Cuidado com o Rafeiro! Não é que morda, mas podes pisá-lo sem querer...

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Fujam que lá vem ela!

Já referi diversas vezes que andar de transportes públicos é uma aventura, sendo que a adrenalina atinge picos estratosféricos quando se trata do comboio da Linha de Sintra.


Na semana passada sentei-me todo pimpão numa zona com quatro cadeiras. Estava a começar a folhear um livro quando se senta uma senhora à minha frente, à qual não prestei muita atenção (e vocês também não devem prestar, não tem grande influência na história) pois nem sequer era gira. Mas eis então que entra um furacão na carruagem, furacão esse personificado na figura duma tipa com uma imensidão de sacos. Senta-se abruptamente no lugar ao meu lado (falhou-me o colo por pouco) e, acto contínuo, atira com os sacos para o lugar à sua frente, que ainda estava vago.



Puxa então da sua mala (ou carteira, sei lá como é que aquilo se chama) e começa a remexê-la furiosamente, numa tal posição em que o seu cotovelo ficava a escassos centímetros do meu nariz, obrigando-me a desviar a cabeça como se estivesse a enxotar moscas. Eis que um dos sacos à sua frente começa a deslizar para o chão. Rápida, consegue apará-la com um dos joelhos, ficando naquela posição uns momentos, enquanto não se decidia a poisar a carteira e compor os sacos. Alcançado esse objectivo, lá começa a revirar a carteira (ou mala ou o catano) e eu a fazer pela vida, para não levar uma jarda na tromba. Eis que os sacos começam a deslizar para o outro lado. Desta vez foi a outra senhora (aquela que eu disse não ser gira) a segurar a mercadoria, tendo a dona grunhido qualquer coisa que poderia ser entendido tanto como um “obrigado” ou “cabrão do saco que não pára quieto”.



Controlada a situação, volta a remexer na mala até que se dá uma tragédia: aparece uma pessoa para se sentar no banco ocupado pelos sacos. Suspiros, pragas em surdina, lá consegue a custo acomodar os sacos entre as pernas dela e parcialmente nas minhas. Após mais uns minutos de remexer na mala (não cheguei a perceber o que é que ela procurava) e quinze rasadelas cotovelares ao meu nariz depois, lá sossegou e saca de um livro para ler: o Código da Estrada! O animal anda a tirar a carta!



Cara DGV, peço-vos encarecidamente: quando este exemplar tirar ou comprar a carta, por favor façam um aviso a todo o mundo! É que já a estou a ver numa situação em que tenha de meter mudança e fazer pisca ao mesmo tempo, dar uma cotovelada no pendura e despistar-se na primeira curva!



Até sempre,

Rafeiro Perfumado

34 comentários:

Ti Coelha disse...

Encontros de 1º grau no comboio! Que medo!!



Já tenho saudades, de facto. :P

AFRODITE disse...


Meu querido... "look on bright side"... pois repara bem: se ela vai tirar a carta isso quer dizer que vai deixar de andar de comboio!!
Iupiiii... :D


Beijinhos e boa semana!
(^^)

Matilde Jones David disse...

Acho que nunca apanhei ninguém assim nos transportes públicos, tens cá uma sina ó Rafeirinho...

Pinky disse...

E sorte tiveste tu... olha se ela, em vez do código, sacava do telemóvel e ia o caminho todo a falar aos teus ouvidos... nem consigo imaginar. :)

Boa semaninha ;)

Kiss by Pinky

Maria disse...

Hummm, existe sempre um bom exemplar desses em qualquer tranposte público que se preze.



bjs

Catarina disse...

Ahahah! Concordo com a pinky! Já imaginou se ela estivesse à procura do telemóvel e o tivesse encontrado no meio daquela confusão de sacos e saquinhos? : )

Se alguém lhe apresentasse duas propostas, Rafeiro, qual escolheria?

