Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Estou fora!


O Acordo Ortográfico vai arruinar o turismo português. Haverá algum turista que no seu juízo perfeito queira fazer check-in na receção?

Até sempre,
Rafeiro Perfumado

44 comentários:

Saltos Altos Vermelhos disse...

LOL já somos dois! :D

luisa disse...

Com a crise ninguém se vai importar... até poupamos uma letra, deixa lá...

lena disse...

Olá Rafeiro.
Concordo plenamente. Não acho graça nenhuma ao novo acordo ortográfico.
Beijinhos.

Vício disse...

pensei que esse processo estivesse automatizado...

Maria disse...

Realmente, esse acordo ortográfico só atrapalha, pá.

Vic disse...

Hum...não auguro grande futuro ao acordo...

Malena disse...

Olha que els fazem check in em sítios bem mais estranhos... :P

Tio do Algarve disse...

Esse cheque-dentro já está cá instalado...

tétisq disse...

Sempre podem aproveitar a baixa de preços que a aflição da receção provoca...*

disse...

Eu quero é fazer CHECK-OUT!!!

Teté disse...

E achas que algum estrangeiro que não seja dos palops nota a diferença?! :)))

Beijocas!

Inês disse...

Quando eu era recepcionista, o meu maior medo era perder esse pê, e perdia também o outro.
Receção
Rececionista...
Medo!!!

Cristina Oliveira disse...

Lol realmente... Acho q qualquer turista no seu juízo perfeito vai andar à procura da recepção!

Cristina Oliveira disse...

E se não a encontrar... Adeus!

S* disse...

Nop!!!

AvoGI disse...

e qual é o turista no seu juizo perfeito vem fazer férias a um país que alterou a sua identidade?
kis .=)

Graça Sampaio disse...

Rafeiro, não sejas reaça, conservador, Velho do Restelo! A língua é dinâmica (não é nessa acessão que estás a pensar), transforma-e ao ser usada e por isso, de vez em quando, precisa de ajustes! Oh, meu Deus, é preciso estar sempre a explicar tudo!....

Pérola disse...

Os turistas estrangeiros não sabem português, na sua grande maioria. Os portugueses se tiverem dinheiro para fazer férias em qualquer hotel estão lá preocupados com preciosismos.
Por outro lado não se lê o 'p', certo? Porquê escrevê-lo?
Pode não parecer, mas sinto-lhe a falta e preferia antes do acordo. Dou erros que prefiro ignorar, até a poeira assentar.
Pior do que este acordo são os diminutivos e palavras novas empregues pelos fanáticos das sms. Aí, sim! Estou completamente fora
Um beijo e tem calma.
Os portugueses são paciíicos, aceitamos tudo, ou quase tudo.

Eli disse...

Se for brasileiro, sentir-se-á em casa. Profissionalmente fui obrigada a aceitar e aplicar.

Pessoalmente, já misturo tudo, mas custou-me "ter que".

Filipa disse...

REalmente... mt estranho... eu nao vou saber escrever portugues.. ja disse isso varias vezes...

Natália Augusto disse...

Lá terá de ser. De acordo com alguns brasileiros com quem falei nos últimos tempos, constatei que as mudanças por vezes não são comuns aos dois países.
Com o tempo chegamos lá! Onde? Ao acordo.

Rita Esteves disse...

Olá Rafeiro,
Já Camões vociferava e resolvia as coisas com a espada ou com um pontapé na porta da taberna.
Nós deviamos dar um pontapé noutro lado. Os turistas falam a lingua deles, a nossa cada vez percebem menos!!!

Beijinho

Margarida Costa disse...

Hum... Acho que esse acordo é só uma questão de hábito!

Felina disse...

Ainda gostava de saber se os Inglêses fizeram acordo ortográfico com os americanos

Carolina Tavares disse...

Também sou contra. Àliás, é um absurdo. Amo o português de Portugal, é um atentado a língua portuguesa e a sua beleza.

