeitosas.
Notei que as pessoas que passaram pela banca do Rafeiro, não sei se por causa do perfume, sorriam com ar de quem está feliz, com ar de quem sabe enfrentar a vida com optimismo...
Gostei de ter passado por lá!

Vítor Fernandes disse...

Não só não prestei atenção à data, o que em termos práticos significa dizer que não sabia, como também ontem não era o meu dia FdL pelo que perdi a oportunidade de te cumprimentar de novo. Fica aqui um osso e um abraço. Esta semana vou lá e compro-te o livro.

Kok disse...

Apalpões? Tens a certeza?
Não dei por nada! E tenho a certeza de que não apalpei ninguém!
É a vida: uns têm tudo e outros já nem um simples apalpão ganham quando se metem em apertos!
É injusto!

Mas tive o prazer de te cumprimentar e agora vou-me empoleirar lendo o teu livro sem garantir que o leia todo! Já vou na página seis onde "fala" do título, e da Sandra Pereira, e do Nuno Sarabando... enfim tudo coisas com interesse!

1 ABRAÇO, pah!

Matilde disse...

Olá Rafeiro.
Venho manifestar-te com muito prazer, saber que o Domingo correspondeu às tuas expectativas e desejar que no Porto possa ser igual ou mesmo superá-lo. Acho que és um óptimo rapaz e mereces tudo de muito bom. Também acho que és modesto e que devias falar mais no teu livro. Eu também já tive a mania de querer ser escritora, mas depois passou-me.
Foi perto de fazer os 14 anos quando amargurada arrastava a minha fealdade por este mundo, que a pretensão eclodiu. Agora sim, via o meu futuro claramente e secretamente já me considerava escritora, e não sei porque digo secretamente visto que derretia os ouvidos e a paciência com isso a quem tivesse a desgraça de me dar um pouco de atenção, e já me via ocupadíssima à minha “imensa secretária” atafulhada de papelada.
A mãe disse que duvidava que dali saísse alguma coisa de jeito, mas o pai incentivou-me muito e por isso lacei-me cheias de ganas ao meu “romance”. A mãe queria ver mas nunca lhe mostrei e à noite para me precaver da sua infame curiosidade, dormia com os meus escritos debaixo da almofada e no outro dia levava-os comigo para o colégio.
O pai apresentou-me a um amigo dele que era director do jornal da vila e editor, e deixou-me lá a falar com ele. Deixei ficar com ele o meu Bestseller que iria revolucionar o mundo da literatura, que era uma história em que Deus e o Diabo discutiam acerca de uma esposa frígida e de uma amante de coração puro, e flutuando nas nuvens vim toda orgulhosa para casa. Depois ele chamou-me lá e disse-me:
Esta história tem um ponto de vista muito complicado. É difícil compreender como uma menina da tua idade já sabe tanto com respeito à vida.
Vim para casa e embora todos me assediassem de curiosidade, mantive a posição e não falei com ninguém. Quando mais tarde fui visitar a biblioteca do pai, as estantes estavam todas envidraçadas e protegidas com cadeados. Esfumou-se o meu sonho de ser escritora e voltei para o futebol com os rapazes.
Como hoje de manhã não trabalho, aproveitei para te contar isto de uma pretensa escritora para um escritor, aceitando as prováveis e merecidas pragas que a minha tagarelice merecidamente possam originar :)
Muitas felicidade e êxitos futuros, todas as que mereces e vais ter.
Com toda a simpatia da.

Matilde.

Imperator disse...

devias ter exigido que sessão e stand fosse mais próximo das carripanas da comida, tinhas negócio montado :P

apenas umas letras disse...

olá. Eu vou ao Porto, se estiver vivo.. sei lá, posso morrer até lá. ( bate na madeira ). Ainda bem que foi um sucesso, é bom sinal :) . Rafeiro, agora só te falta escrever um romance :). Um abraço

Felina disse...

Mas não faças descontos de 50% não estou para levar com a estante na cabeça

AmSilva® disse...

Olha, comento apenas para te informar que não fui a Lisboa, nem vou ao Porto ver o lançamento do teu livro, por duas razões:
Primeira e bastante importante; tenho medo de levar com algum ca cabeça...
Segundo e não menos importante; estou tão longe, que mesmo que o atires de catapulta não chega cá!!
Abraços!!

Graça Sampaio disse...

Parabéns mais uma vez!

redonda disse...

Vou anotar a data :)

FATifer disse...

Ao contrário do Rock in Rio deste ano, disse que ia e fui porque não podia deixar de te dar um abraço e receber um livro devidamente autenticado por sua excelência, sr rafeiro com perfume!

Abraço,
FATifer

PS - também não dei por apalpões, tens a certeza que estivemos na mesma feira? :P

Coruja disse...