Rafeiro: queres correr o risco de apanhar cotoveladas no teu delicado narizinho que tanto prezas ou ouvir a fulana a falar ao telemóvel em voz alta e “esganiçada” durante toda a viagem?

Tétisq disse...

quando tiver a carta de condução deixa de se cruzar contigo no comboio! tudo tem um lado positivo!

Utena Marques disse...

Ui nem quero pensar

Portuguesinha disse...

Ela deve estar mais farta de andar de transportes públicos do que tu! (então? Precisa de um carro para colocar todos os sacos!)

Malena disse...

E uma rosnadela, não? ;)

Beijocas

nuvemdoce disse...

LOL continuas rafeiro, sempre a rosnar. Coitada da Sra pah, ela a tentar engatar a primeira e tu sempre de marcha atrás. bolas, não há pachorra. ihihiiihih..MEDO!!!

elvira carvalho disse...

Devia ficar contente. Porque se ela tirar a carta, deixa de andar de comboio, (partindo do pressuposto que tem dinheiro para comprar o carro e pagar a gasolina)
Depois coitada se a mulher anda sempre assim tão carregada de sacos, precisa mesmo do pópó.
Um abraço e uma boa semana

Ricardo Santos disse...

Como diz a Afrodite, ela vai deixar de andar de combóio... e possivelmente, também não terá nenhum pendura, porque vai levar os sacos com ela ! :)))

Teté disse...

Chiça, que é mesmo uma imagem assustadora! Uma fulana que acha que o comboio é todo dela, incluindo os bancos para pôr os seus sacos, que faz rasantes à narigueta do vizinho do lado com o cotovelo e ainda resmunga quando aparece um outro passageiro, cheira de longe a mais uma avantesma na estrada... :P

Beijocas!

FATifer disse...

É fantástico como consegues manter o optimismo! Depois de tudo o que relatas o pior que concebes é ela despistar-se na primeira curva? Nem dizes atropelar o primeiro rafeiro que lhe aparece à frente ou espetar-se no primeiro camião do lixo?

Pois é, eu também gosto muito de andar de transportes públicos por isso é que ando tão pouco mas isso só porque sou masoquista!

Abraço,
FATifer

Rui Pascoal disse...

Com tanta agitação ficámos sem saber para que lado seguia o comboio.
:)

Kok disse...

Mas tu afinal queixas-te de quê?
Porque estás a queixar-te, não estás?
É do cotuvelo?
É dos sacos plásticos?
É porque falhou o teu colo por pouco?
É do banco da frente?
É da senhora pouco interessante?
É do sacana do comboio?
É porquê?
Afinal não são estes "pikenos Q's" que te alimentam a imaginaçõn?

Akele abraço pah!

hesseherre disse...

Aprovewito o espaço que me restou depois deste testamento que inventaste, ou mandamentos, para deixar aqui um forte abraço e agradecer tua omnipresença em meu blogue....

luisa disse...

Isso é que foi uma viagem animada e inspiradora. :))

Mz disse...

Mais uma alma inquieta na estrada.
Se remexer nos instrumentos da viatura como remexe na mala... bem, fujam da frente!

A buzina vai ser a festa!

nêspera disse...

O que mais me impressionou nesta historia linda e estimulante foi alguém no mundo (neste caso, tu) não saber a diferença entre mala e carteira. Tem dó...

Bjis :)

Brown Eyes disse...

Vai ser um perigo essa criatura...bolas, só de imaginar, até assusta!

Dadinha disse...

E eu que não aando de comboio...o que ando a perder, ou talvez não :)
As liçoes da Victoria a essa senhora...seriam transformadoras...
Quem é Victoria? Estás curioso? Passa no Histórias e é só rir :)
http://dadinhahistorias.blogspot.pt/

Imperatriz Sissi disse...

A senhora teria bicho carpinteiro, como diz o povo?

mariam [Maria Martins] disse...

Rafeiro,
rsrsrs que viagem atribulada ein! Viva a boa disposição com se fica quando por aqui se passa...
beijinhos :)
mariam

Táxi Pluvioso disse...