Mz disse...

Está a custar-me aceitar o acordo, por isso ainda não o adoptei. Vasco Graça Moura diz que o acordo deveria ser revisto e eu concordo com ele.

Hoje li isto:

"- Já viste esta notícia no jornal? "Nova técnica deteta silicone adulterado na mama".

- Acho muito bem. Mas...

- Mas o quê?

- Não explica aí quem é essa técnica de teta?"

(Acordo burrográfico - Delito de Opinião)

Táxi Pluvioso disse...

Ele ficará mais chateado em pagar a nova taxa nos hotéis.

Esta conversa sobre o Acordo não deixa de ter a sua piada e é muito reveladora das razões que levaram (levarão) o país à bancarrota (dentro de 3 a 5 anos). 10 anos de discussões - claro que se pode discutir isso porque não há peritos portugueses em linguística, só gajos/as que mandam umas bocas - a coisa é assinada e entra em vigor, os professores (alguns suponho) ensinam nas escolas, os livreiros corrigem os livros, e agora ainda há pessoas que "ok vamos lá contestar, vamos mudar, vamos melhorar", ou seja os professores entrarão na sala e dirão: "vamos meninos esqueçam tudo, que vou ensinar de outra maneira", os putos desligam, limpam, e reboot para a frente, e os livreiros deitam o investimento todo para o lixo, queimam os livros, e depois vão pedir mais dinheiro aos mercados para investir de novo, há fundos de pensões noruegueses, alemães, holandeses, que estão em pulgas para mandar massa para cá.

Nunca haveria consenso sobre o Acordo e o que há é o que há. Acho que ninguém já se lembra quando tiraram os acentos de sede, no tempo do Garrett não foi, não sei se foi no de Pessoa, antigamente sêde e séde não deixava dívidas, agora como é? nunca sei se tenho sede para ir à torneira ou sede para ir pagar as quotas. É cá uma confusão. E fructa? o Pessoa comi fructa, eu como fruta e o sabor não é o mesmo.

A moura encantada do CCBelém, como governante, deveria ir preso, pela posição que tomou, mas o povo gosta, políticos que estourem o erário público, viva a nação. bfds

Orquídea Selvagem disse...

De repente assaltou-me uma dúvida ENOOOOOORME!
Será que o teu livro está escrito, de facto, sem observar as normas do novo Acordo Ortográfico??
Eh páh... ainda bem que a dúvida só me assaltou agora... é que o tenho mesmo aqui ao meu lado... e vou já verificar!!! :))

Até já...

Conchita disse...

Lol!!, Não acredito, com a receção que anda por aí, está dificil!!
P.S- dia 9 Porto lá vou eu:)
Bom fim de semana:)

Cosmos disse...

Como alguém observou, a língua é dinâmica e por isso altera-se naturalmente, por essa mesma razão é absurdo querer institucionalizar uma mudança.

Magia da Inês disse...

.•°`♥✿⊱╮
❤♡
Com ou sem acordo deixo um abraço
e lhe desejo um bom domingo!
Boa semana!
Beijinhos.
Brasil.
°º °♫♫♪¸.•°`

gota de vidro disse...

Estamos na poupança....Até das letras....eheheh

Feliz domingo

beijito da gota

Alien David Sousa disse...

Passei para te deixar aqui um beijo cão. Tenho andado com pouco tempo para as minhas visitas de que tanto gosto...ah é verdade; recebeste a porcaria da renda por pombo-correio? Olha que não pago 2 vezes por isso espero que o estúpido do pombo tenha chegado bem.
Beijos J.

Jaime A. disse...

Receção ou recessão?
Parece que recessão está mais na moda.
Aliás, com a crise, ficaria: "A receção do hotel está em recessão por causa da crise. Cada vez menos turistas fazem 'check-in' fazendoo com que o dono do hotel deixe de ter a perceção real ótima da sua atividade. De fato, desde junho até ao passado outono, houve (ou ouve?) um decréscimo de 38,2% nos seus provenctos..."