Felicidades para o teu livro.
Só espero que não comungues com 'A Cabala dos Vândalos Necrófagos'.

Abraço.

Brown Eyes disse...

Tenho pena de não ter ido, mas fico contente por ter sido uma dia magnífico para ti.

Parabéns!

Natália Augusto disse...

Olá,

Tinha programado ir ver-te à feira do livro, no domingo à tarde. Não pude. desculpa.

Ainda bem que correu tudo bem. Parabéns

beijinhos

Malena disse...

17:08???? Mas que raio de hora de terminus é essa, hein??
Olha que já combinei com a Orquídea ir lá, ouviste? Livra-te de não nos dares uma beijca repenicada... (Os rafeiros dão beijocas??) :)

Alien David Sousa disse...

Cão, o que no não viste foram os apalpões que dei ao vicio discretamente lol Sim, estavas a olhar para outros lados, nem deste por aquilo que se passava ali mesmo debaixo do teu nariz. Ai esse faro!
Adorei conhecer-te, apenas um aparte; estás constantemente a lamber o pelo. Ah e já agora, as cadeiras à volta da mesa não são casas-de-banho. Tanto levantar da perna que vi, quem me dera não ter visto. Quanto ao resto ADOREI. Um detalhe, a minha mãe roubou-me o livro é ela que anda com ele de um lado para o outro...espero que a minha vez chegue. Beijinhos cão

Rafeiro Perfumado disse...

Orquídea Selvagem, venha daí essa beijoca respeitosa, com a promessa de receber a irmã gémea dia 9!

Vício, claro que se podia apalpar, onde se viu um lançamento sem apalpadelas?

Teté, e o que são dezenas de anos se não muitas dezenas de dias? Uma beijoca e obrigado!

Maria Teresa, e eu adorei que tivesses passado por lá, mesmo sem apalpões. Quanto a esse sorriso, acho que estavam a gozar com a minha trunfa... beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Vítor Fernandes, foi uma pena, mas certamente haverá outras oportunidades. Sim, que um destes dias será o Ismael e companhia a saltarem para livro. Abraço!

Kok, já falaste de dois nomes que eu nem sabia que constavam do livro, estou a ver que tenho de o ir ler. E muito obrigado, pela companhia e pelo petisco! Abraço!

Matilde, sei que deveria falar mais do livro, fazer texto sim texto não sobre ele, mas não é a minha forma de ser. Quer a nível profissional quer a nível pessoal, sempre tive esta postura, faço o que tenho a fazer e a haver reconhecimento, que seja pelo que as pessoas observam, não por eu falar sobre isso. Sei que perco em ser assim, mas pelo menos sou consistente com a minha personalidade. E se tens o sonho de ser escritora (acredita que não é um sonho que eu partilhe) talvez esteja na altura de ires sacar esse manuscrito ao baú. Beijoca!

Imperator, depois a malta gastava o dinheiro nos churros e borrifavam-se no livro, nem pensar!

Rafeiro Perfumado disse...

Apenas umas letras, à cautela põe em testamento que se morreres até lá queres ir na mesma dia 9 ao Porto! Um romance? Ná, esta é forma como me divirto a escrever, um romance já implicaria ter de pensar minimamente! Abraço!

Felina, mais desconto do que já estão a fazer e quem comprar o livro ainda recebe dinheiro!

AmSilva, não menosprezes o poder da minha catapulta. Chato é se te acertasse quando fosses em andamento, aí as consequências poderiam ser graves. Abraço!

Graça Sampaio, obrigado, mais uma vez!

Rafeiro Perfumado disse...

Redonda, e nada de te esconderes atrás do stand!

FATifer, ainda tenho esperança de te ver no Rock in Rio, apesar do esforço financeiro ser maior do que o livro. Quanto aos apalpões, deve ter sido quando foste dar uma volta aos outros stands! Abraço e obrigado!

Coruja, se fosse com a cabala dos vândalos, ainda era capaz, agora a necrofilia mete-me um bocado de nojo... Abraço!

Brown Eyes, também tive pena de não te conhecer pessoalmente, mas fica para outra oportunidade. Beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Natália Augusto, sua malandra, eu aqui e agora te perdoo de tal pecado, mas que não voltes a reincidir! ;) Beijoca!

Malena, claro que dão, e quando estão mais entusiasmados deixam a malta completamente babada! A hora fim tem a ver com permitir à malta encontrar um local para ver o jogo de Portugal! Beijoca!

Alien David Sousa, não vi o tanas, até filmei, quando receberes uma carta com palavras feitas de recortes, vai preparando o livro de cheques! Também gostei muito de te conhecer, apesar de seres um tudo nada menos amarela do que estava à espera. Beijoca!