Deviam oferecer-lhe a carta, assim os transportes públicos não seriam incomodados com ela, e, se o Governo estivesse atento na arte de governar, o passageiro sentado ao lado dela deveria ser obrigado a pagar-lhe um carro (carro bom, nada de ferro velho).

Catarina disse...

Há que ver as coisas pelo lado positivo, quando tirar a carta, deixa de andar de transportes :)))

Rafeiro Perfumado disse...

Ti Coelha, se tiveres saudades mesmo à séria posso tentar saber o horário de circulação daquele exemplar, não quero que te falte nada.

Afrodite, não me tinha lembrado disso, realmente. Mas por outro lado eu tenho carta e não é por isso que não vou de comboio para o trabalho. Beijoca!

Matilde Jones David, difícil é escolher os casos para colocar aqui. Aquilo é uma escola de vida!

Pinky, curioso, isso foi ontem, não ao meu lado mas era como se fosse, tal a entoação com que a tipa falava ao telemóvel. Beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Maria, só um? Consigo identificar umas dezenas em cada carruagem! Beijoca!

Catarina, no meio daqueles sacos ela não conseguiria encontrar um elefante, quanto mais um telemóvel. Quanto às alternativa, seguramente que preferiria a voz esganiçada, meu rico nariz!

Tétisq, se for poupadinha como eu continuará a ir de comboio.

Utena Marques, pensas sim senhora, quero solidariedade pensativa!

Rafeiro Perfumado disse...

Portuguesinha, ela precisa é de um atrelado, qual carro!

Malena, se visses o tamanho da animaleja… Beijocas!

Nuvemdoce, a primeira?!? Ela no que toca a sacos ia em velocidade WARP!

Elvira Carvalho, a primeira coisa que ela precisa é de umas noções de espaço individual, depois de arrumação de sacos. Só depois tirar a carta. Beijoca!

Rafeiro Perfumado disse...

Ricardo Santos, só se comprar um camião TIR. Não estás a ver bem a quantidade de sacos que era…

Teté, vai ser daquelas que não faz piscas, anda na faixa do meio e se necessário trava a fundo porque lhe caiu o telemóvel no meio das pernas. Beijoca!

FATifer, desde que o rafeiro ou o camião do lixo não estejam na primeira curva, acho que se vão safar. Tu caladinho pois também pertences a uma raça muito respeitadora na estrada… Abraço!

Rui Pascoal, acho que era para Sintra, confesso que com os desvios de cabeça perdi um bocado o sentido de orientação.

Rafeiro Perfumado disse...

Kok, queixo-me de tudo o que enunciaste mais o facto dela ser grande como tudo, não a podendo colocar no lugar se me arriscar a sair do comboio em andamento. Abraço!

Hesseherre, é sempre um prazer, apesar de ter consciência que tenho andado mais afastado do que desejaria. Grande abraço!

Luísa, inspiradora, dispensava a parte da animação, o meu nariz que o diga.

Mz, isso se chegar a descobrir as chaves do carro no meio dos sacos!

Rafeiro Perfumado disse...

Nêspera, é daquelas áreas de cultura geral onde serei sempre uma besta. Beijoca!

Brown Eyes, vai ser não, é um perigo, não leste a parte do meu nariz?

Dadinha, prometo que neste FDS irei retribuir todas as visitas, ficando então a saber quem é essa jove. Beijoca!

Imperatriz Sissi, eu prefiro uma expressão mais simples, como “era parva todos os dias”.

Rafeiro Perfumado disse...

Mariam, agora ainda vá, mas na altura em que vi a vida a andar para trás, ou melhor, o nariz a andar para dentro… Beijoca!

Táxi Pluvioso, pode ser que ela pertença à lista de algum partido e agora com as autárquicas isso se concretize.

Catarina, infelizmente esse factor não é totalmente verdade, existem muitas variáveis que podem manter o meu nariz em perigo!