André Miguel disse...

A austeridade aplicada à ortografia? Passo.

Rafeiro Perfumado disse...

Saltos Altos Vermelhos, somos muitos mas mesmo assim uma espécie em perigo!

Luísa, poupamos uma letra mas perdemos uma identidade.

Lena, nem graça nem utilidade. Beijocas!

Vício, nem pensar, ainda há muita "manualidade" pelo meio!

Rafeiro Perfumado disse...

Maria, além de ser estúpido. E feio, é muito feio.

Vic, eu não auguro grande futuro à nossa língua.

Malena, desde que o façam na língua deles…

Tio do Algarve, e não se pode pôr a correr um anti-vírus?

Rafeiro Perfumado disse...

Tétisq, se o AO continuar, qualquer dia é "baicha de pressos".

Fã, tu e mais um país inteiro!

Teté, note eu, que me começo a sentir estrangeiro cá dentro! Beijocas!

Inês, ainda eras vista como culpada da crise e apedrejada, qual Maria Madalena!

Rafeiro Perfumado disse...

Cristina Oliveira, vai para um país que não se tenha vendido…

S*, és cá das minhas!

AvoGI, boa pergunta, eu cá não sei a resposta! Beijoca!

Graça Sampaio, claro que precisa de ajustes, mas que sejam os detentores da língua a fazê-los, não impostos sabe-se lá por quem e porquê!

Rafeiro Perfumado disse...

Pérola, eu sou português e pacífico, mas este acordo não aceito, nem agora nem nunca. E era a consoante que fazia abrir a vogal, agora é uma confusão pegada, que avacalhou a nossa língua. Beijoca!

Eli, pois eu profissionalmente não aceito, e pessoalmente ainda menos!

Filipa, eu vou passar a ser olhado (ainda mais) como uma ave rara, mas não mudarei a minha forma de escrever.

Natália Augusto, mas se não se escreve da mesma forma, para que raio serve o acordo?!?

Rafeiro Perfumado disse...

Rita Esteves, se nem nós percebemos a nossa língua, e deixamos terceiros mexer na dita, como podemos esperar que os estrangeiros percebam? Beijoca!

Margarida Costa, pois, mas eu não me estou a ver a ir para monge!

Felina, claro que não, são inteligentes o suficiente para perceberem que é nas diferenças que reside o encanto, e na raiz comum que reside a força.

Carolina Tavares, tal como eu gosto do "brasileiro". Tal como disse em tempos, gosto de ver primos linguísticos que se dão bem, não irmãos à força!

Rafeiro Perfumado disse...

Mz, e a frase "O cagado estava de fato na praia"? É lindo…

Táxi Pluvioso, concordo, esta treta do AO é sintomática do nosso estado. Fazem-se coisas sem dar cavaco a ninguém, por causa de interesses obscuros. As alterações devem ser discutidas, pois estamos a falar da nossa herança cultural, nem mais nem menos!

Orquídea Selvagem, se já acabaste de ler o livro já tens a resposta! Beijoca!

Conchita, e esta é daquelas que somos verdadeiramente culpados por chafurdar nela. Beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Cosmos, numa simples frase disseste tudo. Nenhuma língua é imutável, mas deve mudar naturalmente, não por decreto.

Magia da Inês, até ao ia que seja um "abrasso". Beijoca!

Gota de Vidro, e no desperdício, da nossa herança cultural. Beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Alien David Sousa, vinha no pombo?!? Por isso é que o achei tão rijo, pensei que era por ter ficado demasiado assado. Beijoca!

Jaime A., eu desde que li um livro em que a personagem ficou a olhar para o teto de madeira…

André Miguel, neste caso é mais a imbecilidade aplicada à ortografia. Também passo.